MARAS E MORAY: PASSEIO IMPERDÍVEL SAINDO DE CUSCO

Mostramos como é o tour para esses dois lugares lindos e muito importantes na história da civilização inca.

  • Caio
  • -
  • 8 de outubro de 2018
  • Um Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e baixe nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Se você quer conhecer mais sobre a cultura inca durante sua viagem pelo Peru, existem dois lugares maravilhosos que não podem ficar de fora do seu roteiro: Maras e Moray. Não há dúvidas que a civilização inca dominava arquitetura, agricultura, astrologia e outras ciências. E fazendo um tour para as Salineras de Maras e para as Ruínas de Moray, você vai poder constatar que esse povo realmente estava à frente do seu tempo.

É claro que sua viagem deve incluir Cusco e Machu Picchu, dois dos destinos mais icônicos do Peru. Mas no caminho entre uma e outra, há uma preciosidade que não deve ser ignorada: uma região lindíssima conhecida como Valle Sagrado (confira tudo sobre o Valle Sagrado aqui). Dentre as diversas atrações dessa região, estão as Salineras de Maras e Moray – e você pode conferir tudo sobre esses dois lugares aqui.

Como é o tour para Maras e Moray

É possível visitar Maras e Moray em um passeio de meio dia, seja saindo de Cusco ou de qualquer outra cidade do Valle Sagrado. Há também outra opção de tour que inclui uma visita à cidade de Chinchero, fazendo Maras, Moray e Chinchero em um dia.

Há ainda uma terceira opção, que combina Maras e Moray com outros destinos do Valle Sagrado, tudo no mesmo dia. O passeio inclui: Maras, Moray, Pisac e Ollantaytambo. Não recomendamos esse passeio, pois as regiões de Pisac e Ollantaytambo são interessantíssimas e merecem mais tempo para serem exploradas.

Para visitar as Ruínas de Moray, você deverá comprar o Bilhete Turístico, um passe que garante a entrada para 4 atrações do Valle Sagrado: Pisac, Chincheros, Ollantaytambo e Moray. Há diferentes tipos de boleto, com preços e validades diferentes (confira mais informações sobre o boleto turístico). As Salineras de Maras devem ser pagas à parte, pois o local é administrado por famílias locais. O ingresso para Maras custa 10 soles.

Salineras de Maras

Normalmente quando pensamos em extração de sal, o que vem à cabeça são salinas próximas ao mar, certo? Pois as Salineras de Maras ficam em um vale, bem no meio das montanhas do Valle Sagrado. E o cenário é espetacular!

Salineras de Maras: vista do alto

Construída na época dos Incas, as Salineras de Maras (ou Salinas de Maras) são uma estrutura feita com aproximadamente 4 mil poças, que recebem água “canalizada” – não por canos, mas por canais vindos de uma nascente subterrânea de água salgada que fica a muitos quilômetros dali.

O processo de extração de sal na Salinera de Maras é extremamente artesanal. A água evapora, sobrando o sal que é retirado em bacias e colocado em sacas. Cada família dali é responsável por 40 dessas piscinas ou poças.

Existem diversos tipos/cores de sal que são vendidos e até exportados para o Japão. O sal daqui tem uso tanto na gastronomia quando em terapias medicinais. Algumas barraquinhas ficam ali na entrada da Salinera, vendendo sal, chocolate com flor de sal ou sais para banho.

E é óbvio que nossa curiosidade nos levou a colocar o dedo na água: ela é bem quente e muuuito salgada!

Salineras de Maras e Moray Saindo de Cusco
Salineras de Maras: visão do alto da poças e de um dos seus canais
Curtindo um friozinho nas Salineras de Maras

Se você der sorte e visitar as Salineras de Maras em um dia de sol, é possível ver um monte de cores diferentes nas poças. A gente não deu tanta sorte assim, mas mesmo com o tempo nublado foi impressionante ver esse lugar de perto!

As Ruínas de Moray

As Ruínas de Moray não ficam tão distantes das Saineras de Maras. Seguimos por mais alguns minutos de estrada de chão e algumas curvas em meio ao Valle Sagrado até chegar em Moray. E lá encontramos uma das mais impressionantes construções da civilização Inca.

Claro que as cidades de Machu Picchu, Pisac e Ollantaytambo são incríveis, principalmente do ponto de vista arquitetônico e funcional. Mas foi nas Ruínas de Moray que descobrimos que, além da perfeição de suas formas, o local funcionava como um laboratório agrícola.

Ruínas de Moray

Dentro dessa construção circular, cada nível (chamado de terrazas) representava um microclima único. Podia haver uma diferença de até 1ºC entre os níveis, além de uma variação na pressão. Ou seja, a variação entre a base e o topo de uma construção circular dessas poderia chegar a 15ºC.

Ali eles testavam quais tipos de vegetais, tubérculos ou plantas funcionariam em cada uma dessas diferentes condições climáticas. E dali, eles levavam essa experiência para as cidades. Já escutamos guias dizendo que Machu Picchu por exemplo chegou a ter mais de 500 terrazas.

Salineras de Maras e Moray Saindo de Cusco
Construção principal
Salineras de Maras e Moray Saindo de Cusco
No lado direito do parque arqueológico existem 2 outras ruínas menores

Há uma outra corrente de historiadores que defende que o local era utilizado para rituais ou celebrações. Mas tudo indica que é mais provável que o local tenha tido a finalidade de desenvolvimento agrícola mesmo.

As Ruínas de Moray contam com 3 construções circulares: uma principal e duas menores auxiliares. É possível fazer diferentes circuitos de caminhada nas Ruínas de Moray, onde você escolhe quais construções quer percorrer.

Passando pela cidade de Chincheros

A cidade de Chincheros, assim como muitas outras no Peru, foi destruída durante a invasão espanhola. Esse é mais um lugar onde os espanhóis construíram uma igreja em cima da fundação de alguma construção Inca, em uma demonstração de conquista e força.

Salineras de Maras e Moray Saindo de Cusco
Igreja sobre a fundação de construções Inca e a feirinha de artesanato. Foto: Sergio & Gabriella / CC BY-NC-ND 2.0

A cidade de Chincheros possui também algumas ruínas, mas muitos turistas param aqui para visitar sua feira de artesanato. Todos os dias na praça central moradores locais expõem diferentes produtos feitos por eles, a maioria em tecido.

Salineras de Maras e Moray Saindo de Cusco
Trabalhos manuais expostos para os visitantes. Foto: Cocoabiscuit / CC BY-NC-ND 2.0

Aos domingos, acontece também em Chincheros uma feira onde produtores locais vendem diretamente seus produtos. O curioso aqui é perceber que até hoje o comércio da região ainda é baseado na troca de produtos, não envolvendo dinheiro.

Normalmente a visita a Chincheros acontece após a visita a Maras e Moray, já no caminho de volta para Cusco.

Maras e Moray: dois destinos imperdíveis do Valle Sagrado

Como deu pra perceber, nós adoramos o passeio para Maras e Moray. Achamos que vale muito a pena conhecer esses lugares que não são apenas lindos, mas cheios de história.

Reforço o conselho de que o ideal é dividir as atrações do Valle Sagrado em pelo menos dois dias: em um dia você visita Maras e Moray, deixando outro dia para Pisac e Ollantaytambo.

E você, já esteve em Maras e Moray? O que achou desses lugares?

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Baixe agora nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Peru: explore

Um comentário em “MARAS E MORAY: PASSEIO IMPERDÍVEL SAINDO DE CUSCO”

  1. Juliana disse:

    Oi Caio! Vocês fizeram esses passeios de taxi ou contrataram algum serviço de agencia pra levar vocês? Depois do seu relato, vou colocar esses lugares no meu roteiro com certeza!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!