PASSEIO DE ELEFANTE NA TAILÂNDIA: O QUE VOCÊ DEVE SABER

Saiba mais sobre a triste realidade por trás dos passeios de elefante na Tailândia, uma das atrações turísticas mais buscadas no país.

  • Adriana
  • -
  • 12 de julho de 2016
  • 31 Comentários

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e baixe nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Atualizado em 31 de março de 2017.

Se você está programando sua viagem pelo sudeste asiático, posso apostar que fazer um passeio de elefante na Tailândia está na sua lista de desejos. Eu entendo, esse bichão é mesmo fascinante e você não quer desperdiçar a chance de poder chegar tão perto de um gigante desses.

Mas antes mesmo de começar a sua viagem, saiba que os elefantes podem ter sido cruelmente torturados pra garantir a sua diversão e a de milhares de turistas desavisados.

Passeio de Elefante na Tailandia

Antes de vir pra Tailândia pela primeira vez, já tinha ouvido falar sobre os maus-tratos que os elefantes sofrem por causa do turismo. Mas isso era contraditório aos relatos positivos que eu lia, de pessoas que fizeram o passeio e acharam a experiência ótima, relatando que os elefantes eram muito bem tratados, etc. Pois eu me envolvi com o assunto e decidi fazer um trabalho voluntário com elefantes, tentando entender: como pode um animal de 4 toneladas obedecer ao ser humano?

E a resposta foi de embrulhar o estômago: através de muita crueldade.

The Crush: a verdade por trás de um passeio de elefante na Tailândia

Não se engane: elefantes não são animais domesticáveis. O que acontece na Tailândia é um treinamento conhecido como Phajaan (em inglês chama-se The Crush), que significa “quebrar o espírito” ou “romper a alma”.

Trata-se de um método tradicional e muito antigo onde os elefantes ainda bem jovens são separados de suas mães (muitas vezes matando as mães) e submetidos ao isolamento e à tortura.

No isolamento, o elefante fica confinado numa gaiola tão estreita que não há espaço para ele se mexer ou sentar. Durante esse período ele fica sem comer, beber ou dormir.
Como se não bastasse, os “treinadores”, também conhecidos como mahouts, usam um instrumento de tortura para machucá-los chamado ankus ou bullhook, que é um pau com ganchos de metal na ponta. Os bichos são golpeados em áreas sensíveis como olhos e orelhas, para que se tornem ainda mais submissos através da dor.

Ao final do Phajaan, o bicho está traumatizado, aterrorizado e com seu “espírito quebrado”. Lembre-se que tudo isso é realizado apenas para tornar o elefante mais dócil e submisso às ordens do seu dono, que quer usar o animal para entreter e carregar turistas e, claro, ganhar dinheiro.

Se você tiver estômago, assista aqui ao Phajaan. Assisti a um vídeo desses logo assim que cheguei pra ser voluntária no Elephant Nature Park, um santuário que abriga elefantes resgatados de abusos. Foi um soco na cara. Das 40 pessoas que estavam na sala, apenas 4 conseguiram ver até o final. As cenas são fortes.

Como reconhecer atividades que envolvem elefantes que sofreram abuso

Agora que você já entendeu que tudo isso acontece por causa do turismo, fica fácil enxergar a importância que o viajante tem no papel de acabar com essa tortura animal.
A lógica é simples: se você escolher lugares que oferecem um turismo exploratório com elefantes, você estará contribuindo para esse crueldade continuar acontecendo. Veja alguns exemplos de atividades que você não deve fazer com elefantes:

Subir em elefantes

Passeio de Elefante na Tailandia
Não suba em elefantes. Foto: SeaDave/ CC BY-SA

Essa é a atividade mais popular. Já li vários relatos de pessoas que sabiam da história dos elefantes mal tratados da Tailândia, mas que acharam um lugar super legal, onde eles não tinham marcas de ferida, que eram muito bem tratados, bla bla bla. Entendam de uma vez por todas: se você puder subir no elefante, saiba que ele foi muito torturado. Não importa se não tem cadeirinha pra sentar em cima dele, se a pele dele não tem cicatrizes ou se os treinadores cuidavam bem. Esse bicho já  sofreu muito pra você poder subir nele. Se você subir, vai contribuir para que outros também sejam.

Elefantes pintores

Pintar quadros não é um talento desse animal. Ele desenvolveu essa habilidade depois de ter sofrido muito abuso até aprender a pegar num pincel. Pense que ele está ali todos os dias, várias vezes ao dia, fazendo a mesma coisa. É fácil enxergar as marcas de agressão no corpo do animal.

Alimentar ou brincar com filhotes

Um elefante na natureza passa pelo menos os 10 primeiros anos de sua vida com a mãe. Alguns lugares oferecem a chance de você interagir e alimentar os mais jovens (às vezes pagando um extra por isso). Caso os jovens não sejam órfãos resgatados, saiba que eles foram separados da mãe pra simplesmente servir de atração turística.

Quer fazer um passeio de elefante na Tailândia? Escolha o lugar certo

Depois de saber de tanta crueldade, uma notícia boa: é possível fazer passeios de elefante na Tailândia sem contribuir com essa agressão. Você poderá interagir com os gigantes, talvez dar um banho e até alimentá-los. Basta escolher o lugar certo!

Sim, o melhor dos mundos seria se todos os animais vivessem livres e soltos. Aliás, uma das melhores lembranças que temos dessa viagem foi a de um safari na África, onde vimos centenas de animais selvagens. (Já falei aqui tudo sobre um safari na África). Mas existem na Tailândia centros de resgate que abrigam elefantes vítimas de abusos (que muitas vezes nem sobreviveriam mais soltos na natureza) para tratá-los de forma menos exploratória e mais humana.

Passeio de Elefante na Tailandia

Na Tailândia existem alguns santuários abertos ao público, onde subir em elefantes ou qualquer outra performance que citei acima não são permitidas. Um verdadeiro centro de resgate vai priorizar o bem estar do animal. Mas fique atento, pois alguns lugares se promovem como “santuário” ou “orfanato” de elefantes sem serem de fato.

Pra ajudar na sua decisão, separei alguns lugares onde é possível fazer turismo responsável com elefantes na Tailândia. Pesquisei muito antes de decidir em qual iria fazer meu trabalho voluntário e, com isso, acabei descobrindo boas referências.

Elephant Nature Park

Passeio de Elefantes Tailandia Elephant Nature Park

Onde trabalhei como voluntária, e não poderia ter escolhido melhor! É referência e um dos mais conhecidos centros de resgate de elefantes que sofreram abusos. Fica a uns 60km de Chiang Mai. Pra quem tá na dúvida sobre o que fazer em Chiang Mai, vá conhecer esse lugar, é imperdível!

Burm and Emily’s Elephant Sanctuary

Passeio de Elefantes Tailandia Burm Emilys

Um retiro para elefantes idosos, que precisam de cuidados permanentes. Lá eles vivem livremente, rodeados de montanhas. Fica a umas 2h30 de Chiang Mai.

Boon Lott’s Elephant Sanctuary

Passeio de Elefantes Tailandia Boon Lots

Um santuário que preza pelo bem estar dos animais, dedicado à criação de um lugar seguro para elefantes resgatados de maus tratos. Fica na província de Sukhothai.

Wild Life Friends of Thailand

Passeio de Elefantes Tailandia Wildlife Friends Foundation

Outro refúgio bem recomendado, que resgata elefantes vítimas de maus tratos na Tailândia. Localizado em Petchaburi, a umas 2h30 de Bangkok.

Elephant’s World

Passeio de Elefantes Tailandia ElephantsWorld

Um santuário para elefantes idosos, doentes e vítimas de abuso. Fica na província de Kanchanaburi.

Recomendações finais

Antes de escolher um lugar pra fazer um passeio com elefantes, pesquise muito. Descarte de cara qualquer opção que permita subir em elefantes, que ofereça trekking ou qualquer performance “de circo”, incluindo pinturas, brincadeiras, etc. Não é difícil reconhecer, uma rápida pesquisa no Google já irá te trazer bons resultados. No final, escolha aquele que tenha uma política bem restrita de maus tratos aos animais, que te permita uma aproximação com os elefantes, sem causá-los nenhum problema. Colabore para o turismo responsável

Vai para Tailândia? Confira esses posts:

Conhece alguém que está indo viajar e quer fazer um passeio de elefante na Tailândia? Não deixe de compartilhar essa informação!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Baixe agora nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Tailândia: explore

31 comentários em “PASSEIO DE ELEFANTE NA TAILÂNDIA: O QUE VOCÊ DEVE SABER”

    1. Caio Farias disse:

      Que bom que gostou Geraldo. Nosso objetivo é mostrar para o maior número de pessoas a verdade sobre os passeios com elefantes aqui na Tailândia. Se puder, compartilhe a informação!

  1. Andrea disse:

    Otimo texto. O famoso http://www.woodyelephanttraining.com estaria nesses exploradores?

    1. Caio Farias disse:

      Andrea, o site desse centro mostra pessoas montando nos elefantes, os elefantes com correntes no pescoço, pessoas andando em cima deles e é exatamente isso que tentamos mostrar no nosso artigo. Qualquer centro que permite esse tipo de interação maltrata de alguma forma os animais! NÃO RECOMENDAMOS NENHUM LOCAL ONDE PESSOAS POSSAM SUBIR EM ELEFANTES.

  2. Victoria Belini disse:

    Olá!

    Gostaria de saber se vocês tem alguma informação sobre o Elephant Jungle Sanctuary, por gentileza!

    Abraços

    1. Caio Farias disse:

      Victoria, não conhecemos o Elephant Jungle Sanctuary, mas entrei no site aqui e uma coisa positiva me chamou atenção: "NO RIDING". Muitos santuários permitem que você suba e ande em elefantes o que somos totalmente contra. E esse parece não permitir tal prática. Acho que vale uma lida em reviews sobre o local na internet e se forem positivos, aproveitar o passeio com esse animais lindos!
      Boa viagem!

  3. Carlos disse:

    Muito bom o artigo, voce tem alguma sugestao para conhecermos algum santuário, em krabi?

    1. Caio Farias disse:

      Carlos, não podemos afirmar que não existem mas todos os locais com elefantes em Krabi que pesquisamos, incluindo os que se auto denominam <em>"Santuário"</em> permitem o passeio montado nos animais. E não recomendamos nenhum lugar que tenha esse tipo de interação. Desculpe não poder ajudar.

  4. ivy disse:

    esclarecedor, amei esse post.
    Vou a Tailandia e Abril e estava tentando marcar no Patara , vários blogs recomendaram lá… lá é um elefante por pessoa..
    Porém existe a cavalgada no elefante, eles falam que não maltrata e tudo mais… e pareceu ser um santuário muito bom, para ter uma ideia eles estão com o mês de Abril todo lotado e eu não consegui agenda.
    Porém após ler isso, resolvi optar pelo Elephant Nature Park ou Elephant jungle sanctuary, que em ambos não existe a "cavalgada".
    O problema que o Elephant Nature Park cobra todo o valor da entrada antecipado :/

    1. Caio Farias disse:

      Ivy, apesar desse questão de pagamento que você encontrou e que tá parecendo um ponto negativo na sua percepção preciso te falar uma coisa. Você fez a minha semana muito mais feliz com o seu comentário! Fico muito, mas muito feliz de ter conseguido influenciar positivamente alguém na escolha dessa atividade. Essa foi o nosso objetivo com esse texto. E espero que muito mais gente tenha acesso a essa informação e repense o lugar que vai visitar! Espero que esse fato de cobrar o valor antecipado não mude a sua escolha.

    2. Carla disse:

      Também estava gostando muito do Patara Elephant Farm, até achar alguns comentários no trip advisor que me deixaram horrorizada. Certamente também irei no Elephant Nature Park .

      https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g293917-d808754-Reviews-Patara_Elephant_Farm_Private_Tours-Chiang_Mai.html

  5. Renata disse:

    Ola gente, muito obrigada por compartilhar essas importantes informações! Vocês daberiam indicar um santuário de elefantes em Bangkok?

    1. Caio Farias disse:

      Olá Renata, infelizmente não conhecemos nenhum santuário próximo a Bangkok, todos por aqui permitem o “elephant ride” e os animais ficam acorrentados a maior parte do dia.
      Abs,

  6. SAMIRA DA SILVA ABITBOL NOGUEIRA RONDON BRASIL _ disse:

    Olá Caio! Eu tenho muita vontade de ir a um onde nós damos banho no elefante. Sabe se algum desses que citou dá para fazer isso? A gente dá banho também ou só observamos? Obrigada! 😉

    1. Adriana Mendonça disse:

      Oi Samira, tudo bem? Eu, Adriana, trabalhei como voluntária no Elephant Nature Park em Chiang Mai. Lá é possível dar banho nos elefantes, mas não é possível subir neles para dar o banho. Nós entramos na água junto com eles e ficamos jogando água com um balde. É uma experiência incrível! Abraços!

  7. Fernanda disse:

    Meu sonho era interagir com elefantes ,aqui no Brasil é impossível e não tenho como viajar para outro país no momento,mais esse artigo me esclareceu muita coisa como por ex os vídeos que vejo com filhotes de elefantes.parabens pele artigo.

    1. Adriana Mendonça disse:

      Que bom que esse post te esclareceu algumas coisas Fernanda. O objetivo é exatamente esse, de alertarmos para o que acontece por trás do turismo animal, não só com elefantes mas com diversos animais. Um abraço!

  8. Thamara Moreira disse:

    Oi, Adriana, tudo bem?

    Estou indo para Tailândia em março de 2018 e desde o inicio tinha em mente que não iria em nenhum zoologico ou parques que permitam que você intereja com animais selvagens. Porém uma conhecida acabou me falando do Elephant Nature Park e fiquei fascinada com o trabalho deles e passei a considerar a possibilidade de ir, mas ainda me resta uma dúvida cruel.

    Pelo que me disseram esse parque resgata os animais, tratam, deixa os animais livres e quando estão bem são devolvidos ao meio ambiente. E um blog que li deu a entender que não, eles não são devolvidos e em um vídeo do youtube aparece elefantes separados dos turistas por grades (mas não fica claro se eles estavam trancados ou se estavam por algum motivo especifico, tipo, tratamento médico). E não saber como de fato as coisas acontecem me da um puta medo de ir achando que é um trabalho super bacana e chegar lá e descobrir que financiei um lugar que tortura os animais.

    Como é o trabalho deles? Sentiu que eles são maltratados de alguma forma?

    1. Adriana Mendonça disse:

      Olá Thamara, obrigada por se interessar pelo assunto e correr atrás de mais informações.
      Eu fiz trabalho voluntário lá e acompanhei de perto o que acontece. Os animais não são mal tratados, muito pelo contrário. Eles não ficam presos, apenas os que estão em tratamento ou têm alguma restrição ficam isolados. Alguns têm comportamento mais agressivo e não podem ficar perto dos outros por exemplo. Mas não, eles não são soltos na natureza depois. Por um lado triste, mas por outro um alívio, porque se eles são soltos, as chances de serem capturados e voltarem pro abuso são enormes.
      Minha opinião é que bicho bom é bicho solto, sem interação nenhuma com humanos. Mas… a realidade não é essa, como sabemos. Esse santuário pelo menos faz um trabalho sério com os bichos. Me incomoda um pouco a interação dos elefantes com os humanos, por mais “fofo” que seja pra gente, não é o natural pra eles. Mas pelo menos no Elephant Nature Park isso é feito de uma forma tranquila, das melhores que vi, pelo que pesquisei.
      Resumo, pode ir que não irá se arrepender!

  9. Lid Costa disse:

    Fui para Tailândia no final do ano passado e visitei um santuário de elefantes lá, super recomendo, chama Elephant Nature Park (um dos que você cita no post). Fiz um relato sobre o assunto http://partiuviajar.blog.br/elephant-nature-park-inesquecivel/ , espero que ajude quem está pensando em fazer algo parecido.

  10. Humberto disse:

    Boa noite. Muito esclarecedor o artigo. Obrigado! Como é a comunicação com os “treinadores” ? Em inglês ou eles falam um inglês mais ou menos? Meu inglês é bem fraco, tenho medo de ir e não conseguir fazer nada por esse motivo kkkkkk

    1. Caio Farias disse:

      Olá, Humberto. Sim a comunicação é em inglês. Um esclarecimento eles não são “treinadores”e sim tratadores. Lá os elefantes não são treinados, são resgatados para ter uma vida melhor. Não se preocupe com isso! Sinta a galera, siga o movimento, viva a experiência, temos certeza que você não irá se arrepender. Abs

  11. Felipe Silveira disse:

    Olá!
    Obrigado pelas informações. Achei muito interessante e podem ter certeza que já me tornei um multiplicador dessa ideia. Pesquisei mais afundo e encontrei outras pessoas relatando situações parecidas.
    Inclusive outra informação relevante que obtive é que pelo fato dos animais estarem diminuindo na Tailândia, pelos abusos e perda do seu habitat natural, o tráfico dos elefantes oriundos de Myanmar está crescendo para suprir a necessidade desse mercado terrível.
    Entretanto pesquisando encontrei a indicação de um outro santuário com a proposta de preservação semelhante ao Elephant Nature Park, cujo o nome é Elephant Retirement Park.
    Vocês têm informações sobre esse abrigo? Gostaria de saber se a proposta é realmente séria.
    Um abraço e muito obrigado.

    1. Caio Farias disse:

      Olá Felipe, que bom saber que temos mais um multiplicador dessa verdade. Infelizmente não temos informações sobre esse outro abrigo, mas vamos pesquisar para conhecer! Abs

  12. Fideco disse:

    Ótimas informações, antes destas informações, não sabíamos que os elefantes sofriam tanto, e que tinha o crush.
    Mudamos a programação de passeio de elefantes, para uma visita a um santuario de elefantes. Nós turistas temos que fazer a nossa parte.

    1. Caio Farias disse:

      Fideco, você não sabe o quanto vc me deixou feliz ao ler a sua mensagem! Estou respondendo algumas msgs agora e nada poderia ter me deixado mais feliz! Se eu pudesse conscientizar uma pessoa por dia em relação ao passeio de elefante no sudeste asiático eu seria bem mais feliz!

  13. Regina Fraga disse:

    Oi Adriana,
    Você pode me contar mais como foi este seu trabalho como voluntária no Elephant Nature Park?
    Quanto tempo você ficou? Como obtenho mais informações?
    Obrigada.

    1. Adriana disse:

      Oi Regina, tudo bom? Eu passei 2 semanas como voluntária no ENP. O trabalho por lá é bem braçal, como catar cocô dos elefantes e descarregar caminhões de melancia por exemplo. Claro que temos tempo para curtir e observar os elefantes. É um programa de voluntariado pago, incluindo refeições e acomodação no local (compartilhei um quarto com mais uma pessoa). Se não me engano, o tempo mínimo de permanência é de uma semana, e vc pode conferir mais informações no próprio site deles https://www.elephantnaturepark.org/enp/visit-volunteer. espero ter ajudado! Um abraço 🙂

  14. Maria Ester Pascoal disse:

    Oi Adriana,
    Estou indo para Bangkok e gostaria de visitar o Wild Life Friends Foundation.
    Vc pode me dizer como chegar até lá.
    Tem agência q fazem esse passeio. Se tiver pode me indicar.Obrigada.

    1. Caio Farias disse:

      Olá Maria, tudo bem? Não temos muita informação sobre. Tudo que consegui de informação busquei no site agora. Pelo pouco que vi aqui parece um lugar sério, onde os elefantes não são explorados. Fica em Petchaburi a 2h30 de Bangkok. Não sei dizer se chegar lá com transporte público é fácil, mas eles organizam Tours de um dia ou de meio dia de acordo com o site dele: https://www.wfft.org/full-day-experience/

      Espero que consiga realizar a visita!

    2. Gabriel disse:

      como foi la na wildlife?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!