Carretera Austral: guia completo com informações e dicas imperdíveis | Em Algum Lugar do Mundo

CARRETERA AUSTRAL: VIAGEM PELA ESTRADA MAIS LINDA DO CHILE

Um guia completo para você planejar sua viagem por uma das estradas mais cênicas do mundo

  • Adriana
  • -
  • 10 de setembro de 2019
  • Um Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Uma das estradas mais cênicas do mundo: a Carretera Austral, na Patagônia chilena, é o sonho de consumo de qualquer apaixonado por road trips. Ligando as cidades de Puerto Montt, na Região dos Lagos, a Villa O’Higgins, na Região de Aysén, viajar pela Carretera Austral é garantia de cenários deslumbrantes: são rios e lagos turquesa, geleiras, fiordes, picos nevados e inúmeras trilhas que nos permitem contemplar tudo isso.

Acontece que, para apreciar toda essa beleza, é preciso planejamento. Afinal, uma viagem pela Carretera Austral pode não ser tão simples: o frio pode ser intenso, as distâncias podem ser longas e as condições da estrada podem atrasar sua viagem. Há uma série de particularidades que você precisa saber para que sua viagem seja livre de maiores perrengues.

Carretera Austral Chile - Rípio
A Carretera Austral e seus trechos de rípio

Por isso, reunimos nesse post tudo que você precisa saber para viajar pela Carretera Austral. Mostramos todos os destinos com suas principais atrações, damos informações importantíssimas e dicas valiosas para que sua viagem por essa parte da Patagônia chilena seja um sucesso.

Carretera Austral: guia de viagem completo

Abaixo você confere um índice com tudo que abordamos. Leia o post na íntegra ou vá direto ao seu ponto de interesse. Aproveite!

Saiba mais sobre a Carretera Austral

História

A Carretera Austral tem 1.240km de extensão, começando em Puerto Montt e indo até a remota Villa O’Higgins. Sua história remonta a 1976, quando a construção foi iniciada sob a ditadura de Augusto Pinochet, que deu ordem para ligar aldeias e comunidades remotas na parte sul do Chile. 

Ter uma estrada tornou-se extremamente importante, já que nos anos 80 algumas partes do Chile ainda eram acessíveis apenas por barco ou avião, mas dadas as duras condições climáticas no inverno, muitas vezes acontecia de as pessoas ficarem sem a possibilidade de se deslocar ou sem abastecimento de alimentos durante dias. É claro que isso pode acontecer até hoje, mas graças à estrada o risco é menor. 

Também antes de 1976, quando se viajava por terra, grande parte do Chile só era acessível atravessando a fronteira com a Argentina e vice-versa, o que se tornou um problema quando esses dois países tinham disputas territoriais (o que quase levou à guerra).

Atualidade

Hoje em dia, a Carretera Austral não é usada apenas por moradores dos vilarejos da região, mas recebe também de braços abertos viajantes de todo o mundo que querem se aventurar por essa parte do nosso continente. A paisagem ao longo da estrada é incrivelmente diversa, e as trilhas pela estrada Carretera Austral permitirão que você aprecie as paisagens mais imponentes do mundo em apenas algumas semanas.

Carretera Austral Chile - Viaduto Piedra El Gato
Viaduto Piedra El Gato

Construir a Carretera Austral, também conhecida como Estrada do Sul ou Estrada 7 do Chile, não é uma tarefa fácil por causa dos fiordes, florestas densas, geleiras e montanhas no caminho. Esta é também a razão pela qual uma grande parte da estrada ainda não foi pavimentada, mesmo depois de mais de 40 anos após o início da construção.

O que visitar na Carretera Austral 

Você verá fiordes, vulcões ativos, montanhas cobertas de neve, glaciares, florestas densas, campos e mais. A natureza aqui é de tirar o fôlego. A Patagônia oferece uma das experiências de viagem mais remotas do mundo e é um paraíso para quem gosta de atividades ao ar livre em sua forma natural. 

  1. Chaitén
  2. Parque Pumalín
  3. Futaleufú
  4. Puyuhuapi
  5. Parque Nacional Queulat (Ventisquero Colgante e El Bosque Encantado)
  6. Coyhaique
  7. Villa Cerro Castillo
  8. Puerto Río Tranquilo (Catedral / Capilla de Mármol, Glaciar Exploradores e Glaciar San Rafael)
  9. Puerto Bertrand e Rio Baker
  10. Parque Nacional Patagônia
  11. Cochrane
  12. Caleta Tortel
  13. Villa O’Higgings

1. Chaitén

Para quem inicia a Carretera Austral de cima pra baixo, Chaitén é a primeira cidade na rota.

Apesar de não ter grandes atrativos, pernoitar por aqui pode ser uma parada estratégica para descansar e seguir o longo caminho que você terá pela frente. Nós passamos a noite no Departamentos Emanuel.

Chaitén é considerada uma cidade fantasma do Chile, tendo sido evacuada em maio de 2008, quando o vulcão Chaitén entrou em erupção pela primeira vez (em mais de 9.000 anos!). O negócio foi tão forte que as cinzas atravessaram a Patagônia e caíram sobre o Oceano Atlântico.

Carretera Austral Chile - Chaitén
Um lindo pôr do sol em Chaitén

Além disso, a cidade foi completamente inundada dias depois, quando uma onda de lama (reflexo do vulcão) fez com que as margens do rio Blanco transbordassem.

Atualmente, Chaitén conta com poucos habitantes. Por lá encontramos também alguns restaurantes e um mercadinho que nos supriu com o básico para seguirmos viagem.

Onde se hospedar em Chaitén | Departamentos Emanuel

2. Parque Pumalín 

Maior reserva natural privada do Chile, o Parque Pumalín conta com uma extensa infraestrutura de trilhas, acampamentos e centros de visitantes. Uma das trilhas inclusive leva até a cratera do Vulcão Chaitén.

Por lá você também encontra uma variedade de lagos e cachoeiras, todos situados numa floresta com árvores milenares e enormes.

O acesso a partir de Chaitén é possível por meio de um passeio de balsa, mas saiba que alguns dos percursos estão a uma certa distância uns dos outros.

Para visitar o Parque Pumalín, você pode usar como base as cidades de Chaitén ou Futaleufú, que mostraremos a seguir.

3. Futaleufú

Futaleufú fica na fronteira com a Argentina e tem uma pequena mas crescente indústria turística baseada no turismo de aventura. As atividades por aqui incluem rafting, pesca, mountain bike, trekking e canyoning.

O nome da cidade vem do rio Futaleufú, de cristal azul, considerado um dos melhores rios de rafting do mundo. O nome Futaleufú deriva de uma palavra indígena que significa “Rio Grande”.

Uma estrada de cascalho liga a cidade de Futaleufú a Trevelin, na Argentina, e à Carretera Austral. Outras atrações próximas incluem a Reserva Nacional Futaleufú, conhecida por sua população de huemul (veados do sul andino), e o próprio Parque Pumalín.

4. Puyuhuapi

Puyuhuapi é um vilarejo criado em 1930, que conta com cerca de 500 habitantes. As casinhas com chaminé em estilo alemão dão um charme todo especial a esse lugar, que também é reconhecido pela produção de tecidos artesanais.

Seu nome vem do fiorde Puyuhuapi, que se estende por quase 2 km, indo do norte da cidade de Puyuhuapi até o extremo sul do rio Pascua, ao norte.

Carretera Austral Chile - Puyuhuapi
Um braço de mar em Puyuhuapi

Uma das principais atrações aqui são as águas termais, que chegam aos 40 graus. E é no Puyuhuapi Lodge & Spa que você vai poder aproveitá-las.

Localizado a 12 km do centro do povoado e acessível por barco, o local conta com duas piscinas ao ar livre que estão abertas 24h e com temperaturas controladas entre 30° e 40°.

E se você quiser aproveitar ainda mais, pode curtir os poços naturais localizados no interior do bosque que circunda o lodge.

Onde se hospedar em Puyuhuapi |Puyuhuapi Lodge & Spa, Hostel y Cabañas Augusto Grosse, Cabaña Turin

5. Parque Nacional Queulat

Usando Puyuhuapi como base, você podeerá fazer um passeio imperdível até o Parque Nacional Queulat.

Ele se estende por uma grande área em volta da Carretera Austral e há 3 trilhas principais para percorrer nele. As mais conhecidas são a Ventisquero Colgante e a El Bosque Encantado. Confira:

Ventisquero Colgante

O grande símbolo do parque é o Ventisquero Colgante: um glaciar suspenso a 1.200 metros de altura e com 19 km de extensão. É uma verdadeira massa de gelo que cai como uma cachoeira bem diante dos seus olhos.

A trilha de acesso ao mirante tem 3.3km e dificuldade moderada. Nós levamos 5h no total, considerando um ritmo tranquilo de caminhada e uma boa pausa para apreciar a vista do mirante.

Carretera Austral Chile - Ventisquero Colgante
Foto: Jdzip / CC BY-SA 4.0

E para chegar mais pertinho do Ventisquero, você pode seguir por uma trilha de 600m e dificuldade moderada até a laguna de Los Tímpanos. Aqui, você pega um bote e chegar perto do glaciar Ventisquero Colgante. A entrada no parque custa CLP 3000 e em apenas 2 horas é possível fazer todo o percurso.

El Bosque Encantado

Essa trilha é uma caminhada de 1,7 km pela “Floresta Encantada”, caracterizada por musgo que cobre a floresta virgem. Um cenário encantador!

No final da caminhada, aparece um vale e se chega às margens de um lago típico da Patagônia, a Laguna Los Gnomos. Alimentada por quedas d’água que derretem de uma geleira, o lago não é tão conhecido como outras atrações da região.

A caminhada leva cerca de três horas (num ritmo de moderado a rápido) muitas subidas e descidas, e uma subida final curta para chegar à lagoa.

Caso queira fazer esse passeio, verifique se a trilha está aberta – pois ela pode estar fechada devido a riscos de deslizamento.

6. Coyhaique

Uma das maiores e mais importantes cidades da região, Coyhaique conta com mais de quarenta mil habitantes. Rodeada de morros, ela combina as características urbanas com florestas sempre verdes.

Nós passamos uma noite no Raices Bed and Breakfast, que fica bem no centro de Coyhaique. Aproveitamos para conhecer a cidade e comprar comidinhas no mercado, para seguirmos na estrada.

Preste atenção na arquitetura tradicional e não deixe de visitar a feira de artesanatos na Praça de Armas de Coyhaique. Em suas bancas você vai encontrar produtos feitos usando materiais como madeira nativa, couro, pedra e lã. 

Carretera Austral Chile - Salto Del Condor
A cachoeira Salto del Condor entre Puyuhuapi e Coyhaique

Na margem oeste do Rio Simpson encontra-se a “Piedra del Indio”, uma rocha erosionada que se parece com um rosto humano.

E nos arredores da cidade estão os morros Cinchao, Divisadero e Mackay, que cruzam os rios Coyhaique e Simpson. Ali é possível praticar atividades como hiking, trekking, passeios de bicicleta, cavalgadas, pesca, caiaque, piquenique, contemplação da flora e fauna, e fotografia.

Onde se hospedar em Coyhaique | Raices Bed and Breakfast, Patagonia House

7. Villa Cerro Castillo

A Villa Cerro Castillo tem uma população de apenas 600 pessoas e está localizada próxima à reserva nacional de mesmo nome, onde está o Cerro Castillo, uma montanha visível da aldeia.

A região é conhecida pela reserva nacional e pelas muitas trilhas. Você pode subir até o mirante do imponente Cerro Castillo em um passeio de um dia ou percorrê-lo em uma caminhada normal em um passeio de três dias com uma barraca.

Além disso, há mais passeios de um dia e percursos mais longos de vários dias através do parque. Nós passamos apenas o dia por aqui, mas é possível se hospedar na vila.

8. Puerto Rio Tranquilo 

Puerto Río Tranquilo é um pequeno povoado na região de Aisén, perto do Parque Nacional Laguna San Rafael.

O vilarejo em si não tem nenhum grande atrativo: é praticamente uma rua principal que conta com algumas hospedagens e restaurantes. Mas é daqui que saem alguns dos passeios mais lindos da Patagônia Chilena, então vale a pena a estadia por aqui.

Onde ficar em Puerto Rio Tranquilo | Cabaña Rio Tranquilo, Hostería Costanera

Confira as principais atrações dessa região:

Lago General Carrera

O Lago General Carrera é compartilhado pelo Chile e Argentina. Em cada lado da fronteira ele tem nomes diferentes, ambos reconhecidos internacionalmente: no Chile é conhecido como Lago General Carrera (oficialmente desde 1959), enquanto na Argentina é chamado de Lago Buenos Aires. Também é conhecido pelo nome indígena, Chelenko, que significaria “águas tempestuosas”.

Carretera Austral Chile - Lago General Carrera
O lago General Carrera

O Lago General Carrera é o maior lago do Chile e o segundo maior da América do Sul, depois do Lago Titicaca. Chega a ter até 580 metros de profundidade.

Capilla de Mármol, Catedral de Mármol e Cuevas de Mármol

A atração turística mais conhecida dessa região são as formações rochosas de “mármore”: há a Capilla de Mármol e a Catedral de Mármol. Ambas são ilhotas no meio do lago compostas por rochas de tons de branco e marfim.

Elas estão localizadas a poucos quilômetros ao sul da cidade, mas só podem ser alcançados por água, em passeios de barco (75 min de duração) ou passeios de canoa guiados. Você pode reservar seu tour nas lojas ao longo da avenida principal da cidade.

Menos visitada e tão linda quanto, a formação rochosa conhecida como Cuevas de Mármol são mais extensas – e aqui é possível desembarcar e caminhar pelo local. Nós preferimos fazer esse passeio, que parte de Puerto Sanchez (próximo a Puerto Rio Tranquilo). E não nos arrependemos!

Glaciar Exploradores

Para os aventureiros de plantão, o Glaciar Exploradores é um passeio imperdível. É uma geleira pouco conhecida, mesmo por aqueles que se aventuram em viagens pela Carretera Austral.

Localizado a oeste de Puerto Río Tranquilo, é acessado por uma estrada de cascalho que conecta a vila com a Baía Exploradores. A geleira tem um comprimento total de 18km e uma largura de aproximadamente 3km.

Há duas maneiras de conhecer o Glaciar. A primeira é avistá-lo de um mirante, acessível por uma caminhada de 30 minutos por uma encosta íngreme no meio da floresta. Chegando lá, você pode ter uma vista única da geleira e do Monte San Valentín, com o pano de fundo do Campo de Gelo Norte.

A segunda opção é fazer um trekking pela geleira, e esse passeio requer mais empenho: uma caminhada de 10h de ida e volta. Durante a trilha, diferentes formações são observadas no gelo, como cavernas, arcos, moinhos de cores azul claro, branco e azul escuro.

Glaciar San Rafael

Em meio aos fiordes, o Glaciar San Rafael recebe muito menos visitantes do que outras geleiras mais famosas da Patagônia. Mas este enorme bloco de gelo é uma vista impressionante de uma das últimas relíquias – que estão desaparecendo rapidamente – da era glacial da Patagônia.

Uma das maiores geleiras do Campo de Gelo Patagônico Norte, o Glaciar San Rafael já preencheu a maior parte da lagoa que agora se encontra apenas na ponta. Os registros e fotografias das primeiras explorações da região mostram como a distância tem desde então recuado, significando que o glaciar está diminuindo.

Carretera Austral Chile - San Rafael
Foto: GoChile

E se continuar assim, as estimativas sugerem que desaparecerá até 2030. Por isso, as chances de visitar este enorme marco patagônico estão diminuindo rapidamente.

Existem várias opções para visitar a geleira e o Parque Nacional San Rafael e o glaciar, incluindo tour de catamarã (duração de 14 horas), caiaque e trilha + barco. As agências da região oferecem os passeios com certa frequência no verão.

9. Puerto Bertrand e Rio Baker

Puerto Bertrand é um povoado commenos de 300 habitantes, localizado a 270km ao sul de Coyhaique, na margem leste do Lago Bertrand.

O Lago Bertrand recebe as águas do Lago General Carrera, o maior lago do Chile, que por sua vez dá origem ao abundante rio Baker.

A área de Puerto Bertrand tem a maior concentração de turismo da região: vários complexos com hotéis bem equipados, pousadas, restaurantes e uma grande variedade de excursões.

Já o Rio Baker é um dos mais lindos do Chile, formando uma gigantesca cascata antes de se fundir com o mais leitoso e glacial Río Nef. Esse encontro é conhecido pelos chilenos como La Confluenza e fica a 12 km ao sul de Puerto Bertrand. São tons de azul inimagináveis!

10. Cochrane

Maior cidade da região sul da Carretera Austral, Cochrane é mais uma daquelas paradas estratégicas da viagem. Nós passamos duas noites no Hostal Lejana Patagônia e usamos a cidade como base para explorar a região.

É aqui que estão os Campos de Gelo Norte e Sul. E ao longo destas geleiras existem numerosas montanhas como Colônia, Nef, Pared Norte e Sur, entre outras.

Carretera Austral Chile - Baía Murta
Lago Bertnand em Baía Murta

Toda a área é cercada por lagos, lagoas, rios e riachos, com acesso terrestre à maioria dessas áreas. Ótimas pedidas por aqui são tentar avistar huemul e fazer um passeio de barco pelo Rio Cocchrane. A cidade também é um bom ponto de partida para explorar o Parque Nacional Patagônia.

Onde ficar em Cochrane | Hostal Lejana Patagônia, Hotel Último Paraíso

11. Parque Nacional Patagônia

Até então, na região do Parque Nacional Patagônia havia uma enorme fazenda de ovelhas, que foi dividida em fazendas menores e acabou prejudicando muito o ecossistema local.

Até que em 2000 foi criada a Conservación Patagónica, uma organização com objetivo de proteger os ecossistemas locais. O Parque Nacional Patagônia é então a mais nova área de preservação ambiental da região, oficialmente aberta ao turismo em 29 de janeiro de 2018.

Carretera Austral Chile - Parque Patagônia
Guanacos no Parque Patagônia

Por aqui, há dezenas de trilhas (em diferentes níveis de dificuldade) para você aproveitar o melhor da natureza. As trilhas estão divididas em três setores: Valle do Chacabuco, Jeinimeni e Tamango.

Para saber mais , confira o post que o blog Pegadas na estradas escreveu sobre o Parque Nacional Patagônia.

12. Caleta Tortel

Localizado na foz do Rio Baker, Caleta Tortel é um vilarejo costeiro que não tem ruas: são apenas escadas e passarelas de madeira que se conectam. O lugar é tão único que é considerado Monumento Nacional.

Oficialmente fundada há apenas algumas décadas como base para a indústria madeireira local, a Caleta Tortel está no coração de uma extensa floresta de ciprestes. O acesso rodoviário à cidade só foi concluído em 2003: antes disso, o acesso era de avião ou barco.

Essa região é lar de geleiras gigantescas, picos andinos cobertos de neve, lagos azuis e uma abundância de vida selvagem. Algumas atrações que você pode conhecer por aqui são os ventiqueros Steffens e Jorge Montt, acessíveis em um passeio de barco.

Uma visita e estadia aqui, se possível, é uma experiência fascinante. Ficar em Caleta Tortel, no entanto, não é adequado para quem tem problemas de mobilidade, pois há muita subidas e descidas. As acomodações aqui são rústicas e pitorescas, tudo é feito de cipreste e decorado com tecidos em tons de terra.

13. Villa O’Higgings

Com cerca de 600 moradores, a Villa O’Higgings marca oficialmente o final da Carretera Austral. Localizada 150km ao sul de Caleta Tortel, a vila é a porta de entrada para os Campos de Gelo Sul.

Carretera Austral Chile - Villa O Higgins
Foto: Chrislorenz9 / CC BY-SA 4.0

A principal atividade aqui é o passeio de barco até a geleira. Mas há também opções de trekking, pesca e observação de animais. Aproveite que chegou praticamente no fim do mundo e curta uma noite de descanso no Robinson Crusoe Deep Patagonia,

Considerando que as geleiras podem ser visitadas a partir de outros pontos, a visita a Villa O’Higgings vale mais pelo simbolismo de chegar ao final da Carretera do que pelo destino em si.

Villa O’Higgings também faz fronteira com a Argentina – e é possível atravessá-la entre os meses de novembro a abril. Porém essa travessia não pode ser feita de carro, apenas a pé ou de bicicleta.

Onde se hospedar em Villa O’Higgings | Robinson Crusoe Deep Patagonia, Ruedas de la Patagonia

Quer combinar essa viagem com a Argentina? Seus próximos destinos devem ser El Calafate e El Chaltén.

El Calafate é um destino super conhecido por causa do incrível glaciar Perito Moreno. Já El Chaltén fica bem próximo, e a cidade é o paraíso para os amantes de trekking (com cenários lindos como o Fitz Roy e diversas lagunas de cor turquesa).

Leia nossos posts sobre o que fazer em El Chaltén e também nossas dicas de El Calafate para conhecer mais do destino e planejar sua viagem.

Como viajar pela Carretera Austral

Carro 

A maneira mais conveniente de percorrer a Carretera Austral e explorar essa parte da Patagônia Chilena é alugando um carro. Você vai ter liberdade de parar quando quiser e poderá fazer um roteiro mais flexível, sem depender do horário de ônibus.

A grande desvantagem é o custo, que se torna ainda maior pelo fato de você pegar um carro numa cidade e entregá-lo em outra – já que não faz sentido retornar ao seu ponto de partida.

Outro ponto que pode ser negativo: as condições da estrada são bem ruins em alguns trechos que não foram asfaltados. A estrada de rípio (e seus buracos) vai tornar sua viagem ser mais lenta – mas entenda que isso faz parte da experiência.

Carretera Austral Chile - Pickup
Nós na Carretera Austtral

Ainda assim, viajar de carro pela Carretera Austral é a melhor forma de conhecer esse destino. Para pesquisar preços de aluguel, nós sempre usamos o Rentcars, que compara o preço de mais de 100 locadoras. Além de achar os melhores preços, dá pra pagar em real e parcelar em até 12x sem IOF.

Para alugar o carro, você poderá retirá-lo em Puerto Montt ou Puerto Varas, os principais pontos de partida para começar a viagem pela Carretera Auustral. Há também a possibilidade de alugar carro em Coyhaique, que já fica no meio da Carretera – essa cidade também tem um aeroporto.

Importante | Quem pretende cruzar fronteira com Argentina deve pagar uma boa taxa extra, além de seguro mais caro e obtenção de documento que permite viajar na Argentina.

Transporte público 

O transporte público funciona normalmente com bastante frequência entre dezembro e março. Fora dessa época, eles são mais esporádicos. Em alguns lugares, os ônibus passam apenas duas ou três vezes por semana – e os locais às vezes têm preferência sobre os turistas. 

Por isso, assim que você chegar a um novo destino, pergunte ao redor pela tabela com horários de ônibus, para que você possa se planejar melhor. Verifique também se é possível fazer reserva.

Carona

Em geral, pegar carona na Patagônia é bem seguro. Nós vimos tanto moradores como viajantes pegando e dando carona.

Para viajar de carona na Carretera Austral, o ideal é deixar o roteiro mais flexível: as estradas não são movimentadas, e conseguir uma carona pode demorar mais do que você imagina. Além disso, em alguns lugares (por exemplo em Villa Cerro Castillo) a competição entre caroneiros pode ser grande.

Bicicleta

É possível fazer a Carretera Austral completa de bicicleta – e nós vimos muitas pessoas viajando dessa forma. Nesse caso, é bom separar o dobro do tempo de viagem para encarar essa aventura.

Além disso, considere que cerca de 500km da estrada ainda não foram asfaltados, então a bicicleta vai sentir as trepidações. As correntes e as pastilhas de freio desgastam-se mais depressa, então lembre-se de levar alguns extras.

As lojas de bicicletas são escassas e só podem ser encontradas em Puerto Montt e Coyhaique. Em Cochrane, o último grande vilarejo a 250 quilômetros de Villa O’Higgins, há um grande supermercado que vende algumas poucas peças de bicicleta, mas não há mecânico na cidade. 

Como chegar na Carretera Austral

Se você planeja fazer a Carretera Austral viajando somente pelo Chile, seu ponto de partida será provavelmente a ponta norte da estrada, em Puerto Montt, seguindo em direção ao sul.

Há quem faça a Carretera Austral de baixo para cima. Mas para isso, a viagem precisa começar na Argentina e você deverá atravessar uma das fronteiras disponíveis ao longo da Carretera.

Vamos considerar a opção mais comum começando pelo Chile, que foi o que fizemos:

Sentido norte-sul: entrando por Puerto Montt

Carro 

Para fazer a Carretera Austral de carro, você precisa do mínimo de planejamento. Para sair de Puerto Montt sentido sul, você precisará percorrer um longo caminho já no primeiro dia, além de pegar 2 balsas – uma delas precisa ser reservada com antecedência.

Carretera Austral Chile - Balsa
Travessia de Caleta Arena para Caleta Puelche

De Puerto Montt, você irá percorrer 45km até chegar em Caleta Arena, onde irá fazer a primeira travessia de balsa para Caleta Puelche. Esse trajeto dura uns 30 minutos e não é preciso fazer reserva.

Dica | Sugerimos sair de Puerto Montt bem cedinho (partimos às 6h da manhã), para não fazer nada na correria e chegar no seu primeiro destino ainda com dia claro.

Da Caleta Puelche, você irá dirigir por mais uns 65km até chegar em Hornopirén, onde irá pegar a segunda balsa com destino à Caleta Gonzalo. Essa travessia dura 3h30 e precisa ser reservada com antecedência. Para isso, você vai precisar calcular o tempo de viagem. Saindo de Puerto Montt às 6h, nós reservamos essa balsa para as 9h e chegamos com folga de tempo.

Após a travessia para Caleta Gonzalo, nós dirigimos por mais 56km até chegar em Chaitén, onde reservamos uma diária no Departamentos Emanuel para passar a primeira noite.

Ferry

Há também um ferry que vai direto de Puerto Montt a Chaitén, podendo carregar tanto passageiros como veículos. Ou seja, essa é outra possibilidade também para quem está viajando de carro.

A viagem é noturna e leva cerca de 12 horas no total. Apesar de mais prático, nós preferimos fazer o trajeto da forma mais tradicional – afinal, dirigir pela Carretera faz parte da experiência!

Ônibus

Ao viajar de transporte público, você pode comprar um bilhete em Puerto Montt que inclui a combinação de ônibus e dos ferries. No momento da pesquisa, os ônibus estavam saindo por volta das 7 da manhã (certifique-se sempre antes de sua partida, pois os horários mudam com freqüência). A viagem para Caleta Gonzalo leva 8h30, sendo mais 1h para chegar em Chaitén.

Seguindo para Argentina

Com carro

Quem quer estender rumo à Argentina, conta com algumas opções. Normalmente quem sai da Carretera para o lado argentino tem como principais destinos El Calafate ou El Chaltén.

Há diferentes fronteiras que você pode cruzar, o ideal é definir seu roteiro pela Carretera e ver qual fronteira fica mais próxima dos pontos que você quer visitar.

Carretera Austral Chile - Paso Rodolfo Roballo
Paso Rodolfo Roballo entre o Chile e a Argentina

Nós cruzamos pela fronteira Roballos, que fica na direção nordeste de Cochrane. Porém há outras fronteiras como Jeinimeni, Paso Huemules (Balmaceda) e Futaleufú. Veja no mapa abaixo a localização das fronteiras:

Sem carro

Se você estiver sem carro e quiser ir até o final da Carretera para então seguir para Argentina, há uma alternativa:

De Villa O’Higgins, você pode pegar um ônibus para o porto de Puerto Bahamondez, de onde parte uma balsa para Candelario Mancilla (3h de trajeto). A partir deste ponto, são 22km até a fronteira argentina, localizada na margem do Lago Desierto. Você pode ir caminhando, ou organizar o transporte de carro para os primeiros 15km de trajeto.

Daqui você pega outra balsa para atravessar o lago (50 minutos) até que, finalmente, pode pegar um ônibus com destino a El Calafate/ El Chaltén. 

Achou muito complicado? Então considere pegar um voo em Coyhaique para seu próximo destino. Essa cidade fica no meio da Carretera Austral e recebe voos nacionais, então fazer escala será inevitável.

Viagem de carro pela Carretera Austral: dicas importantes

Condições da estrada

Apesar da popularidade entre os viajantes, o processo de construção da Carretera Austral ainda está em andamento – o que significa grandes chances de haver alguns atrasos durante sua viagem. O clima da Patagônia é tão rigoroso que só é possível reparar a estrada durante o verão, quando a neve desaparece. Portanto espere longos trechos não pavimentados.

Se você está alugando um carro, não se preocupe, pois todas as empresas de aluguel por ali sabem que 99% dos seus clientes querem dirigir pela Carretera Austral. Não é preciso um veículo 4×4 para fazer essa viagem, embora seja mais confortável para encarar os buracos e trechos não pavimentados.

Se você está planejando andar de bicicleta, esteja preparado para as condições da estrada descritas acima. Leva mais tempo para pedalar Carretera Austral do que qualquer outra estrada asfaltada e a poeira e o vento forte tornam o passeio um pouco mais difícil.

Dica | Baixe um aplicativo de mapa e faça o download para trechos sem sinal de internet e telefone.

Alugar carro

A maioria dos viajantes aluga um carro em Puerto Montt e pretende descer até o fim com ele. Esse é realmente o melhor plano, mas saiba que também é possível alugar um carro em Coyhaique.

Saiba apenas que não é possível deixar o carro em Villa O’Higgins, o último grande vilarejo na rota da Carretera Austral, portanto você terá que voltar até Coyhaique ou Puerto Montt para devolver o carro.

Dica: alugar o carro em um lugar e devolver em outro é mais caro, portanto veja se vale à pena para você voltar dirigindo pela Carretera até o começo e lá pegar um avião.

Outra dica: se você quiser cruzar a fronteira com a Argentina de carro, contate a locadora de carro, pois eles precisam emitir um documento te autorizando a fazer isso.

Postos de combustível

Há diversos postos de gasolina ao longo do caminho, mas não são todas as cidades/ vilarejos que têm um posto. Como a distância entre eles pode ser longa, certifique-se de que tem combustível suficiente para chegar ao próximo. 

Ao entrar na Carretera Austral, você vai perceber que todos os postos da OPEC (principal rede de combustíveis) têm um mapa indicando a localização dos postos ao longo da Carretera. Abaixo uma imagem para te ajudar a planejar suas paradas para abastecimento.

Carretera Austral Chile - Postos de Gasolina
Mapa com os postos de combustível da Carretera Austral

Manutenção 

Pelas condições da estrada, ter um pneu furado não deverá ser um fator surpresa. Nas maiores cidades ao longo da Carretera haverá mecânico ou alguém disposto a ajudar, mas considere tomar algumas precauções para evitar isso.

O ideal é alugar um carro que aguente o tranco – caminhonetes são sempre uma boa pedida, embora seja totalmente possível fazer a viagem em um carro comum. E lembre-se de checar o estepe.

Dica: é importante reservar as travessias de ferries (balsas) com antecedência se você viaja de carro. Especialmente a ferry de Hornopiren e a de Ibanez, para quem cruza o Chile Chico. Você pode ter que fazer uma ligação, pois é meio complicadinho conseguir esses bilhetes do exterior.

Quando viajar pela Carretera Austral

A melhor época para visitar a Patagônia chilena é de novembro a março, quando as condições da estrada são as melhores porque o clima é geralmente mais estável, com predominância de dias ensolarados.

Além disso, o transporte público é mais frequente (comparado ao resto do ano) e todas as acomodações ao longo do caminho estão abertas. A maior desvantagem são os preços, porque quando a Patagônia está no seu melhor, os preços de todos os serviços são mais altos. 

Por isso, todos os viajantes que querem economizar devem considerar visitar a região fora da temporada, como outubro ou final de março e abril.

Carretera Austral no inverno

Junho a agosto é a época mais desafiadora para visitar, pois a Carretera Austral no inverno significa muito frio, ventos fortes e chuva ou neve.

Mas se você tem alguma experiência com viagens desse tipo, esta pode ser uma grande aventura para você. Menos multidões, preços baixos e uma paisagem coberta de neve e gelo permitirão que você veja a Patagônia de uma perspectiva diferente.

Quanto tempo de viagem para fazer a Carretera Austral

É possível fazer todo o percurso da Carretera Austral em 14 dias, desde Puerto Montt até Villa O’Higgins, seja de carro, transporte público ou mesmo carona.

Nós achamos que sete dias é o mínimo de tempo que você deve dedicar a essa viagem. Você não conseguirá conhecer todos os lugares, mas pode se programar com antecedência para fazer paradas nos locais que mais te interessam.

Já para explorar ao máximo os destinos da Carretera Austral, considere ficar de 3 a 4 semanas para conhecer os principais destinos e fazer os passeios.

Muitas pessoas chegam a passar dois meses fazendo trilhas e acampando nas áreas mais interessantes, mas nem isso é tempo suficiente para ver todos os destaques.

Por isso, alugar um carro é algo que você deve considerar quando o tempo é curto, pois permite que você gaste seu tempo de forma mais eficiente. Também é melhor ter um ou dois dias extras em seu itinerário para situações inesperadas ou mudanças de tempo.

Mais dicas de viagem para Carretera Austral

Dinheiro

Atente-se que quando viajamos pela Carretera Austral, o dinheiro é quem manda. Em alguns lugares, é possível pagar com cartão de crédito (especialmente nos melhores hotéis e restaurantes), mas eles são raros, então tenha sempre o dinheiro em mãos e em pesos chilenos.

Você encontra caixas eletrônicos logo no início da viagem, em Puerto Montt e Hornopiren, em Chaiten, Coyhaique e quase no final em Cochrane. E

Você também pode trocar dinheiro nas cidades mencionadas acima. Mas o ideal é fazer o câmbio antes de entrar na Carretera Austral, já que a taxa por lá não é favorável.

Dica | use o site Cotação para encontrar as melhores taxas de câmbio e aproveite para adquirir um cartão Visa Travel Money. Você pode ir abastecendo aos poucos antes da viagem e não passa aperto na hora de encontrar uma casa de câmbio.

Compras e comida

Em todas as cidades ao longo da Carretera Austral, mesmo nos vilarejos menores, você não terá problemas em encontrar mercadinhos. Você pode comprar quase tudo, porém alimentos frescos são difícil de conseguir, especialmente vegetais e frutas. A variedade é também limitada, especialmente mais ao sul da Carretera.

Saiba que tudo por lá custa um pouco mais – afinal a área é remota e alguns lugares são difíceis e demorados de alcançar.

Traga seus próprios medicamentos, pois não há farmácias em todo lugar. Para compras mais robustas, a melhor opção é em Coyhaique, a maior cidade da Carretera Austral onde está o maior supermercado da região.

Todos os vilarejos contam com restaurantes. Os preços também são um pouco mais altos e a qualidade pode variar, embora em alguns lugares não hajam tantas opções.

Seguro Viagem

Antes mesmo de começar a planejar sua viagem pela Carretera Austral, considere fechar um bom seguro viagem. Não dá para contar com a sorte durante a viagem, né? Para isso, recomendamos fazer uma boa pesquisa antes de fechar o seu seguro. Tente pela Segurospromo, que compara preços, e te ajuda a escolher o melhor.

É só usar o código EMALGUMLUGAR5 para garantir 5% de desconto!

Seguros Promo

Chip de viagem para o Chile

Uma das melhores coisas que a gente fez foi garantir nosso chip de viagem antes mesmo de chegar no Chile. Deixar para comprar um chip quando chegar no Chile pode ser mais barato, mas nós optamos pela conveniência.

Facilitou e muito nossa vida para baixar mapas, confirmar reservas e encontrar restaurantes pra comer ao longo da Carretera Austral. Foi ótimo também para conseguir entrar em contato com a acomodação, nos vilarejos menores, onde nem sempre as pessoas estavam à nossa espera.

Nós compramos nossos chips pelo Viaje Conectado ainda no Brasil – e foi tudo bem simples. Vale dar uma conferida, se você é daqueles que não fica sem internet.

O que levar na viagem para Carretera Austral

Fazer as malas para a Carretera Austral pode ser mais complicado do que você imagina. O que você precisa levar, é claro, depende da época do ano em que você vai visitar a região, mas você pode tomar algumas coisas como garantidas.

Primeiro, vai ser frio e com muito vento, mesmo no verão – aliás, o verão é a época que mais venta!

Em segundo lugar, pode chover muito a qualquer momento. 

E a última característica do tempo, o sol pode ser muito forte. Mesmo quando está nublado, é bom se proteger.

Portanto, considere esses itens na hora de fazer a mala:

  • Jaqueta impermeável e corta-vento é o item mais importante que você deve levar.
  • Casaco de frio (frio mesmo!), para se manter aquecido quando fizer uma caminhada ou parada para respirar, almoçar ou admirar a beleza ao redor.
  • Roupas térmicas – o melhor é usar roupas com tecidos “inteligentes”, que esquentem e não retenham o suor. Em temperaturas baixas, é importante usar várias camadas de roupa, assim você pode reagir rapidamente às constantes mudanças climáticas. Para saber mais, o blog Carioca sem Fronteiras fez um post sobre como se vestir no frio da Patagônia.
  • Botas de trilha (dê uma amaciada em sapatos novos antes de sua viagem para evitar que machuque) e meias de caminhada de alta qualidade para reduzirem o impacto e previnir bolhas e irritação.
  • Um protetor solar forte e um bom repelente contra tabanos, os mosquitos patagônicos (também conhecidos como moscas do cavalo). há lugares que não têm um único mosquito, enquanto outros, a Laguna Cerro Castillo, por exemplo, pode ficar lotada deles.

E aí, curtiu nossas dicas de viagem para a Carretera Austral? Conta pra gente como ficou seu roteiro!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Chile: explore

Um comentário em “CARRETERA AUSTRAL: VIAGEM PELA ESTRADA MAIS LINDA DO CHILE”

  1. Dhebora disse:

    Muito bom! Essa é uma das viagens que ainda tá faltando pra gente rs… amamos a região da Patagônia e somos doidos pra pegar um carro e fazer essa rota! Excelente post, gente!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

🇨🇷 Dois ícones da Costa Rica: surf e por do sol ☀️ 🏄‍♀️ Como o país é estreito e comprido , quase todas as praias do lado do Pacífico têm espetáculo do pôr do sol garantido (isso quando as chuvas tropicais não atrapalham). Fora a água naquela temperatura gostosa e um tanto de ondas tranquilas, ótimo pra quem quer aprender a surfar. A gente até se animou fazendo umas aulinhas, mas precisava de mais uma temporada por lá pra se manter na prancha por mais tempo. Alguém aqui pensando em voltar? 😬😛

Saindo da rota: todo destino tem aqueles cantinhos escondidos, que não estão em nenhum guia de viagem ou que você nunca ouviu falar antes, por mais que tenha pesquisado tudo sobre o lugar. ⠀
“E se a gente virar aqui, onde que vai dar?”
⠀
Eu não sei vocês, mas pra gente uma das melhores partes da viagem é poder andar pelo desconhecido. É esticar a caminhada ou virar à esquerda no atalho, e chegar ali só pra ver o que que tem.
⠀
É verdade que você pode chegar numa rua sem saída (e obviamente não é em todo destino que dá pra fazer isso). Mas é numa dessas que você descobre um lugar especial, que já faz valer a viagem todinha – que até vale cortar atração do roteiro só pra aproveitar mais aquela descoberta. ⠀
O desconhecido definitivamente faz nossos olhos brilharem! E para você, qual o grande momento em uma viagem?⠀ ⠀
____________________________
⠀

🇨🇷 Na Costa Rica você passa o dia inteiro babando pelo azul, pra chegar no fim de tarde e ficar embasbacado com esse rosa. 😍😱 É um pôr do sol mais lindo que o outro por aqui! ☀️

🇨🇷 A viagem pela Costa Rica ainda nem acabou e a gente já está com saudades – principalmente de quando estávamos com um 4×4.
⠀
Ele não só nos permitia dormir em qualquer lugar (uma delícia de casinha ambulante da @nomad_america ⛺️), como fazia da nossa road trip uma experiência bem mais confortável.
⠀
No começo achamos que não era tão necessário assim um carro desses pra rodar  pelo país… até trocarmos ele por um mini kart e começar a sentir cada buraquinho da estrada! 🚗 ⠀
O que importa é que, seja no carrão ou no carrinho, estamos curtindo demais o país! 😎 ⠀
👉 E ficam as dicas: viajar de carro é SIM a melhor forma de explorar a Costa Rica. E um carro alto não é necessariamente obrigatório dependendo do destino, mas definitivamente vale pagar um pouco a mais pelo conforto – assim você não perde a paciência pelos buracos do caminho 😊 🕳

🇨🇷 Do que mais gostamos na Costa Rica?
⠀
Estamos há um tempão aqui tentando responder essa pergunta, sem sucesso obviamente. 🤷‍♀️
⠀
Mas se tem uma coisa que ganhou nosso coração aqui são as praias: a grande maioria das que visitamos estavam praticamente desertas.🏝
⠀
Não paramos pra contar quantas visitamos, mas certamente passaram de 50. Todas – eu disse TODAS – têm aquele ar de natureza intocada. Nada de bagunça, nada de comércio lotando a areia, nada de prédios em volta… Nada de nada, somente mar quentinho + areia cheia de siris, hermitões – e alguns cachorros simpáticos. 🐚🦀🐶
⠀
🏊‍♀️ E enquanto vamos ali dar um mergulho, fica o conselho aqui de colocar Costa Rica nos seus planos de viagem, tá? Juro que vc não vai se arrepender 😊👍

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!