COMO É O PASSEIO PELO VALE SAGRADO DOS INCAS

Tudo para planejar sua viagem pelo mundo dos Incas

  • Adriana
  • -
  • 14 de fevereiro de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e baixe nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Se você quer conhecer lugares incríveis no Peru e tem interesse pela história da antiga civilização inca, eis um destino que não pode faltar no seu roteiro: o Vale Sagrado dos Incas. É verdade que Machu Picchu e Cusco são os destinos mais buscados na região, mas por que não aproveitar para conhecer outros povoados e ruínas igualmente incríveis?

Pois o Vale Sagrado dos Incas é daqueles lugares que consideramos imperdíveis no Peru: aqui pudemos encontrar antigos povos que mantêm suas tradições, vivendo em cidades e vilarejos que conseguem preservar suas características. Tudo isso cercado de muita natureza, ruínas e antigas construções que são uma verdadeira viagem no tempo.  

Vem com a gente entender melhor sobre esse passeio, conhecer as principais atrações e planejar sua visita ao Vale Sagrado dos Incas.

Vale Sagrado dos Incas- Valle
O Valle de Pisac

Saiba mais sobre o Vale Sagrado dos Incas

O que conhecemos hoje como Vale Sagrado dos Incas é um conjunto de 14 cidades e vilarejos ao redor de Cusco que, por muitos séculos, formaram o centro e coração do Império Inca.

A criação do Vale Sagrado dos Incas se deu entre os séculos X e XIV, quando os primeiros incas chegaram na região e criaram um governo responsável por administrar os vários povos locais. Diversos fatores fizeram o território ser perfeito para os Incas, como a proximidade de Cusco e o clima e altitude perfeitos para o plantio de milho, batata e outras espécies.

A região em si data de milhares de anos atrás, quando o vale foi formado pela força do rio Vilcanota ou Wilcamayu, que em quechua significa “rio sagrado”. No total, a área tem mais de 100 quilômetros de extensão.

Em 1537, o então Imperador Inca Manco Inca Yupanqui perdeu o que ficou conhecida como a “Batalha de Ollantaytambo” para o exército espanhol, que acabou tomando controle da região e deu início ao declínio do Império Inca.

Visitar o Vale Sagrado dos Incas é uma oportunidade única de aprender mais sobre a cultura e religião da antiga civilização. Você vai poder conhecer de perto muitos dos lugares em que viviam, ficar impressionado com as técnicas usadas para as plantações e se encantar com as histórias de rituais religiosos que faziam parte de sua cultura.

Vale Sagrado dos Incas: o que visitar

Como dissemos, são 14 cidades e vilarejos que formam o Vale Sagrado dos Incas. Tanto Cusco quanto Machu Picchu são considerados parte do Vale Sagrado, mas os passeios turísticos para o Vale Sagrado dos Incas normalmente são compostos por Pisac, Ollantaytambo e Chinchero. Além dessas, outros destinos que valem conhecer são Urubamba, Maras e Moray.

Confira abaixo um pouco sobre cada um desses destinos. A seguir, damos dicas de como planejar seu passeio pelo Vale Sagrado dos Incas.

Pisac

Localizada a 33km de Cusco, Pisac tem um dos sítios arqueológicos mais bem conservados do Vale Sagrado, mas também atrai muitos visitantes por conta da sua feira de artesanato com produtos locais, que ocorre toda terça, quinta e domingo.

As ruínas mostram com clareza o nível de sofisticação da agricultura e arquitetura dos Incas – há desde templos e fortalezas até enormes terraços agrícolas em Písac.

Ollantaytambo

Séculos atrás, Ollanta, como é chamada pelos locais, servia de passagem (e muitas vezes pernoite) para os Incas que estavam seguindo o caminho até Machu Picchu. O povoado ainda conserva muito da sua arquitetura e construções originais, pois foi um dos únicos locais que não foi completamente destruído pelos espanhóis durante o processo de colonização.

Vale Sagrado dos Incas -  Ollantaytambo 2
Vista da última cidade inca ainda viva

Em Ollantaytambo você também vai poder ver a montanha Pinkuylluna, onde ficam localizados dois antigos armazéns que eram responsáveis por guardar e fornecer alimentos para toda a cidade.

Vale Sagrado dos Incas - Ollamtaytambo 1
Os chamados “colca”, os armazéns de comida dos incas

Chinchero

O sítio arqueológico de Chinchero costuma ser a última parada do passeio tradicional ao Vale Sagrado dos Incas, antes do retorno para Cusco. Além das ruínas, o povoado guarda uma bela igreja colonial, decorada com peças da escola de arte cuzqueña.

Vale Sagrado dos Incas - Chinchero
Foto: Yusuke Kawasaki / CC BY 2.0

Urubamba

Pequena cidade às margens do Rio Urubamba, é ótima para quem quer dar um descanso das visitas às ruínas e fazer um passeio mais ligado à natureza.

Normalmente os tours feitos por agência para o Vale Sagrado dos Incas incluem uma parada estratégica para almoço em Urubamba. Mas há outras opções de passeios por lá, com destaque para o rafting no Rio Urubamba.

Salineras de Maras e Ruínas de Moray

Frequentemente visitadas juntas na maioria dos tours, Maras e Moray são dois vilarejos que guardam muitos fatos interessantes sobre a história do Peru.

Maras funcionava como uma mina de sal e é um belo exemplo da destreza e genialidade dos Incas, já que eles foram os responsáveis por desenvolver uma técnica – que funciona até hoje – para extrair sal marinho da água.

Vale Sagrado dos Incas - Maras
Admirando a incrível engenharia da Salinera de Maras

Já Moray funcionava como um vilarejo com função primariamente agrícola. Por lá, os Incas desenvolveram um sistema agrícola com diversos microclimas diferentes em um enorme anfiteatro, o que na prática significa que eles tinham a habilidade de produzir e testar diferentes espécies vegetais em um mesmo local.

Vale Sagrado dos Incas - Moray
Uma das construções mais incríveis que vimos. Um laboratório agrícola.

Veja mais sobre o passeio a Maras e Moray.

CONFIRA TAMBÉM: O que fazer em Cusco

Como visitar o Vale Sagrado dos Incas

Para visitar o Vale Sagrado dos Incas há algumas opções, incluindo fechar o passeio por agência ou ir por conta própria.

É importante saber que, para visitar o Vale Sagrado dos Incas, você precisa adquirir o Boleto Turístico de Cusco e Valle Sagrado, um passe de acesso aos principais destinos da região. Há 4 tipos de passes, com diferentes preços, duração e lugares incluídos. Saiba mais aqui.

Vale Sagrado dos Incas com agência

A maioria dos viajantes escolhe fazer um tour de 1 dia para o Vale Sagrado dos Incas. O tour faz um bate-volta de Cusco, passando por Pisac, Ollantaytambo e Chinchero.

O passeio guiado sai bem cedo de Cusco, fazendo a primeira parada do dia em Pisac. Aqui, você terá tempo de visitar o mercado de artesanato e seguir para as ruínas.

De Pisac, o tour costuma fazer uma parada em Urubamba para o almoço, seguindo para Ollantaytambo na parte da tarde. Em Ollanta, haverá mais tempo para explorar as ruínas e dar uma volta pelo povoado.

Já no caminho de volta para Cusco, ocorre a última parada em Chinchero.

Como fazer Vale Sagrado dos Incas + Machu Picchu na mesma viagem

Se você pretende seguir viagem para Machu Picchu, uma ótima opção é fazer seu passeio para o Vale Sagrado dos Incas e finalizá-lo em Ollantaytambo, sem retornar a Cusco.

Isso porque é em Ollantaytambo que você poderá pegar o trem para Aguas Calientes (ponto de partida para Machu picchu). Quem opta por esse roteiro acaba não vendo Chinchero, mas acaba ganhando em tempo e dinheiro, já que o trem de Cusco até Machu Picchu é bem mais caro.

Se você quiser comodidade, há tours que oferecem já o pacote completo Vale Sagrado dos Incas + Machu Picchu em 2 dias.

Vale Sagrado dos Incas - Machu Picchu
Combine o passeio do Vale Sagrado com Machu Picchu

Havendo tempo e oportunidade, não deixe de conhecer Maras e Moray. Nós curtimos muito conhecer esses dois destinos lindos e cheios de história. Para isso, você deverá fechar um passeio de um dia para Maras e Moray, que também saem de Cusco.

Vale Sagrado dos Incas por conta própria

Se você for como a gente e decidir visitar o Vale Sagrado dos Incas por conta própria, poderá escolher entre duas opções: alugar um carro ou fechar um táxi.

Nós saímos de Cusco e fizemos todo o Vale Sagrado dos Incas de carro – e adoramos! As estradas não são um exemplo de perfeição, mas não passamos nenhum sufoco ou dificuldade. Para alugar um carro em Cusco, sugiro fazer uma busca no site da Rentcars, que sempre mostra o melhor preço nas pesquisas. Não é necessário carro 4×4 pra esse passeio.

Há quem prefira fazer todos os passeios de táxi saindo de Cusco. Os preços variam mas, em média, você vai gastar cerca de 100 soles pelo trecho Cusco – Ollantaytambo. Você também pode combinar com o motorista de táxi o trajeto e um valor fechado.

Ah! Caso você decida visitar o Vale Sagrado por conta própria, poderá contratar um guia local na maioria dos vilarejos. É uma ótima opção para quem não abre mão de conhecer as ruínas e aprender mais sobre a cultura e história dos Incas.

Já sabe onde se hospedar?

Para conhecer o Vale Sagrado dos Incas, o mais indicado é fazer sua base em Cusco ou Ollantaytambo – tudo vai depender do roteiro que você está seguindo.

Dormir em Cusco é ideal se você pretende fazer só um bate-volta até o Vale Sagrado. Já o pernoite em Ollantaytambo é mais indicado se você for seguir o caminho até Machu Picchu, já que de Ollanta saem os trens até Aguas Calientes, o vilarejo que é porta de entrada para Machu Picchu.

Hospedagem em Cusco

Se você preferir se hospedar em Cusco, anote essas dicas: o Pariwana Hostel é uma ótima opção para quem procura uma hospedagem econômica; o Tierra Viva oferece acomodação central e uma das melhores vistas de Cusco; por fim, a Casa Andina fica no descolado bairro de San Blas, reduto dos artistas e dos bares e cafés mais legais da cidade.

Vale Sagrado dos Incas - casa andina
Nossa hotel em Cusco

Hospedagem em Ollantaytambo

Já em Ollantaytambo, a gente indica o Peru Quechua’s Lodge, um hotel mais afastado do centro que fica bem no meio da natureza; o Sol Miranda, que fica a poucos passos das ruínas e tem seu próprio restaurante especializado na gastronomia peruana; e o Doña Catta Inn, que une uma das melhores combinações de preço e conforto em Ollantaytambo.

Vale Sagrado dos Incas-Hotel
Quarto do Doña Catta Inn

Não se esqueça do seguro viagem!

Agora que você já conferiu tudo sobre o passeio ao Vale Sagrado dos Incas, lembre-se que um seguro viagem é indispensável para uma viagem tranquila e sem maiores estresses. Já precisamos de atendimento médico durante nossa viagem pela América do Sul e felizmente tínhamos o seguro para cobrir as despesas.

Por isso, recomendamos fazer uma pesquisa pela Segurospromo, que funciona como um bom comparador de preços, e escolher o seguro que melhor se adequa ao seu estilo de viagem. E usando o nosso código EMALGUMLUGAR5 você ainda ganha 5% de desconto.

E você, tem mais alguma sugestão de passeio no Vale Sagrado dos Incas? Conta pra gente!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Baixe agora nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Explore o/a Peru

Fazer Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-Nos No Instagram @emalgumlugardomundo