Turismo em Myanmar - Guia Prático de Viagem - EM ALGUM LUGAR DO MUNDO

MYANMAR

#emalgumlugardomundo

Myanmar, Mianmar, Burma ou Birmânia. Independente do nome que você escolher, é um destino que vai mudar sua concepção de Ásia para sempre.

O turismo em Myanmar se abriu há relativamente pouco tempo – o país ainda parece estar intocado e revela uma Ásia autêntica, ainda pouco globalizada se comparada a sua vizinha Tailândia, por exemplo.

Veja aqui tudo o que você precisa saber antes de planejar sua viagem a Myanmar. E boa viagem!

Um breve resumo sobre Myanmar

Myanmar. Terra de rubis, dos templos mais incríveis que você vai ver na vida e de um povo conhecido por sua gentileza e amabilidade.

Ainda assim, um país repleto de contrastes, onde templos revestidos de ouro ficam a poucos metros de zonas com esgoto a céu aberto.

Por isso, entender sua história política – um tanto quanto turbulenta – é essencial para de fato aproveitar o melhor do turismo em Myanmar.

História

Entre 1510 e 1886, após alguns séculos de fragmentação, o território foi unificado pela primeira vez, se tornando um Império que foi comandado, respectivamente, pela Dinastia Toungoo e pela Dinastia Konbaung.

Apesar de ter sido uma época violenta por conta de diversas guerras civis entre as suas diferentes etnias, essa foi também considerada a Era de Ouro para a cultura birmanesa, com o desenvolvimento da sua literatura e a construção de muitos dos templos que são visitados até hoje.

Mas, como grande parte do continente asiático, Myanmar também viria ser vítima do colonialismo das potências europeias, e após diversas guerras contra o controle da Companhia das Índias Orientais britânicas, o exército birmanês acabou sendo derrotado.

Como resultado, o país foi incorporado ao Império Britânico em 1885. As mais de sete décadas em que ficou sob sua influência deixaram sua marca no país, é claro, como o aumento do fluxo de imigrantes indianos, o grande aparato administrativo e a língua inglesa.

Assim como na Índia, a ocupação teve mais lados negativos do que positivos, como a pouca preocupação com as singularidades étnicas, culturais e religiosas do país.

O Myanmar finalmente declarou independência em 1948, mas a república, conhecida como União de Burma, durou pouco: em 1962, os militares deram um golpe de estado e tomaram o poder, dando início a uma época de muita pobreza, opressão e guerras civis – e a proibição do turismo no país. A

pesar de ter se tornado uma democracia em 2010, quando ocorreram as primeiras eleições democráticas (praticamente ontem, no contexto da história mundial), o país ainda é altamente influenciado pelos militares, que mantêm boa parte das cadeiras no parlamento.

Religião

É impossível falar sobre Myanmar sem falar do Budismo: mais de 87% da população segue a religião – o país conta, inclusive, com a maior proporção de monges per capita no mundo. Não é à toa que o Buddha Day ou Vesak, a celebração do nascimento do Buda, é um dos maiores eventos do calendário de Myanmar.

Informações úteis sobre Myanmar

Dinheiro

A moeda em Myanmar é o Kyat (MMK). O câmbio só pode ser feito já dentro do país e a melhor opção é levar dólares americanos. A moeda norte-americana também é aceita em alguns hotéis, restaurantes e atrações turísticas.

Vale a ressalva de que as notas de dólar – tanto para uso na cidade, quanto para o câmbio – devem estar em ótimo estado, com aspecto de novas, senão serão recusadas.

O uso de cartões de crédito ainda é restrito e o ideal é mesmo levar seu dinheiro em espécie. Em cidades maiores, como Mandalay e Yangon, você já consegue achar caixas eletrônicos, mas é melhor não contar com eles – em alguns, o limite de saque diário é de apenas USD 20,00.

Viagem para Myanmar - Dinheiro
Dinheiro do dia de um vendedor

Eletricidade

A voltagem utilizada é de 230V/50Hz. Quanto ao formato das tomadas, não esqueça de levar um adaptador universal em sua viagem a Myanmar, pois o país utiliza quatro formatos diferentes: O tipo C (Europlug) de dois pinos redondos; tipo D (também usado em países como Índia e Nepal), de três pinos redondos; tipo F (Schuko), de dois pinos redondos distantes um do outro; e o tipo G, que é a mais comum, de três pinos retangulares (como no Reino Unido).

Vistos

Brasileiros que viajam a turismo para Myanmar precisam de visto para entrar no país: ele pode ser solicitado online pelo site do Ministério de Imigração e População, o MOIP.

A partir da data de emissão do visto de turismo, você tem até 90 dias para iniciar sua viagem para Myanmar, podendo permanecer no país por até 28 dias.

O visto só pode ser usado uma vez e o custo é USD 50. Para tirar o visto, seu passaporte precisa ter pelo menos mais 6 meses de validade. Confira um passo-a-passo sobre como tirar o visto para o Myanmar.

Segurança e Saúde

Apesar dos problemas políticos que enfrenta, o país continua seguro para viajantes. Com o aumento da atividade turística, no entanto, furtos começaram a ser mais comuns perto de hotéis. É bom ter cuidados básicos de segurança durante sua viagem por Myanmar, mas nada com o que você deva se preocupar muito.

A vacina de febre amarela é obrigatória para turistas brasileiros, então não esqueça de tirar o seu certificado internacional de vacinação antes de viajar. Se seu período de turismo em Myamar incluir áreas mais rurais, também são recomendadas as vacinas contra raiva, hepatite A e B, malária, tétano, difteria, febre tifoide, encefalite japonesa e cólera.

A infraestrutura médica no país é precária. Em Yangon é possível encontrar algumas clínicas particulares, com atendimento bastante básico. Uma boa opção na cidade é a International SOS Clinic, que atende a maioria dos planos de saúde internacionais.

Já em Inle Lake, procure o (AEA) International Clinic. Em casos mais graves, podendo sair do país, o ideal mesmo é procurar ajuda em Bangkok ou Singapura.

Outro ponto importante é a questão de saneamento básico no país, que em muitas regiões deixa a desejar. Evite tomar água que não seja engarrafada e cuidado com alimentos crus: não são raros os casos de intoxicação alimentar por lá.

É extremamente aconselhável contratar um bom seguro antes de embarcar em sua viagem para Myanmar. Recomendamos fazer uma pesquisa no site da Segurospromo. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto.

Seguros Promo

Idioma(s)

O idioma oficial em Myanmar é o birmanês, mas o inglês é ensinado em todas as escolas (além de ter sido altamente disseminado pelo Império Britânico) e você não deve ter problemas em se comunicar, principalmente em atrações turísticas.

Festivais e eventos

Como o pais segue o calendário lunar, as datas exatas dos festivais costumam mudar todos os anos, então sempre pesquise informações atualizadas para o período de sua viagem. Seguem algumas das principais celebrações no país:

Shwedagon Pagoda Festival | um feriado budista de cinco dias em comemoração à lua cheia, que acontece normalmente em março, em Yangon. São feitas cerimônias de devoção a 28 estatuas de Buda diferentes.

Viagem para Myanmae - Pagoda em yangon
Shwedagon Pagoda

Taunggyi Hot Air Balloon Festival | como o nome diz, o foco desse festival são os balões, que são lançados aos céus como forma de agradecimento e de se livrar de maus espíritos. Acontece na cidade de Taunggyi, perto de Inle Lake.

Full Moon Day of Kason | acontece no segundo mês do calendário birmanês, que normalmente cai em maio. É também conhecido como Buddha Day ou Vesak, por ocorrer no dia em que Gautama Buda nasceu.

Turismo em Myanmar: o que ver e fazer

Yangon |É a cidade com a maior infraestrutura turística e costuma ser a porta de entrada para o país. Antiga capital da Birmânia, possui templos imponentes como o Pagode Shwedagon, revestido de ouro e com mais de 2500 anos de história; e o Pagode Chauk Htat Gyi, que tem uma das maiores estátuas de Buda reclinado, com 66 metros de largura. Já o Bogyoke Aung San Market é um mercado tradicional, onde você vai encontrar artesanato, joias e roupas com tecidos locais.

Viagem para Myanmar - Yangon
Ruas de Yangon

Bagan | Cidade pequena, mas que possui os templos mais incríveis do Myanmar, legado da época em que foi capital do Reino de Pagan (entre os séculos IX e XIII). Reserve ao menos 4 dias e escolha seus preferidos entre os mais de 2 mil templos – tarefa bem mais difícil do que parece. Destaques para o Pagode Shwesandaw, um dos melhores templos para apreciar o pôr do sol; Ananda Temple, que remota ao século XI e é um dos mais bem preservados da época; e o Shwezigon Pagoda, do século XI, um dos mais belos e mais visitados pelos moradores locais, pela sua proximidade com o mercado.

Viagem para Myanmar - Bagan
Bagan, um sonho!

Mandalay | É uma cidade grande, assim como Yangon, mas que guarda mais traços da cultura local. Também serve de porta de entrada para o Myanmar, pois possui um aeroporto internacional. Não deixe de subir até o Mandalay Hill, onde você encontra uma das melhores vistas da cidade. Fique para ver o pôr do sol e aproveite para visitar a bela Sutaungpyei Pagoda, que fica no topo. Outra Pagoda que vale a visita é a Sandamuni Pagoda, construída em 1802, que possui um Buda de ferro em seu interior.

Viagem para Myanmar - Mandalay Hill
Templo em Mandalay Hill

Arredores de Mandalay | use a cidade como base para conhecer alguns destinos próximos, como Inwa, Mingun e Amapura. Espere encontrar lindos templos como o Pagode Mingun e o templo branco de Hsinbyume, além da maior ponte de madeira do mundo, a U Bein Bridge, que rende fotos incríveis.

Viagem para o Myanmar- U Bein Bridge
U Bein Bridge, a ponte feita de madeira

Inle Lake | É o segundo maior lago do Myanmar, mas o que atrai milhares de visitantes todos os anos são seus pescadores, conhecidos como bailarinos pela forma exótica como pescam, que muito lembra uma dança. Aproveite para conhecer também os vilarejos flutuantes, que abrigam desde as casas dos moradores até mosteiros e pagodas.

Viagem para o Myanmar - Inle Lake
Os incríveis pescadores em Inle Lake

Praia de Ngapali || Sim, existem praias lindas no Myanmar! A Praia de Ngapali é considerada uma das mais belas do sudeste asiático, fica a 400km de Yangon e pode ser uma experiência interessante se você tiver tempo sobrando. A água é cristalina, morna e as areias espantam pela claridade – o que provavelmente vai acabar em breve com o aumento do turismo na região.

Viagem para o Myanmar - Ngpali Beach
A praia mais bonita do Myanmar

O Myanmar está cheio de lugares incríveis para serem explorados. Para um pouco mais de inspiração, confira nossa lista com 10 lugares que você precisa conhecer no Myanmar.

Acomodação em Myanmar

Recomendações de hospedagem em Myanmar

Yangon | The Loft Hotel Downtown Yangon, 15th Street @ Downtown Yangon, Backpacker Bed & Breakfast

Bagan | Sky View, Shwe Nadi Guest House, Sakura Inn

Mandalay | Kaung Myint Hotel, Ayarwaddy River View Hotel

Inle Lake | Sanctum Inle Resort, Hotel Amazing Nyaung Shwe

Visão geral

Apesar de ficar no Sudeste Asiático, as acomodações de Myanmar não exibem preços baratinhos iguais aos dos seus vizinhos Tailândia e Laos, mas não se assuste: os preços ainda são em conta.

Em Mandalay, procure acomodações centrais, próximas do Mandalay Palace e do mercado, onde existe uma boa gama de hotéis. Já em Yangon, pesquise pela área de Downtown Yangon, que é o centro da cidade e fica pertinho das principais atrações turísticas, como Pagode Sule.

Como o turismo ainda é uma atividade em desenvolvimento, não existem milhares de opções à disposição, ou seja, vale reservar seu hotel com antecedência – principalmente durante a alta temporada. Para achar a melhor oferta de hotéis, usamos sempre o Booking.com.

Transporte em Myanmar

Do Brasil, a melhor maneira de chegar é via Bangkok. De lá, você tem a opção de pegar um voo da Air Asia que te deixa em Yangon ou Mandalay em apenas uma hora. Normalmente nós usamos os sites Skyscanner e Momondo para comparar preços e comprar passagens.

Para voos internos, a melhor companhia área é a Asian Wings, mas há outras opções como a Air Bagan e a Air Mandalay. Para essas últimas, não existe a opção de compra online, já que ainda não existe estrutura de e-commerce no país.

Ao entrar no site, você faz apenas a reserva das passagens e recebe um número da compra no seu e-mail. Para de fato finalizar a compra, você precisa ir ao escritório da empresa já no país e pagar a passagem em dinheiro, normalmente no próprio dia do voo. É possível também comprar seus voos domésticos através de uma agência de viagens.

Há outras formas de deslocamento entre cidades, incluindo ônibus, trens e até mesmo ferry, dependendo do destino. Para isso, recomendamos o site 12GoAsia, que mostra todas as opções de trajeto entre as cidades.

Viagem para o Myanmar - Onibus
Transporte público nno país não é dos mais modernos
Powered by 12Go Asia system

Para se locomover dentro das cidades, o serviço de taxi é a opção mais comum, com um preço bem em conta. Um problema é o trânsito que tem se tornado cada vez mais caótico, principalmente em Yangon. As bicicletas elétricas são uma boa pedida para explorar Bagan, já que os templos ficam bem distantes uns dos outros. A diária costuma ficar por volta de MKK 8.000.

Quando ir a Myanmar

O país possui um clima tropical e fica localizado em uma área de monções, ou seja, de maio a novembro as chuvas são constantes. A melhor época para uma viagem para Myanmar o país é justamente fora dessa temporada, de dezembro e abril, quando o clima é mais seco.

O clima de Myanmar costuma ser quente durante o ano todo, alcançado o pico nos meses de fevereiro/março – entre 30ºC e 40ºC. As temperaturas são mais amenas de novembro a fevereiro, entre 18ºC e 29ºC.

Se tiver flexibilidade, tente ir durante dezembro e janeiro para aproveitar o melhor do clima do país – mas tenha em mente que as passagens serão mais caras. Para fugir dos preços exorbitantes, vale ir em novembro ou fevereiro.

O que levar na mala em uma viagem para Myanmar

Assim como em outros países do sudeste asiático, as principais atrações de Myanmar são seus templos. Roupas decotadas, curtas ou que mostrem os ombros, são proibidas tanto para homens quanto mulheres. A dica é sempre levar na mala lenços (deixe sempre na bolsa durante seus passeios), calças de algodão (ótimas para o calor) ou saias compridas para mulheres.

Além disso, leve sandálias abertas e confortáveis, já que você precisará tirá-las para entrar nos templos. Vale levar também um pacote de lenços umedecidos para limpar seus pés ao sair dos templos e álcool em gel.

De um modo geral, dê preferência para roupas com tecidos leves e não sintéticos, pois o calor pode ser bem forte. Apesar de não fazer muito frio no país, vale também levar um casaco leve para os deslocamentos de avião e lugares com ar-condicionado.

Protetor solar é indispensável em qualquer época do ano. Você vai andar praticamente o dia inteiro debaixo do sol, que pode ser brutal entre 11 da manhã e 3 da tarde. Não esqueça também de levar repelente, especialmente útil para as áreas mais rurais do país.

Remédios s.o.s. não ocupam muito espaço na mala, e levar cópias de documentos é sempre uma boa recomendação.

Para mais dicas, veja nosso post sobre o que levar em uma viagem para o sudeste asiático.

E lembre-se: antes de montar sua mala, cheque as restrições das companhias áreas, principalmente se for fazer voos internos. A Air Asia, por exemplo, permite apenas viajar com bagagem de mão de até 7kg.

O que comer em Myanmar

Bifum | macarrão de arroz, base para a maioria dos pratos que você irá comer. Normalmente vem acompanhada de uma carne, como frango picante e diversas especiarias e temperos.

Lahpet | Conhecida como Tea Leaf Salad, é uma opção refrescante para dias quentes. É feita com folhas de chá verde em conserva, tomate, repolho e amendoim torrado, podendo ou não ter algum fruto do mar de acompanhamento.

Nangyi thoke | outra salada típica, dessa vez misturando bifum com curry de frango a moda birmanesa. Normalmente vem acompanhada de um ovo cozido e cebolas.

Mont Lone Gyi | sobremesa feita de bolinhas de arroz com recheio de coco. Tudo frito e crocante.

Lichia | fruta super comum por lá, é a base para diversas bebidas deliciosas, inclusive refrigerantes!

Aproveite:

Lonely Planet Myanmar (English Version)

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

MYANMAR: Explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

Porque um dia de semana qualquer em Arraial do Cabo com o pessoal da @lagostrilhas sempre rende foto boa!#emalgumlugardomundo #arraialdocabo #destinosimperdiveis #topdestinos #turismobrasil

Essa foto tá pra sair do forno tem tempo, mas a correria do dia a dia tem nós mantido meio distantes daqui.
Daí hoje fizemos uma pausa pra refletir sobre a rotina que “rouba” nosso tempo.
É muito bom estarmos tão envolvidos com o blog e com os projetos que tocamos. E sim, viver do nosso blog de viagem dá muito mais trabalho do que muitos imaginam! Mas é muito bom e só temos a agradecer.Afinal, graças a ele conhecemos tantos lugares maravilhosos. Alguns do outro lado do mundo, outros pertinho do nosso – até então – lar oficial.Um dos últimos destinos que conhecemos foi a Cachoeira do Saco Bravo, em Paraty. Pra chegar nela, encaramos uma trilha de 9km saindo de Ponta Negra, uma vila Caiçara próxima a Trindade e Praia do Sono. Bem cansativa, mas não poderia ter melhor recompensa do que esse visual: uma piscina natural, formada por uma cachoeira na beira do mar!
Por mais viagens assim. E por mais momentos de reflexão e felicidade por nossas escolhas de destinos e de vida!
.
.
.
.
.
#emalgumlugardomundo #paraty #costaverde #destinosimperdiveis #destinosbrasileiros #mtur #qualviagem #embarquenaviagem #errejota #turismobrasil #proximaviagem #achadosdasemana #gostariadeiroficial

😃 Uma praia dessas é mais felicidade que um parque de diversões sem fila!!! É não é que é essa a sensação mesmo? Parando aqui pra pensar e agradecer pelo quanto a gente é sortudo na vida por ter momentos maravilhosos em lugares paradisíacos assim – e vazios na baixa temporada 🙏❤️ A belezura de Trindade nos diazinhos de sossego que passamos na @pousada_cabeca_do_indio e fomos diversas vezes à Praia do Cachadaço. 🏝
Conta pra gente: qual seu destino preferido pra curtir um momento relax?#emalgumlugardomundo #trindade #paraty #mtur #destinosbrasileiros #missaovt #revistaqualviagem #embarquenaviagem #praiasbrasileiras #achadosdasemana #errejota #proximaviagem #viajarfazbem

Ainda sobre Trindade: essa é a piscina natural do Cachadaço (ou Caixa D’Aço). Pude muitas vezes contemplar esse lugar lá de baixo, mas a vista de cima dela é incrível!
O legal daqui é que, mesmo com o mar  bem agitado, as pedras dão a proteção ideal para um mergulho bem tranquilo!#emalgumlugardomundo #paraty #trindade #destinosbrasileiros #mtur #qualviagem #destinosimperdiveis

Tem horas que tudo que a gente quer é brincar. Como é bom voltar a ser criança, mesmo que seja por alguns poucos minutos!#emalgumlugardomundo #paraty #trindade #embarquenaviagem #destinosbrasileiros #mtur #viagemeturismo

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!