GUIA COMPLETO DE SANTIAGO DO CHILE: INFORMACÕES E DICAS

  • Adriana
  • -
  • 6 de dezembro de 2018
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e baixe nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Santiago do Chile é uma das capitais mais encantadoras da América do Sul. E para quem gosta do clima de cidade grande, não vai faltar o que fazer em Santiago: com um ar cosmopolita, a cidade oferece lindos parques, prédios interessantes, uma enorme variedade de cafés e restaurantes– e aquele trânsito caótico digno de uma importante metrópole.

Um grande ponto positivo de uma visita a Santiago é que dá para fazer vários passeios bate-volta, deixando a viagem ainda mais interessante. Dá para conhecer o exuberante Cajón del Maipo, se aventurar em uma estação de ski, curtir o litoral em Valparaíso e Viña del Mar e ainda visitar uma das várias vinícolas da região.

Confira agora tudo o que fazer e Santiago e arredores: mostramos as principais atrações desse destino e damos todas as dicas para sua viagem para Santiago ser incrível. Aproveite nosso guia de Santiago e comece a planejar sua viagem!

O que fazer em Santiago - Vista Santiago
As imponentes construções da cidade vistas do Parque Bicentenário

Não se esqueça do seguro viagem antes de embarcar para Santiago. Sugerimos fazer uma busca pela Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções de seguro. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto!

Saiba mais sobre o Santiago do Chile

Fundada em 1541 pelo colonizador espanhol Pedro de Valdivia (guarde esse nome, ele está em todos os lugares da cidade), Santiago do Chile, conhecida simplesmente como Santiago, tem sido capital do país desde então.

Hoje, com pouco mais de 4 milhões de habitantes, é uma das maiores metrópoles do mundo e 5º maior da América do Sul (São Paulo e Rio estão na frente em 1º e 4º lugar, respectivamente).

O Chile tem sua história marcada pela Ditadura Militar, que assombrou o país entre 1973 e 1990 e deixou mais de 3 mil mortos. É inegável que os efeitos da ditadura de Pinochet deixaram uma marca na cultura do país, e em Santiago podemos conferir um pouco disso no Museo da Memoria Y Derechos Humanos e no Palacio La Moneda – onde o até então presidente Salvador Allende faleceu.

Em termos econômicos, Santiago contribui com quase metade do PIB do país, e muito disso, é claro, é por conta do turismo: a capital chilena é porta de entrada para destinos como o Deserto do Atacama e a Patagônia, por exemplo. Aliás, em 2017 o país foi considerado o melhor destino de viagens do mundo – e Santiago desempenha um papel essencial nesse contexto.

Onde ficar em Santiago

Antes de mostrarmos o que fazer em Santiago, vale destacar as melhores regiões para se hospedar na cidade. Afinal, estar bem localizado é fundamental para garantir uma boa experiência de viagem na capital chilena.

O centro histórico é indicado para quem tem pouco tempo na cidade e deseja estar perto de muitas atrações históricas, com a ressalva de que não há muito pra se fazer por aqui à noite. Nós ficamos no maravilhoso Hotel Casa Zañartu, que funciona em um casarão que é tombado. Decoração bem clássica, impecável e cheia dos detalhes. Diárias a partir de R$220.

O que fazer em Santiago - Casa Zañartu
Aquele momento de editar fotos depois de um dia ótimo explorando Santiago

Próximo do centro fica o bairro de Providencia, com a maior oferta de hotéis da cidade. Uma área bem movimentada, com três estações de metrô diferentes. Uma opção para quem está viajando com o orçamento mais apertado, mas não abre mão de privacidade, é o Alma Bed & Breakfast. Os quartos individuais saem a partir de R$120, enquanto quartos duplos saem por apenas R$140.

Já o descolado Yogi Hostel fica apenas 10 minutos de caminhada do icônico Sky Costanera. Os quartos são amplos, a área comum é bem charmosa e uma suíte sai por R$150 a diária.

Para quem quer curtir a noite de Santiago, o bairro de Bellavista é o mais indicado. O Rado Boutique Hostel fica do lado do centro Patio Bellavista e oferece quartos compartilhados por R$75 e duplos por R$ 180 a diária. Além de ser muito limpo e confortável, o hotel tem um terraço com vista para a cidade, ótimo para tomar um vinho à noite.

Para os mais boêmios, Lastarria é o bairro mais charmoso de Santiago e tem um clima bem europeu. Na sua rua principal, José Victorino Lastarria, você vai encontrar vários cafés e bares, enquanto a cinco minutos de caminhada você encontra o belo Parque Forestal. Por lá, o Hostal Forestal oferece quartos individuais a partir de R$100 e um café da manhã farto.

O que fazer em Santiago: dicas e principais atrações

Uma viagem para Santiago cai bem em qualquer época do ano. A capital chilena está sempre vibrante, movimentada, sem deixar de oferecer um visual incrível da Cordilheira dos Andes. São tantas opções que fica até difícil saber o que fazer em Santiago – mas não se preocupe pois nós mostramos tudo o que há de imperdível na cidade aqui. Confira:

Centro Histórico

Para começar a entender um pouco da cidade, uma boa ideia é fazer um walking tour pelo centro histórico. Você pode fechar um tour para apreciar alguns pontos turísticos de Santiago e aprender mais sobre a origem e história por trás deles.

Se preferir explorar o centro histórico por conta própria, sem problemas. Salte na estação Plaza de Armas, na linha 2, e siga entre algumas construções importantes, como a Catedral de Santiago e o Edificio dos Correios de Santiago. Complete com uma visita ao Museo de Arte Precolombino, ali perto.

Para quem curte gastronomia e quer conhecer a culinária local (como o Centolla, um caranguejo gigante) uma visita ao Mercado Central de Santiago é indispensável. São diversas barracas que misturam sabores e aromas diversos de especiarias, ervas, frutos do mar e artesanatos. A estação mais próxima é a Estação Cal y Canto da Linha 2. O mercado fica aberto diariamente de 8h às 19h.

O que fazer em Santiago - Mercado Central
Um bom lugar para comer com um preço justo em Santiago

Museus e obras importantes

Ao planejar o que fazer em Santiago, vale dedicar um bom tempo para conhecer pelo menos algumas dessas importantes atrações:

Palacio de La Moneda | ícone de Santiago e um grande símbolo da história política do país, o Palacio pode ser conhecido de dentro, gratuitamente mas é preciso reservar com antecedência pelo site. O Palacio também atrai muitos turistas por conta da sua troca de guardas, que acontece em dias alternados, sempre às 10h em dias de semana e 11h em finais de semana e feriados. Logo abaixo do Palacio existe uma área de exposição que também é de graça.

O que fazer em Santiago - La Moneda
A outra face do Palacio La Moneda

Plaza de Armas | coração de Santiago, é um bom ponto de partida para começar a explorar o centro da cidade. Por ali encontramos o Cabildo (Municipalidad de Santiago), a Casa de los Gobernadores (Correo Central), a Real Audiencia (Museo Histórico Nacional) e a Iglesia Mayor (Catedral Metropolitana).

O que fazer em Santiago - Plaza de Armas
Aqui foi onde começou a cidade de Santiago

Museu Historico Nacional | ao redor da Plaza de Armas, esse museu conta a história política, econômica e social do Chile como um todo – temas como a colonização espanhola e os povos locais estão presentes por aqui. Uma dica bacana é que no museu existe uma torre com subida liberada para os visitantes, com uma linda vista da Plaza de Armas. A entrada é paga e o museu funciona de terça a domingo, das 10 às 18h.

Museo Chileno de Arte Precolombino | tem dos acervos mais ricos do Chile em termos de artefatos que remetem aos tempos pré-colombianos, ou seja, às populações indígenas que habitavam a terra antes dela ser colonizada pelos espanhóis, como os povos Mapuches e os Maias. O museu funciona de terça a domingo, de 10h às 18h. Entrada paga.

Museo de Memoria Y Derechos Humanos | conta a história do antes, durante e depois da ditadura militar do Chile. A entrada é gratuita e o museu funciona de terça à domingos, de 10h às 18h. O museu fica colado com estação do Metro Quinta Normal, linha 5 (verde).

Museo Nacional de Historia Natural | um espaço para conhecer mais sobre a geografia, fauna e flora chilena. Para chegar aqui é só descer na estação de metrô Quinta Normal, linha 5 (verde) – fica pertinho do Museo de Memoria Y Derechos Humanos. Funciona de terça a domingo, das 10h às 17h30. Entrada gratuita.

Museo Nacional de Bellas Artes | conhecido como MNBA, ele retrata muito da história latino americana e seus pintores, mas há também obras de Van Gogh e Monet, além de diversas exposições temporárias do circuito mundial. A entrada é gratuita e está aberto de terça a domingo, de 10h às 20h. A estação mais próxima é a Bellas Artes.

La Chascona | uma das muitas casas de Pablo Neruda espalhadas pela Chile, é a mais fácil de se chegar do centro de Santiago. Se você estiver hospedado na região de Bellavista, melhor ainda. Fica pertinho do Cerro San Cristóbal e fica aberta de terça a domingo das 10h as 19h. Entrada paga.

O que fazer em Santiago - La Chascona
Foto: Arturo Rinaldi Villegas / CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Sky Costanera

Prédio mais alto da América do Sul, o Sky Costanera tem 300 m de altura – e uma visita ao seu mirante é item obrigatório da lista sobre o que fazer em Santiago. O mirante fica no 62o andar e oferece uma vista 360º de Santiago e da Cordilheira dos Andes. Aberto todos os dias até às 22h. Entrada paga (o preço é um pouco salgado – 15.000 pesos – mas vale muito a pena). A linha 1, vermelha, te deixa ali pertinho. Salte na estação Tobalaba.

o que fazer em Santiago - Sky Costanera 1
Curtindo o visual
o que fazer em Santiago - Sky Costanera 2
Buscando detalhes do alto do Sky Costanera

Templo Baha’i

Outra opção interessante para quem procura o que fazer em Santiago é uma visita ao Templo Baha’i: esse é o único templo da religião na América do Sul, e sua arquitetura é lindíssima. Além de ser um lugar de muita paz, o templo fica no alto de um morro, proporcionando mais uma linda vista panorâmica da cidade. Entrada gratuita. Horário: de terça a domingo das 9h às 19h.

o que fazer em Santiago - Templo Baha'i
O incrível templo Baha’i, um lugar que tem uma energia muito boa e que te faz desacelerar um pouco

Mirantes e Cerros

Uma boa viagem para Santiago deve incluir pelo menos um mirante, pois a cidade é bem linda vista de cima. Há vários lugares que proporcionam um visual incrível, veja alguns deles:

Cerro San Cristóbal | localizado dentro do Parque Metropolitano, o maior parque urbano da América Latina, que também abriga o Jardim Botânico e o Zoológico. No topo do Cerro fica também o Santuário Imaculada Conceição. O Cerro é um passeio ideal para ver o pôr-do-sol em Santiago durante o verão: a vista da cidade com a Cordilheira ao fundo é impressionante!

O que fazer em Santiago - Cerro San Cristóbal
Você pode subir a pé, de carro ou de teleférico

Uma das opções para chegar até lá é saltar na estação Baquedano, utilizar a entrada Pio Nono do parque e, de lá, pegar o funicular que te deixa no alto. Tem também a opção do teleférico, que parte da Entrada de Pedro de Valdívia Norte e leva até o topo do Cerro. Para os mais corajosos, é possível fazer o caminho de bike ou a pé também (são 7km).

Cerro Santa Lucia | outro mirante famoso em Santiago, o Cerro Santa Lucia tem a vantagem de que, para subir, não é preciso pagar nada. A entrada principal fica na Avenida Libertador Bernardo O’Higgins – a estação mais próxima é a Santa Lucía –  mas há também entrada pela Rua Merced – a estação de metrô Bellas Artes é a melhor. No verão, o funcionamento é até às 20h, enquanto no inverno vai até às 19h.

Bairros e regiões

Bairro Lastarria | um dos bairros mais gostosos para passar uma tarde, graças ao seu ar europeu e às construções estilo Belle Époque do século XIX. Existem vários cafés charmosos por aqui (confira o Escondido Café), e um bom endereço para jantar é a Brasserie Casa Lastarria.  Outro passeio legal é a feira de antiguidades, que acontece de 10h às 20h às sextas, sábados e domingos. Outros lugares que valem a visita são o Museo de Arte Contemporanea e o Museo Artes Visuales (MAVI).

Bairro Paris – Londres | como o nome deixa claro, esse bairro lembra um pouco as cidades europeias. O bairro, na verdade, é o cruzamento da Calle Paris com a Calle Londres – e a semelhança ocorreu graças às mãos de arquitetos europeus que trabalharam por aqui na década de 1920. Não deixe de visitar a Iglesia de San Francisco e apreciar a arquitetura local. A estação mais próxima é a Universidad de Chile, Linha 1.

o que fazer em Santiago - Paris Londres
Um charmoso pedaço da Europa em Santiago

Avenida Itália | parte dos bairros de Providencia e Ñuñoa, essa avenida parece saída de um filme de época. Imagine um lugar cheio de cafés aconchegantes, galerias de arte, muitas árvores e antiquários. Desbravar a avenida e seus entornos em uma manhã de sábado é um programa perfeito. Para chegar até lá, desça na estação Santa Isabel, na linha 5.

Parques

Parque Bicentenario | inaugurado em 2007, no aniversário de 200 da Independência do Chile – daí o nome. É uma atração recente em Santiago, mas imperdível. Ótimo para andar de bike, curtir um final de tarde no lago – repleto de cisnes e flamingos – ou fazer um piquenique.

o que fazer em Santiago - Parque Bicentenário
Um momento que paramos para conversar sobre a nossa visita na capital Chilena
o que fazer em Santiago - Parque Bicentenário 1
Um relax com essa vista pra cidade

Quinta Normal | primeiro parque urbano do Chile, criado em 1841. Ótima opção para quem vai viajar com crianças, já que tem muitas áreas de recreação e até pedalinho. Fica do ladinho de dois museus, o Museo da Memoria Y Derechos Humanos e o Museo Nacional de Historia Natural. A estação mais próxima é a Quinta Normal, linha 5.

Parque Araucano | localizado no bairro de Las Condes, é um dos parques mais bonitos de Santiago, o. É também um dos mais modernos da cidade – uma das partes mais bacanas do parque é a “Puente Entre Parques”, uma incrível ponte que liga os dois lados do parque e passa por cima da Avenida Manquehue. A estação mais próxima é a Estação Manquehue.

Parque de Las Esculturas | funciona como um museu a céu aberto, reunindo obras e esculturas de diversos artistas chilenos. Por lá também sempre ocorrem festivais, como o Festival de Jazz de Santiago. Fica no bairro da Providencia e a estação mais próxima é a Pedro de Valdivia (Linha 1 vermelha)

O que fazer em Santiago: passeios de um dia

Vinícolas

Para quem curte um bom vinho e gosta de visitar vinícolas, não vai faltar o que fazer em Santiago: são mais de 300 vinícolas para visitação, muitas com preços em conta e acessíveis de metrô e ônibus.

A mais famosa delas é a tradicional Concha Y Toro, e por ser a mais conhecida, acaba sendo uma visita no estilo bem “turistão”. Nós não curtimos muito e sugerimos outras vinícolas que oferecem uma visita mais completa. Eles oferecem o tour comum (degustação de 3 vinhos) e o tour premium (sete vinhos + tabua de queijos). Caso queira visitá-la, basta saltar na estação Las Mercedes do metrô e de lá pegar um taxi, que vai sair por volta de 3.000 pesos.

Outra vinícola bastante visitada é a Undurraga, que oferece uma experiência mais interessante que a anterior. Fizemos o tour básico e achamos a vinícola muito linda! Preferimos fechar um passeio com a SnowTours Chile, para podermos degustar à vontade e não nos preocuparmos com a volta. Para ir por conta, pegue o metrô até a estação Central (linha vermelha) e de lá faça a troca para o terminal de ônibus San Borja, onde você vai pegar o ônibus da linha Talangate. O trajeto leva cerca de 50 minutos.

O que fazer em Santiago - Undurraga
Os barris de vinho aguardando a maturação
O que fazer em Santiago - Vinícolas
Um brinde ao bom vinho chileno!

Para os entusiastas de verdade, é preciso incluir o Vale de Casablanca, que se destaca pela produção de vinhos brancos. Um pouco mais distante – quase no meio do caminho entre Santiago e Valparaíso – ela pode ser combinada com um passeio e pernoite na cidade ou em Viña del Mar, por exemplo.

Outra vinícola bem recomendada é a Santa Rita, mas nós não tivemos tempo de visitá-la.

Valparaíso e Vina del Mar

São os passeios bate-volta mais clássicos a partir da capital chilena – e que podem deixar sua viagem para Santiago ainda mais interessante. Para quem está com pressa, dá para fazer os dois em um dia só, saindo bem cedo. Várias empresas oferecem translado até as cidades, nós fechamos com a SnowTours.

Dá pra fazer também com transporte público, e é bem fácil. Há muita saída de ônibus para os destinos diariamente (praticamente um a cada 15 minutos) e você pode pegá-lo nos terminais Pajaritos ou Alameda. Até Valparaíso, o trajeto leva 1h40 e quem leva é a empresa Turbus.

Cajón del Maipo

Cajón del Maipo é um passeio surpreendente a apenas uma hora de distância do centro (sem trânsito, claro). É considerado por muitos um dos melhores passeios de Santiago. O roteiro inclui a represa Embalse El Yeso e uma visita às Termas de Colina.

O que fazer em Santiago - Embalse Yeso
Uma das paisagens mais bonitas dos arredores de Santiago
O que fazer em Santiago - Termas
Banhos termais para relaxar durante a tarde

É melhor visitar durante o verão, quando as estradas estão melhores. Para chegar lá, o ideal é fechar o passeio com uma agência. Nós gostamos tanto da SnowTours Chile que seguimos com eles pra lá também.

Estações de ski

Para quem procura o que fazer em Santiago durante o inverno, existem diversas opções de estações de ski próximas à cidade, que são garantia de neve e diversão.

A mais próxima, a 30km de Santiago, é a de Farellones, a mais recomendada para iniciantes na prática. El Colorado e La Parva vêm logo em seguida e já possuem pistas com maior nível de dificuldade.

A famosa Valle Nevado – a 13km de Farellones –  conta com uma estrutura mais robusta e é uma das preferidas dos turistas. O custo médio para fazer um bate e volta para essas estações é de cerca de 15.000 pesos e muitas agências oferecem a opção de translado desde Santiago.

O que fazer em Santiago - Inverno
Valle Nevado, uma das estações de ski mais procuradas do Chile

Onde comer em Santiago

Não se esqueça de incluir bons restaurantes na sua lista com o que fazer em Santiago. Uma das especialidades da culinária chilena são os frutos do mar, especialmente aqueles encontrados localmente, como moluscos e caranguejos. Uma opção para saborear esses pratos é o restaurante com inspiração peruana La Mar, próximo do Parque Bicentenário.

Já o Galindo é uma escolha clássica – e que vale a pena – em um dos bairros mais animados de Santiago, a Bellavista. O forte aqui são pratos típicos da culinária andina, como empanadas, pastel de choclo e o lomo a lo pobre, prato composto de um tipo de carne, ovos e batata frita.

Por sinal, em Bellavista se encontra o Patio Bellavista, polo gastronômico à céu aberto que reúne opções variadas de restaurantes. Por fim, uma boa dica para quem quer economizar na capital chilena é procurar por restaurantes que ofereçam o menu del dia (o nosso prato feito), que inclui entrada, prato principal e bebida por um preço bem em conta.

Quer mais inspiração? O blog Volto Logo tem um post cheio de dicas de onde comer barato em Santiago.

Como chegar e circular em Santiago

Agora que você já viu tudo o que fazer em Santiago e já sabe quais são as melhores regiões para se hospedar, é hora de conferir como chegar e se locomover na capital chilena:

Como chegar em Santiago

Por ar

Para quem sai do Brasil, chegar em Santiago. Latam, Gol e Avianca fazem voos diretos entre a capital chilena e São Paulo. Do Rio de Janeiro, apenas a Latam realiza voos diretos.

Se você estiver saindo de alguma outra cidade chilena, vale dar uma olhada nos voos da Sky Airlines, a companhia área low cost do país. Dá para achar voos entre as principais cidades por USD 20 o trecho. Se preferir fazer os trajetos de ônibus, as principais empresas do país são a Turbus e a Pullman.

O Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez (SCL) fica a mais ou menos 16km do centro de Santiago. Para chegar até lá, existem basicamente três opções. A primeira delas é pagar um taxi – sempre procure pelos oficiais, que possuem preços tabelados – que vai custar cerca de CLP 20.000. É uma boa opção para quem está acompanhado, com muitas malas ou vai chegar em um horário ruim, tarde da noite.

Por terra

A segunda opção, bem comum entre quem está viajando sozinho, é o serviço de translado compartilhado. Basicamente, são vans que partem para diversos bairros da cidade, normalmente a cada meia hora ou assim que a van lotar. Por pessoa, o serviço sai a mais ou menos CLP 10.000. Não é preciso reservar com antecedência, basta se dirigir para um dos vários guichês no desembarque de passageiros.

A última opção, e também a mais em conta, é fazer o trajeto de ônibus e metrô. O caminho até o metrô pode ser feito pelas companhias de ônibus Turbus ou Centropuerto. De lá, é só pegar o metrô e saltar na estação mais próxima da sua hospedagem. Trajetos e horários de saída podem ser consultados diretamente nos sites das empresas.

Também é bem fácil chegar em Santiago a partir de Mendoza, na Argentina. Esse foi o caminho que fizemos – e a vista é incrível, por isso vale a pena escolher um horário diurno. O trajeto de ônibus leva cerca de 6 horas e passa pelo meio das Cordilheiras dos Andes. Várias empresas realizam o trajeto, como a argentina Andesmar, que cobra cerca de ARG 1000 pelo trecho.

Como circular em Santiago

Praticamente todos os pontos de interesse estão cobertos pelo metrô, que é prático e rápido. No total, são 5 linhas diferentes, mas é bem possível que você use apenas a linha 1, Vermelha e a Linha 5, Verde, pois é onde estão reunidas as principais atrações da cidade.

O que fazer em Santiago - Metro
Circular por Santiago de Metro é a melhor forma de economizar tempo e dinheiro

O valor da passagem depende do horário escolhido – horários de pico possuem tarifas mais caras. O ideal é comprar o cartão Bip!, que integra ônibus e metrô. Dá para adquirí-lo em qualquer estação de metrô. Vale avisar que enquanto não é obrigatório ter o cartão Bip! para usar o metrô, ele é obrigatório para o ônibus.

Quanto aos taxis de Santiago, eles não são considerados muito bons – são várias as reclamações de taxímetros adulterados e golpes na hora de dar o troco. Uber, apesar da briga com os taxistas, é uma boa pedida para corridas dentro da cidade. Nós usamos e não tivemos problema. É recomendado sentar no banco do carona para não ficar caracterizado que é um Uber levando um passageiro.

Quantos dias ficar em Santiago

Apesar de ser um tempo curto, em cinco dias você consegue ver as principais atrações de Santiago e fazer algum dos bate e voltas possíveis, como Valparaíso. Com sete dias você consegue visitar outros pontos da cidade e também programar mais passeios em Santiago, como visitas às vinícolas e ao Cajón Del Maipo, por exemplo.

Qual a melhor época para visitar Santiago

Uma das coisas mais legais é que a cidade pode ser ser bem aproveitada o ano inteiro: há muito o que fazer em Santiago independente da época escolhida. É verdade que algumas atividades só podem ser feitas em certas estações, como esquiar por exemplo. Mas de um modo geral, é possível aproveitar a cidade igualmente em qualquer mês.

Uma coisa importante de se saber é que por lá, diferentemente do Brasil, as estações são bem definidas, e no inverno faz muito frio sim, podendo bater ali nos 0ºC. Se seu foco for esquiar, essa é a estação que deve ser escolhida.

Da mesma maneira, o verão e a primavera são as melhores épocas para aproveitar melhor os belos parques da capital chilena e seus belos mirantes. A boa notícia é que as vinícolas também podem ser visitadas em qualquer época do ano, sem nenhum problema.

Qual moeda levar para Santiago?

A moeda oficial do Chile é o Peso Chileno (CLP) e, no período que fomos, estava valendo mais a pena levar real do que dólar. Mas vale sempre conferir a cotação para decidir qual moeda levar. Dificilmente compensa comprar peso chileno ainda no Brasil, pois a cotação é sempre desfavorável.

Chegando em Santiago, troque a menor quantidade possível de pesos no aeroporto. Uma boa cotação que encontramos foi na Calle Agustina, no centro de Santiago (entre o Paseo Ahumada e a Calle Banderas). Outro bairro com opções interessantes de câmbio é a Providencia, mais especificamente na avenida Pedro de Valdivia.

Um detalhe importante, que poucos sabem, é que se você pagar sua hospedagem em dólares americanos ou no cartão de crédito, você não precisa pagar o imposto de 19% atrelado à hospedagem, chamado IVA. Por isso, vale levar pelo menos o valor para a hospedagem em dólares ou então levar seu cartão de crédito apenas para esse fim.

Não esqueça o seguro viagem!

Agora que você já conferiu tudo o que fazer em Santiago, vale o lembrete: um seguro viagem é indispensável para uma viagem tranquila e sem maiores estresses. Já precisamos de atendimento médico durante nossa viagem pela América do Sul e felizmente tínhamos o seguro para cobrir as despesas.

Sugerimos fazer uma busca pela Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções de seguro. Pra melhorar, é só usar nosso código EMALGUMLUGAR5 para ganhar 5% de desconto!

Uma viagem para Santiago combina com:

Atacama | Um destino dos sonhos no Chile: o Deserto do Atacama está cheio de paisagens incríveis. São várias opções de passeios, incluindo vales rochosos, montanhas coloridas, banhos termais, lagunas salgadas e muito mais. Você jamais esquecerá o Atacama!

Tem mais alguma dica sobre o que fazer em Santiago do Chile? Conta pra gente!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Baixe agora nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Chile: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!