A cidade da liberdade: é assim que Berlim quer ser reconhecida, e ela faz muito juz a esse título. Bastam poucas horas na cidade pra você perceber que tudo ali respira inovação e liberdade de expressão, mas sem deixar cair no esquecimento seu passado marcante e pesado. Num instante você vai se dar conta do tanto de atrações incríveis para se ver por lá – e tenho certeza que vai acabar faltando espaço na sua lista do que fazer em Berlim.

Já estive duas vezes na cidade e não canso de me surpreender com ela. E para quem vai pela primeira vez, não adianta querer sair do óbvio: as atrações principais são incríveis e sempre valem uma visita. Nesse post listamos os principais pontos turísticos de Berlim, com passeios imperdíveis para você colocar no seu roteiro. Tem também ótimos achados que descobri nessa segunda viagem, então vem aqui conferir nossas melhores dicas de Berlim:

O que fazer em Berlim

1. Reichstag (Parlamento Alemão)

Berlim
Reichstag: o Parlamento Alemão

Berlim            Berlim

O famoso prédio do Parlamento Alemão pode ser um bom ponto de partida para conhecer Berlim. Essa obra imponente é cheia de história, começando por ser o local de Proclamação da República da Alemanha em 1918. Já em 1933 passou por um grande incêndio e, durante a Segunda Guerra, foi extremamente danificada.

Atualmente é possível fazer uma visita gratuita pelo prédio, incluindo um passeio pela linda cúpula. Você deve fazer uma reserva pelo site e lá vai um conselho: agende com bastante antecedência para não correr o risco de ficar só na vontade, como aconteceu com a gente.

2. Portão de Brandemburgo (Brandenburg Tor)

Berlim
Portão de Brandemburgo © visitBerlin, Foto: Philip Koschel

Um dos símbolos mais famosos de Berlim, o Portão de Brandemburgo foi construído entre 1788 e 1791 e servia como um dos portões de acesso à cidade. Acabou se tornando um símbolo da divisão de Berlim na época do muro e, hoje em dia, é um dos símbolos da reunificação.

O portão fica bem no coração de Berlim, do ladinho do Reichstag ali na Pariser Platz. Se possível, visite o Portão de Brandemburgo no fim da tarde: assim você pode pegá-lo em dois momentos: ainda com a luz do dia e também à noite, quando ele fica todo iluminado.

Nós acabamos passando algumas vezes pelo Portão de Brandemburgo. Sem dúvidas, o melhor dia foi o da parada gay, onde milhares de pessoas se concentraram no portão pra festejar embaixo de muita chuva!

3. Memorial do Holocausto

Berlim
Memorial do Holocausto

O Memorial do Holocausto é um dos lugares mais marcantes de Berlim, na minha opinião. É uma praça enorme, com 2.711 blocos de concreto de tamanhos irregulares, representando os judeus vítimas do nazismo.

Logo ali do lado há também uma continuação do memorial, em homenagem aos homossexuais. Não deixe de visitar o museu (ou centro de informações) que fica no subsolo, embaixo de todos esses blocos. A visita é gratuita e há opção de tours guiados (pagos).Fica aberto de terça a domingo, das 10h às 19h.

O Memorial do Holocausto está longe de ser um passeio agradável, mas considero parada obrigatória na sua lista do que fazer em Berlim.

4. AlexanderPlatz

Berlim
Weltzeituhr, o famoso relógio na Alexanderplatz

Talvez uma das praças mais famosas e movimentadas de Berlim, a Alexanderplatz é daqueles lugares que certamente você irá passar mais de uma vez, devido a sua localização bem central.

Sinceramente não considero a Alexanderplatz muito bonita ou charmosa, mas certamente é um lugar com muitas opções de compras e restaurantes, além de ter uma estação de metrô que se conecta com um monte de linhas. Foi aqui também que alugamos uma bicicleta para rodar pela cidade, então pode ser um bom ponto de partida pra começar seus passeios.

Berlim
Berliner Fernsehturm: a torre de TV em Berlim

Há dois destaques nessa praça: o primeiro é o Weltzeituhr, um relógio que mostra a hora em diversos fusos diferentes, e que acaba servindo como ponto de encontro. O segundo e maior destaque é a Berliner Fernsehturm, a torre de TV que você consegue enxergar de diversos pontos da cidade. Ela é uma das construções mais altas da Europa e é possível subir na torre e ter uma vista absurda lá de cima. Paga-se 13 euros para subir e está aberta das 10h à meia-noite.

5. Checkpoint Charlie

Berlim
Checkpoint Charlie

Na época do muro de Berlim, o Checkpoint Charlie funcionava como um posto militar na fronteira entre Berlim Oriental e Ocidental. Era por ali que oficiais, diplomatas e membros das Forças Aliadas atravessavam de um lado para o outro.

Hoje em dia, além de encontrar muitos turistas tirando fotos no local, é possível visitar o Checkpoint Charlie Museum, que funciona bem ali do lado. O museu tem bastante informação que antecede a construção do muro, se puder vá com calma para ler bastante. Mas para mim o destaque desse museu está nos relatos e histórias de fuga dos alemães do lado oriental para o ocidental. A entrada custa 14,50 euros e ele fica aberto das 9h às 22h.

6. Topografia do Terror

Berlim
Topografia do Terror. Foto: Wilhelm Rosenkranz / CC BY 2.0

Próximo ao Checkpoint Charlie, o Topografia do Terror é um museu/ memorial que relembra as atrocidades cometidas pelo regime nazista. Esse mesmo lugar serviu de sede da Gestapo, a polícia secreta nazista, que entre 1933 e 1945 mantinha ali uma prisão. O local também era o comando da SS e a Central de Segurança do Reich.O museu conta com uma série de documentos e fotos que mostram os acontecimentos de forma cronológica. Sugiro uma visita com mais calma e disposição pra assimilar melhor o que você vai encontrar por aqui. A entrada é gratuita e você pode visitar todos os dias das 10h às 20h.

7. Potsdamer Platz

Berlim
Potsdamer Platz ©visitBerlin, Foto: Wolfgang Scholvien

A Potsdamer Platz atualmente é um grande centro de lazer, concentrando cinemas, restaurantes e bares, com destaque para o grande Sony Center (um complexo de entretenimento super moderno). Além disso é possível subir no andar mais alto do prédio Panorama Point para ter uma vista do alto daquela parte da cidade.

Berlim
Sony Center na Potsdamer Platz ©visitBerlin, Foto: Wolfgang Scholvien

Voltando um pouco na história, essa praça existe desde o século 19. Nas décadas que antecederam a guerra, a Potsdamer Platz já era um grande centro de entretenimento.

Porém ela foi alvo de muitos bombardeios durante a Segunda Guerra. O que sobrou acabou sendo demolido na época do Muro de Berlim, que acabou também dividindo a praça e deixando a área deserta. Após a queda, a praça foi se reestruturando e hoje voltou a ser um grande centro de lazer.

8. Passeio pela Unter den Linden, Berliner Dom e Ilha dos Museus

Unter den Linden

Berlim
Universidade Humboldt na Unter den Linden. Foto: Christopher Lancaster / CC BY-SA 2.0

Cheia de prédios históricos e monumentais, a Unter den Linden é uma das ruas mais bonitas de Berlim, sendo passeio obrigatório para quem visita a cidade.

Ela começa no Portão de Brandemburgo (que fica na Pariser Platz) e se estende até a Ponte Schlossbrücke, uma ponte linda com estátuas de anjos. Entre as construções mais marcantes ao longo da Unter den Linden, está a Universidade Humboldt, a mais antiga da cidade e de onde saíram 29 ganhadores do Prêmio Nobel.

Dois pontos de interesse durante esse passeio são a praça BebelPlatz e uma feira de livros.

Quando estiver na BebelPlatz, procure pedaço do chão que é de vidro: através dele você pode visualizar um monumento no subsolo, que é uma recordação aos livros queimados durante o regime nazista. A feira de livros acontece do outro lado da rua, bem na frente da Universidade. Ela está ali faça chuva ou faça sol, e também serve como símbolo contra a opressão

Berlim

Nós fizemos um tour de bike e nossa guia parou ali para explicar a história. Se não fosse pela guia, certamente teria passado despercebido pra gente.

Ilha dos Museus e Berliner Dom

Berlim
Berliner Dom e a Ilha dos Museus © visitBerlin, Foto:©2010 Scholvien

Ao final da Unter den Linden, ali na região da Ponte Schlossbrücke, fica a Ilha dos Museus, patrimônio da UNESCO. Se você curte museus, pode se preparar pra passar um dia inteiro aqui e ainda assim não vai conseguir ver tudo!

Antes de começar a explorar um (ou alguns) dos 5 museus da Ilha dos Museus, faça uma parada na Berliner Dom, a Catedral de Berlim que fica na praça Lustgarten. A maior igreja de Berlim tem 4 torres e foi construída 1894 e 1905, sendo inspirada na Basílica de São Pedro em Roma. A Berliner Dom foi bombardeada na Segunda Guerra e restaurada depois.

Berlim
Berliner Dom

Depois é só escolher o que conhecer. O Pergamon Museum é o mais visitado de Berlim, mas ainda tem mais 4 bem interessantes: a Alte Nationalgalerie, o Neues Museum, o Altes Museu e o Bode-Museum.

Os museus fecham às 18h. É possível comprar o ingresso para cada um separadamente ou comprar um ingresso que dá direito a todos os museus, por 18 euros.

9. Muro de Berlim – East Side Gallery e Memorial do Muro

Não tem como fugir desse assunto em Berlim: você ouvirá falar muitas vezes do muro quando estiver na cidade. Aproveite a oportunidade para se aprofundar mais nessa história tão marcante e não deixe de visitar o que sobrou do muro.

Obviamente dá para conhecer tudo por conta própria, mas nós recomendamos um bom tour guiado para te dar uma perspectiva mais aprofundada. O Berlin on Bike tem um passeio exclusivo sobre o Muro de Berlim que vale muito a pena.

East Side Gallery

O ponto mais famoso para se ver o que restou do muro. A East Side Gallery é a parte mais longa do que restou do muro, com 1,3km de extensão. O muro ali se transformou na maior galeria a céu aberto do mundo, com pinturas e grafites de artistas do mundo todo. Algumas imagens servem de protesto, outras são em comemoração à queda do muro.

BerlimBerlimBerlim

A East Side Gallery fica ao longo do rio Spree, um pouco mais afastado do centro. É só pegar o metrô até a estação Warschauer Straße.

Memorial do Muro na Bernauer Strasse

BerlimBerlim

Berlim

Uma parte do muro também foi preservada nesse lugar que hoje funciona como o Memorial do Muro de Berlim. Ali é possível ter uma ideia mais próxima da realidade de como funcionava o muro. O Memorial funciona ao ar livre e é gratuito.

10. Gedächtniskirche e Kurfürstendamm

Reserve um espacinho no seu roteiro de Berlim para visitar a igreja conhecida como Gedächtniskirche. Ela foi muito danificada durante a Segunda Guerra e hoje o que vemos são ruínas da torre que sobrou. Ao contrário de muitos monumentos que foram restaurados no pós guerra, mantiveram essa igreja em ruínas como lembrança dos horrores da guerra. Bem interessante.

Berlim
Kurfürstendamm und Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche ©visitBerlin, Foto: Wolfgang Scholvien

Bem ali perto fica a Kurfürstendamm, uma rua muito conhecida para compras. Aproveite e vá até a Kadewe, a loja de departamentos mais famosa de Berlim.

Berlim
Kurfürstendamm © visitBerlin, Foto: Thomas Kierok

Nós ficamos hospedados no Henri Hotel, um hotel maravilhoso que fica bem nessa região. Adoramos ficar por ali.

Obs.: é nessa região que também ficam o aquário e o zoo de Berlim, mas nós não recomendamos nenhuma atração que envolva animais em cativeiro.

11. Tiergarten e Coluna da Vitória

Berlim
Coluna da Vitória no Tiergarten © visitBerlin, Photo: Wolfgang Scholvien

Se você foi até a Kurfürstendamm e ainda está com disposição, siga o passeio caminhando até o Tiergarten. Esse é um parque enorme bem no meio da cidade, cortado pela Strasse des 17 Juni (Rua 17 de Junho), que chega até o Portão de Brandemburgo. Dali você pode visitar o Monumento aos Soldados Soviéticos, o Palácio Presidencial de Bellevue e a Coluna da Vitória (de onde se tem uma bela vista do alto, custa 3 euros pra subir)

12. Berliner Unterwelten

Berlim
Bunker e Berlim. Foto: ©Berliner Unterwelten e.V. / Frieder Salm

Visitar um bunker pode ser uma opção interessante do que fazer em Berlim. Além dos vários resquícios de guerra que já citei nas atrações anteriores, também restaram essas passagens e abrigos subterrâneos pela cidade, que te dão uma perspectiva diferente e bem realista da guerra. Vale conhecer onde os alemães se escondiam durante os ataques de bomba.

Berlim
Foto: ©Berliner Unterwelten e.V. / Holger Happel

Existem alguns bunkers abertos à visita, mas nós fomos no Berliner Unterwelten, que fica bem próximo à estação de metrô Gesundbrunnen. Você deve chegar com antecedência para comprar seu ticket. Há diferentes tour e nós fizemos o tour 1, que rola todos os dias às 11h (há saídas extras dependendo da época do ano). Custa 11 euros e dura cerca de 1h30.

13. Mauerpark

Se você estiver em Berlim num domingo, uma visita à Mauerpark deve ser sua prioridade! A praça ganha muita vida aos domingos, com um mercado de pulgas e uma concentração muito animada de berlinenses. A parte mais legal é a do karaokê, que funciona ali, a céu aberto, concentrando uma plateia de centenas de pessoas. Muito divertido!

BerlimBerlimBerlim

Quer mais dicas de viagem? Curta nossa página no Facebook!

em algum lugar do mundo no facebook

Onde ficar em Berlim

Uma das áreas mais buscadas para acomodação em Berlim é o bairro Mitte, devido a sua localização conveniente bem no centro da cidade. Porém, na minha opinião, o mais importante na hora de escolher acomodação em Berlim é a proximidade com o transporte público, que funciona muito bem e te leva para qualquer lugar da cidade.

Nós nos hospedamos em dois hotéis, em diferentes regiões da cidade, e recomendo muito os dois.

O Henri Hotel foi uma experiência à parte na nossa viagem. Sem dúvidas um dos hotéis mais estilosos em que já nos hospedamos. Na verdade o Henri é um hotel boutique e sua decoração foi pensada nos mínimos detalhes.

Claro que pra mim o café da manhã tem destaque né? E aqui ele é divino, servido em uma cozinha que parece ter saído de um filme. Um hotel bem cosmopolita com muito bom gosto, onde fiquei um bom tempo apreciando cada cantinho. Daqueles que você pensa: poderia voltar em Berlim só pra ficar aqui.

Berlim

Outro hotel que ficamos foi no The Circus Hotel, super conhecido e com uma ótima fama – e basta chegar lá pra entender porque. Eles capricharam na decoração aqui, e nós perdemos a hora no café que fica no térreo, de tão gostoso.

Esse hotel fica colado numa estação de metrô, mais conveniente impossível. Apesar da localização turística, ficar nesse hotel te dá sensação de sair um pouco do óbvio, ele realmente tem um toque diferente. Ah, e tem também o The Circus Hostel que fica bem ali próximo, sendo uma opção mais econômica e tão boa quanto.

Berlim

O que comer em Berlim

Bem que nossos amigos do Off The Path (que são alemães, já viajaram muito e comeram pelo mundo inteiro) nos avisaram: em Berlim vocês acham de tudo, e a comida é uma das melhores do mundo, não importa a especialidade.

Não demorou muito para concordarmos. Fica difícil até recomendar um restaurante específico, pois a cada dia experimentamos um diferente e não nos decepcionamos nunca!

Há restaurantes de todas as nacionalidades aqui, mas é claro que você deve aproveitar a oportunidade para provar o Currywurst, a famosa salsicha. Dizem que o prato foi inventado no lado oriental de Berlim, na época do muro: cansados de comer apenas salsichas, eles fizeram uma mistura com os principais ingredientes dos países Aliados na época da Segunda Guerra: uma salsicha alemã com ketchup dos Estados Unidos, o curry inglês e batatas fritas francesas.

Aqui em Berlim você também pode aproveitar pra comer um joelho de porco. Ou ainda, experimentar a flammkuchen, um tipo de pizza feita com uma massa diferente e bem leve. Ah, e descobri que o famoso doner kebab, uma versão deliciosa daquele sanduíche turco, foi inventado aqui! Em toda esquina você acha um.

Nós reservamos um fim de tarde em Berlim para um tour gastronômico. Achamos uma opção bem legal chamada Evening Food Tour: um passeio de bicicleta da Fat Tire Bike Tours, onde íamos rodando por alguns pontos e experimentando algumas comidas pelo caminho.

Se você quer algo super informativo para conhecer os principais pontos de Berlim, certamente esse passeio não é pra você. Mas para ter uma noite divertida e comer muuuuito bem, pode ir sem pensar duas vezes.

Nós fizemos três paradas. O primeiro restaurante era de comida árabe (me acabei de comer hummus e falafel), o segundo era um típico alemão e o terceiro era uma cafeteria com umas 10 opções de tortas e doces. Pelo tanto que se come, o valor do tour de 49 euros vale muito a pena.

Como se locomover por Berlim

Transporte público

O sistema de transportes em Berlim é muito eficiente. Olhar o mapa do metrô pode assustar de tantas linhas que existem, mas basta um dia pra você se familiarizar.

Berlim

A cidade está dividida em 3 zonas e, para cada zona, você deve comprar um ticket específico. As zonas são: A (centro), B (incluindo o aeroporto de Tegel) e C (incluindo a região de Potsdam e o aeroporto Schönefeld).

O valor do ticket também varia, sendo que o mais simples custa 2,80 para uma pessoa ou 19,90 por um ticket válido para até 5 pessoas viajando juntas.

BerlimNós acabamos usando o Berlin Welcome Card, um cartão que cobre todo o sistema de transportes e ainda dá desconto em várias atrações. Se você tem pouco tempo em Berlim, vai se movimentar bastante e quer conhecer vários lugares, pode ser uma boa pra você. Pra verificar os valores e descontos, só olhar nesse site.

Tours e passeios

Se você realmente tiver muito pouco tempo na cidade, aquela opção do ônibus hop-on/hop-off acaba sempre sendo muito prática, porque passa pelos principais pontos turísticos e você não precisa perder tempo tentando se entender com o transporte público.

Mas, na minha opinião, a forma que mais gostei de andar pela cidade foi mesmo de bicicleta. Berlim é muito bike friendly, com ciclovias para todos os lados. Logo no primeiro dia fizemos um tour chamado Berlin’s Best que, como o nome já diz, passa por alguns dos principais pontos turísticos de Berlim. É ótimo pra você se situar e depois explorar a cidade com um pouco mais de calma.

Tá afim de um programa bem turistão mesmo? Então um passeio de barco (a partir de 13 euros) pelo rio Spree pode ser uma boa pedida, principalmente para poder apreciar Berlim de um outro ângulo. Sai todos os dias em diferentes horários, ali do lado da estação central Hauptbanhof.

Dica extra: Going Local Berlin

Uma coisa que ajudou bastante na viagem foi um app chamado Going Local Berlin. Além de um mapa bem detalhado (que acabou sendo melhor que Google Maps), o app tem várias dicas e sugestões de tours. Não custa nada experimentar: é gratuito e ainda funciona offline. Pode baixar antes da viagem pra já te ajudar no planejamento.

Quando ir para Berlim

Normalmente, faz bastante frio em Berlim. Pode colocar o casaco de frio na mala, pois na maior parte do ano você vai precisar dele. Mas não se preocupe, dá pra aproveitar muito Berlim independente da temperatura.

Quer tentar fugir do frio? Então a melhor época para visitar Berlim é no verão, sendo julho e agosto os melhores meses. A cidade fica super movimentada, com muitas opções de bares e eventos ao ar livre, uma delícia.

Berlim

Mas deixa eu fazer uma pausa: estive em Berlim no mês de julho, o que deveria ser alto verão na cidade. Pois eu peguei muita chuva e temperaturas em torno dos 17 graus, então lembre-se que toda regra tem exceção!

Lembre-se: seguro viagem é obrigatório para Alemanha

O seguro viagem é obrigatório para entrar em alguns países da Europa, sendo a Alemanha um deles. Devido ao Tratado de Schengen, todos os países signatários exigem que os viajantes comprovem possuir seguro viagens, com cobertura mínima de € 30.000, para garantir despesas por doença ou acidente durante a viagem.

Por isso, recomendamos fazer uma pesquisa pela Segurospromo, que funciona como um bom comparador de preços, e escolher o seguro que melhor se adequa ao seu estilo de viagem. E usando o nosso código EMALGUMLUGAR5 você ainda ganha 5% de desconto.

Berlim
Håkan Dahlström Photography

Agora que você já sabe tudo o que fazer em Berlim, conta pra gente o que não ficaria de fora do seu roteiro!

Nossa viagem para Berlim foi organizada por Visit Berlin.

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.

Booking.com

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO QUE FAZER EM HANOI, VIETNÃ: DICAS DE VIAGEM
Próximo artigoGUIA COMPLETO DE UBUD, BALI. A CAPITAL CULTURAL DA FAMOSA ILHA NA INDONÉSIA
32 anos. Carioca. Colecionava carimbos no passaporte durante as férias, mas resolveu levar esse hobbie a sério. Jornalista, trabalhou com marketing por um bom tempo, mas deixou o mundo corporativo para viver uma vida com mais significado. Convenceu o Caio a se jogar no mundo e hoje se dá por satisfeita carregando um caderninho, uma câmera e um tapete de yoga.

7 COMENTÁRIOS

  1. Para mim, Berlim se destaca de todas as outras cidades que visitei. E’ tanta història, tanta atrocidade e ela ainda està là, em pé. Firme e forte!
    Aqui você colocou todos os pontos essenciais para uma visita! Tenho um post quase idêntico, no qual eu sofri para colocar apenas 10 atrações (porém, inseri um monte de parenteses – rsrsrsrsrs)!

  2. Berlin é uma cidade que quero muito visitar! Primeiro porque acho a Alemanha uma nação muito bonita, segundo pelas atrações da cidade da liberdade, como você descreveu. Especialmente os museus e a arquitetura – acho o prédio do parlamento lindo demais!

  3. De todos os passeios, a Ilha de Museus e o Mauerpark seriam as minhas prioridades! E o muro, né? Como vc falou, não tem como não mencionar e conhecer! :)Muito bem escrito seu post! Beijocas!

  4. Berlin ainda é um dos lugares que quero conhecer. Concordo com você quando diz que visitar o Memorial do Holocausto é muito marcante, mas deve estar num bom roteiro na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here