Dicas da Suíça: o que saber antes de viajar para a Suíça | Em Algum Lugar do Mundo

DICAS DA SUÍÇA: O QUE SABER ANTES DE IR

Tudo que você precisa saber antes de viajar para o país

  • Adriana
  • -
  • 26 de março de 2020
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Vai viajar para Suíça e quer saber mais sobre como será sua vida de turista no país? Será que é tudo tão caro e as paisagens são tão deslumbrantes assim? Ou você está na dúvida do que levar, onde se hospedar, o que vale a pena conhecer?

Dica da Suíça - Drindelwald e Dri no lago
Lago Bachalpsee

Nesse post reunimos as melhores dicas da Suíça, com tudo de importante que você precisa saber antes de visitar o país. Você vai conferir informações e dicas sobre:

  1. Dinheiro na Suíça
  2. Seguro viagem para Suíça
  3. Como chegar e circular
  4. Onde se hospedar
  5. Comida
  6. Idioma
  7. Aspectos culturais
  8. O que fazer na Suíça
  9. Melhor época para viajar para Suíça
  10. O que levar na mala

Dinheiro na Suíça

A moeda da Suíça é o franco suíço e não o euro, pois o país não faz parte da união europeia.

Dica da Suíça - Franco Suíço
Franco Suíço

E assim como a libra esterlina (moeda da Inglaterra), o franco é sempre mais caro que o euro, então conte com um câmbio dolorido.

O euro dificilmente é aceito na Suíça, então você terá que fazer o câmbio quando chegar no país.

Dica | Para comprar euros, procure sempre uma agência de câmbio online com boa reputação. Nós temos usado o Cotação, que é super seguro, tem um ótimo valor e ainda entrega em casa.

A suíça é cara mesmo?

A resposta mais simples para essa pergunta é: sim. Mas no fim das contas, depende. Algumas coisas têm preços bem na média europeia, enquanto outras custam mesmo os olhos da cara. 

Compras no mercado saem bem mais em conta do que comer em um restaurante. A regra vale para qualquer lugar do mundo, mas na Suíça mais ainda. Então uma boa dica é ficar em um hotel ou hostel com cozinha para economizar. 

Quanto custa viajar pela Suíça

Um cappuccino básico vai custar entre 5-8 CHF, ou seja, cerca de R$30. Já uma refeição em restaurante pode consumir 15-20 CHF do seu orçamento, o que equivale a mais de R$80. 

Uma cama em um hostel custa a partir de 30 CHF por noite, enquanto um quarto de hotel básico em uma cidade como Lucerna sai por cerca de 100 CHF, e uma viagem de trem de três horas pelo país pode custar 70 CHF. 

Mas não se desespere! Há maneiras de viajar pela Suíça sem ter que vender um rim para isso. 

Dicas para economizar na Suíça

  • Fique mais tempo nas cidades: já que as viagens de trem são super caras na Suíça, vale à pena cortar uma cidade ou outra do roteiro e ficar mais tempo naquela que você achar interessante. Se tiver mesmo que se deslocar, vá de ônibus. Uma viagem pela Flixbus vai te custar um quarto da viagem de trem!
  • Vire vegetariano por uns dias: a carne na Europa é cara, na Suíça é mais cara ainda. Então focar nos vegetais vai te fazer economizar um bocado. O Migro e o Co-Op são os principais supermercados da Suíça e alguns vendem refeições prontas se você não tiver uma cozinha no hotel.
  • Beba a água da torneira: economize dinheiro e ajude meio ambiente ao não comprar água engarrafada na Suíça. A água da torneira é perfeitamente segura para beber! 
  • Corte a bebida alcoólica: beber não é barato na Suíça, então sair para um barzinho pode sair muito caro. Uma dica é comprar um bom vinho francês no supermercado. Você pode encontrar alguns mais baratos do que no Brasil.  
  • Faça trilhas: enquanto a Suíça é conhecida por ser cara, também é conhecida por ser linda. Os viajantes se encantam com os lagos alpinos, montanhas com picos nevados e prados floridos. Então esqueça os shopping center e vá caminhar!

Seguro viagem é obrigatório na Suíça

Antes de viajar para Suíça, você precisa saber que o seguro viagem é obrigatório no país.

A Suíça é um dos países que faz parte do Tratado de Schengen, em que é exigido dos viajantes a comprovação de um seguro viagem com cobertura mínima de € 30.000. Esse seguro deve cobrir despesas por doença ou acidente durante a viagem.

Ou seja, nada de viajar para Suíça sem um seguro viagem!

Portanto, recomendamos que você acesse nossa página de seguros para tirar suas dúvidas, fazer uma pesquisa e encontrar a melhor cotação. E usando o nosso código EMALGUMLUGAR5 você ganha até 10% de desconto (5% com o cupom + 5% com pagamento via boleto bancário).

Como chegar e circular na Suíça

Como chegar na Suíça

Se você vai viajar para Suíça, saiba que os voos mais baratos costumam ser para Genebra e Zurique. Há alguns bons voos também para Basiléia, na fronteira com a Alemanha e a França.

Saindo do Brasil, a Swiss Airlines faz voo direto de São Paulo para Zurique. Há outras companhias que fazem escala nas principais cidades européias, como TAP, Latam, KLM e Air France. Nós sempre pesquisamos preços de passagens pelos sites Skyscanner e Momondo.

Comprando com antecedência, uma passagem de ida e volta para Suíça custa por volta de R$2.500 pela TAP, e o voo dura em média 14 horas.

Quem já está na Europa pode conseguir passagens em cias low cost, como Ryanair e Easyjet. Uma passagem de ida e volta pode sair por R$200 partindo de cidades como Berlim e Viena. Fique atento que as cias aéreas podem cobrar as bagagens à parte.

Como se locomover na Suíça

Trem

O trem é rei na Suíça! Rápido, funcional e com infraestrutura impecável, este meio de transporte é o mais cômodo e mais rápido para se deslocar dentro do país.

Além disso, viajar de trem é a melhor forma de apreciar a beleza do país. As viagens são confortáveis e a bela paisagem está garantida. No entanto, como dissemos antes, é bem caro.

E na Suíça você pode usar o Swiss Travel Pass, que são tíquetes que dão direito a um certo número de viagens de trem em um determinado período de tempo.

Dica da Suíça - Trem
Utilize o trem para viajar pela Suíça

Há vários tipos diferentes e os preços variam de acordo com a classe escolhida – primeira ou segunda classe. Você deve comprar o Swisspass com antecedência e escolher o passe com duração de 3, 4, 8 ou 15 dias.

Vale a pena comprar o Swiss Travel Pass?

Como o passe mais barato custa quase R$1.000, muita gente se pergunta se vale a pena investir em um Swiss Travel Pass. Bom, isso depende.

Se você planejar fazer ao menos duas viagens de trem turísticas, daquelas que passam por lugares cênicos como Jungfraujoch (o trem mais alto da Suíça) ou for subir no bondinho de Schilthorn, então o passe vai te ajudar a economizar uma grana.

Se a sua viagem for só de Zurique para Geneva, por exemplo, então uma passagem normal vale mais a pena. Nesse caso, você pode dar uma olhada no site da Eurail e fazer a comparação.

Mas lembre-se de comprar a passagem com antecedência porque no dia elas chegam a custar três vezes mais!

Ônibus

Para quem quer economizar, viajar de ônibus é geralmente a melhor alternativa. Muitas cidades são acessíveis por ônibus, mas fique atento porque em algumas só haverá a opção de trem. Para passagens de ônibus, dê uma olhada no site da Flixbus, que tem ótimos preços.

Carro alugado

Já para quem curte dirigir ou prefere ter liberdade no seu roteiro, a melhor opção é alugar um carro. Nós viajamos muito de carro pela Suíça e sem dúvidas valeu a pena. Para alugar carro, recomendo a Rentcars, um site que funciona como comparador de preços e sempre indica o valor mais baixo – ainda é possível pagar em reais, em até 12x sem juros e sem IOF.

Onde se hospedar na Suíça

Agora que você já concluir que viajar para Suíça pode ser mesmo caro, imagino que você deve estar pensando em levar uma barraca e acampar em qualquer cantinho por aí. Dá medo mesmo. 

Mas não criemos pânico! Basta se dedicar à pesquisa para encontrar acomodações mais econômicas (mas nem tanto) e confortáveis.

Nós selecionamos alguns hotéis e hostels em alguns dos principais destinos da Suíça:

Zurique

O City Backpacker Biber fica pertinho do centro de Zurique e tem diáriascom um ótimo custo x benefício.

Já o Primestay Apartmenthaus Zürich Seebach é um apart-hotel também com preço acessível, mas que fica a 6km do centro, então conte com algumas viagens de trem pela cidade. A cozinha é compartilhada e pode ser usada mediante um pagamento adicional (a roupa de cama também, então fique ligado nesse detalhe).

Geneva

O Geneva Hostel fica a apenas 800 metros do centro. Não há quartos duplos ou twin, apenas compartilhado. Mas o café da manhã está incluído e o wi-fi é gratuito!

No Hotel St. Gervais o café da manhã também está incluído no preço ele está super bem localizado, a apenas 350 metros do centro de Geneva.

Berna

O Bern Backpackers Hotel Glocke é oum dos mais baratos da cidade, mas nem por isso é ruim. E a localização é ótima, pertinho do centro.

O BS16 é outro com bom preço. No entanto, o hotel está a longos 11 km do centro. Há um ótimo café da manhã sendo servido todos os dias, mas não está incluído na diária.

Já o Ibis Budget Bern Expo está a apenas 1,5 km do centro. Algumas diárias incluem o café da manhã, enquanto as mais baratas vêm sem café incluído, que pode ser pago à parte.

Lugano

A capital de língua italiana da Suíça é menos turística e um pouco mais barata. O Hotel&Hostel Montarina tem quartos compartilhados, individuais, duplos e twins a preços diferentes. A wi-fi é gratuita e o café da manhã é pago à parte.

O Hotel Dischma  tem três estrelas, está a pouco mais de 1km do centro e tem diárias por um ótimo preço, considerando que estamos falando de Suíça.

Comida na Suíça: experimente o autêntico fondue!

Você pode já ter experimentado o fondue antes, mas nada como saborear um autêntico fondue na Suíça.

O prato é basicamente queijo derretido em uma vasilha que fica sobre o fogo todo o tempo, onde mergulhamos pedaços de pão artesanal e comemos. No Brasil, como em outros países, acrescentaram frutas, carne e vegetais. Mas na Suíça só se usa pão mesmo.

Outro prato famoso da Suíça é a Raclette, um tipo de queijo derretido que é servido em uma grelha especial e acompanhado de pão e vegetais. Restaurantes geralmente servem as duas especialidades e outros pratos com queijo.

Onde comer fondue na Suíça

O restaurante Chäsalp fica em Zurique, no alto da montanha, e é mais popular entre os locais do que entre turistas. Uma visita a este charmoso chalé de madeira é a garantia de uma autêntica experiência suíça!

Dic da Suíça - Fondue
O delicioso fondue de queijo

Também em Zurique, os restaurantes Raclette Stube e Raclette Factory são bem centrais e se tornaram conhecidos entre os amantes dos queijos suíços.

Outras comidas típicas da Suíça

Nem só de queijo vive a Suíça. Aproveite para experimentar outros pratos tradicionais, como o Zurcher Geschnetzelte: feito de carne ou fígado de vitela,o prato é cozido com champignon, cebola, vinho e creme de leite.

Tem também a St. Galler Bratwurst, uma salsicha de carne de vitela recheada com bacon e especiarias e assada na brasa. Uma batata rosti é o acompanhamento perfeito.

Outro prato que adoramos foi o Alplermagronen, uma mistura de queijos suíços, macarrão, cebola, batata, creme e leite, maçã e até bacon. Super inusitado e uma delícia!

Gorjeta na Suíça

A gorjeta na Suíça é totalmente opcional, por isso ninguém espera que você dê gorjeta. Você pode se quiser, caso o serviço for espetacular e você tiver dinheiro sobrando. Mas ninguém vai ficar de cara feia se você pagar a sua conta e pronto.

Na hora de passar o cartão, a máquina vai te perguntar se você quer dar gorjeta, mas você pode simplesmente apertar o “não” e pagar a conta sem gorjeta mesmo.

Isso acontece porque apesar de ser um país caro, os salários na Suíça são relativamente bons, então quem trabalha na gastronomia não depende de gorjetas para sobreviver. 

Idioma na Suíça

O país tem quatro línguas oficiais: alemão, francês, italiano e romeno. Cada uma é falada em uma região e nem todos os habitantes falam todas as línguas.

De um modo geral, quanto mais oeste você chegar (em direção à França), mais francês você ouvirá. Quando você ao sul (em direção à Itália) você vai começar a ouvir algum italiano. E próximo à Alemanha, ao norte, ouvirá mais alemão.

Mas não se anime se você souber souber um pouco de alemão. O dialeto local é a língua mais falada do país, mas é também completamente diferente do alemão padrão. Tanto que tem um nome diferente, sendo conhecido como Schwizerdütsch, que é só um jeito complicado de falar “alemão da Suíça”.

Já o francês e o italiano soam bastante parecidos com as variantes faladas em seus países de origem, no caso a França e a Itália. Por sorte estas também são mais parecidas com o nosso português. Já a língua menos falada é o romeno, que é o idioma nativo de apenas 1% da população da Suíça. 

Então na hora de viajar para a Suíça, lembre-se de dar um Google para saber que idioma é falado na sua cidade de destino. No entanto, não há com o que se preocupar, porque em hotéis e resorts de esqui a maioria das pessoas fala inglês bem.

Aspectos culturais da Suíça: o que esperar dos suíços

Se você estiver viajando sozinho, foque nos hostels e tente fazer amizade com outros viajantes. Os suíços são famosos por serem super reservados e é bem difícil fazer “amigos para sempre” durante uma estadia curta no país.

Se você estiver em grandes cidades como Zurique, Geneva ou Lucerna, pode até ter mais contato com estrangeiros que vivem no país, mas os suíços mesmo dificilmente vão te convidar para um fondue na casa deles.

Isso não significa que eles sejam mal educados ou grossos, então não precisa ter medo de pedir informação na rua. Eles só fazem parte de uma daquelas culturas menos soltas, que falam mais baixo, se contêm um pouco.

No entanto, os estrangeiros que moram ou viajam para a Suíça logo aprendem que, apesar de reservados, os suíços não têm medo de encarar. Isso tem até nome: a encarada suíça.

Seja no trem, no mercado ou em qualquer lugar público, você vai perceber uma doce senhora te olhando fixamente por muito tempo. Muito tempo mesmo. Mais do que o aceitável em nossa cultura. 

Se for o caso, não se preocupe. Não é você, são eles. Os suíços entendem o encarar como curiosidade e não têm vergonha de olhar os outros dos pés à cabeça. Sejam estrangeiros ou locais. Fique na sua e continue seu caminho.

O que fazer na Suíça

Uma das melhores dicas da Suíça é entender que, apesar de pequeno, cada lugarzinho desse país tem muito a oferecer. Você irá encontrar diferetes museus, montanhas e atrações turísticas próprias.

Nós já escrevemos posts cheios de dicas de alguns destinos da Suíça, confira:

Dic da Suíça - Interlaken
Interlaken

Mas de uma forma geral, vale seguir essa premissa ao viajar para Suíça:

No verão, tome banho nos lagos!

A Suíça não tem litoral, mas tem dezenas de lagos lindos, cercados por montanhas e prados verdejantes (chique, né?). No inverno eles são congelantes ou estão congelados, então não dá nem para sonhar com um mergulho. Mas no verão, a pedida é nadar.

Então, se sua viagem para Suíça coincidir com os meses mais quentes do ano – entre maio e setembro, se tiver sorte – faça como os locais e procure o lago mais próximo para passar o dia.

É de graça e a experiência será inesquecível. No entanto, como você provavelmente não conhece o local, peça dicas no hotel e pergunte por aí para saber se é permitido.

No inverno, vá esquiar!

Seu sonho é viajar para a Suíça e ver neve, esquiar e tomar um chocolate quente em um chalé super romântico? Pois não faltarão opções de destinos inríveis.

Um dos lugares mais buscados é Interlaken: tanto a cidade quanto seus arredores estão cheios de paisagens deslumbrantes, que irão satisfazer qualquer viajante que queira brincar na neve nos alpes suíços.

Dic da Suíça - Ski
Ski nos Alpes suíços

Outra opção é a cidade de Zermatt: é aqui que está o Matterhorn, a montanha mais famosa da Suíça – ela está estampada na embalagem do toblerone, o chocolate triangular conhecido no mundo todo.

Há também St. Moritz, mais à leste do país. Essa cidade que colocou a Suíça no mapa dos esportes de invernos e aqui estão as pistas de esqui mais antigas do mundo. 

Se você curte jazz, visite Montreux

O jazz pode ter nascido nos Estados Unidos, mas foi uma cidade Suíça que o tornou famoso mundialmente. Montreux fica às margens do Lago Léman, na fronteira com a França, e desde 1967 recebe um festival anual que jazz.

O festival acontece no começo de julho, no alto verão europeu, mas uma visita à cidade é o suficiente para entender o legado deste festival. Uma dica é passar pelo Palácio Fairmont Le Montreux, onde acontece o festival. Outras obras estão por toda parte, já que a cidade respira arte. 

Melhor época para visitar a Suíça

Se você quer aproveitar todas as dicas da Suíça para fazer uma viagem inesquecível, é importante saber quando viajar para o país.

De uma maneira geral, a melhor época para visitar a Suíça é durante a primavera e o outono, ou seja, entre abril e junho, e de setembro a outubro. Nesses períodos a temperatura é mais moderada (leia-se, menos fria!) e não há tantos turistas.

A alta temporada é de julho a agosto, quando fica mais quente. Mas nessa época os turistas chegam em massa e viajar para Suíça pode ficar até 50% mais caro.

No entanto, quem dita a melhor época para visitar a Suíça é o seu roteiro e o que você quer fazer.

Nadar em lagos, praticar paragliding ou fazer trilhas nas montanhas é melhor nas épocas mais quentes. 

Já quem quer esquiar ou praticar outros esportes de inverno pode marcar a passagem entre os meses de dezembro e março. A temporada é mais baixa em todo o país por conta das nevascas, exceto nas estações de esqui, onde a neve fofinha ajuda os esportistas a deslizar melhor montanha abaixo.

O que levar na mala para a Suíça

Fazer a mala para viajar para Suíça significa prever diversas temperaturas e terrenos.

É claro que no inverno e no verão as necessidades são diferentes, mas há certas dicas que você precisa ter em mente na antes de embarcar. Confira o que não pode faltar na sua mala:

  • Casaco corta vento: mesmo no verão, você provavelmente vai querer ir ao alto de uma montanha, onde venta muito. Por isso um casaco leve, mas que proteja contra o vento, é uma ótima escolha. Além disso, eles ocupam pouco espaço na mala!
  • Bota de caminhada: mesmo que você não vá fazer uma trilha de horas, provavelmente vai caminhar bastante entre um ponto e outro. Um sapato confortável e fechado, que funcione em todas as estações, é essencial.
  • Chinelos: a Suíça tem lagos no verão e saunas no inverno, além daquele chuveiro de hotel do qual todos desconfiamos. Não esqueça o chinelo de dedo!
  • Protetor solar: não só para o verão, mas também no inverno, pois o sol queima bastante no alto da montanha, quando refletido na neve.
  • Remédios: um simples remédio para dor de cabeça custa caríssimo na Suíça, então monte uma farmacinha e leve com você. Não esqueça os remédios contra dor muscular para o fim de um dia de trilha ou esqui.
  • Roupas de frio: pense em roupas estratégicas para fazer camadas. Um casaco mais pesado é o suficiente, mas embaixo dele você pode colocar uma segunda pele e quantas roupas quiser. Além disso, leve uma luva, um cachecol e um chapéu/gorro. De novo: mesmo no verão, a temperatura no alto na montanha é bem fria!

Aproveite nossas dicas da Suíça e tenha uma ótima viagem!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Suíça: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

O carnaval acabou! E agora? Onde você queria estar nesse momento? A gente: Playa Hermosa na Costa Rica!#emalgumlugardomundo #costarica #visitcostarica

Uma nova amizade! Conheçam Zuleide, uma tartaruguinha verde que conheci hoje no mar de Arraial do Cabo! Ficamos ali um tempinho batendo um papo sobre como está o mundo hoje… a maré tá boa por aí?A propósito: o mar de Arraial do Cabo continua assim, lindo!
#dive #emalgumlugardomundo #seasheperd #mergulho

Imagina acampar em um lugar assim? ?️ Pois nós dormimos 3 noites em uma dessas cabanas e foi in-crí-vel!Na verdade não se trata de um camping em si. Essa é um tipo de acomodação mais básica, que encontramos no @selina em La Fortuna, na Costa Rica.
Mas apesar de parecer uma “simples” barraca, ela tinha uma cama super confortável e era tão estilosa por dentro como por fora.
O melhor: o preço era mais baixo do que o de um quarto comum, sem deixar nada a desejar no quesito conforto. E a gente podia usar toda a dependência do hotel, incluindo piscina, cozinha… E vc, passaria uma noite numa cabana dessas?

COSTA RICA NÃO É SÓ PRAIA!
Se vc acha que o país (que por sinal é um dos lugares mais biodiversos do mundo) tem só belas praias a oferecer, dá uma espiada nessa beleza.
Uma das cachoeiras mais bonitas que visitamos na Costa Rica foi a Catarata Rio Fortuna, com nada menos que 75 metros de queda d’água.E para se banhar nessa maravilha, é preciso encarar uns 500 degraus de escadaria. Dica: desça na maior empolgação pra dar um mergulho nessa belezura e deixa pra sofrer na volta ?
Nós fomos não época de chuvas e mesmo assim a água estava linda!
O que pode acontecer nessa época é que, devido ao grande volume de água, o mergulho na piscina principal seja proibido por questões de segurança. Mas dá pra se banhar logo adiante, no rio formado pela cachoeira. Então tá valendo o “esforço” de qualquer jeito!E vc, tb curte uma cachoeira ou prefere mesmo uma praia?#costarica #lafortuna #emalgumlugardomundo #nature #waterfall

? ??Viajar pela Costa Rica de carro foi uma das melhores aventuras que vivemos!
A gente ama a liberdade de dirigir pelo desconhecido, fazer as coisas do nosso jeito, no nosso tempo.
Sabiamos que não iríamos muito longe alugando um carro comum, porque algumas estradas por lá são impraticáveis – então já fechamos num 4×4 da @nomad_america pra não ter erro. E gente, não é em qualquer lugar que a gente pode alugar um carro com barraca de camping e dormir em uma praia deserta, né? ?️?️ E foi assim que cruzamos rios e acampamos em lugares incríveis – tudo isso vivenciando uma conexão incrível com a natureza selvagem desse país que tanto nós surpreendeu ?

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!