O que fazer no Deserto do Atacama: guia competo | Em Algum Lugar do Mundo

DESERTO DO ATACAMA: GUIA COMPLETO

Tudo que você precisa saber para planejar sua viagem para o deserto mais alto do mundo

  • Adriana
  • -
  • 27 de agosto de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Lar de um dos céus mais perfeitos e dos cenários mais surreais que já vimos na vida, o Deserto do Atacama só pode ser descrito como mágico. É tanta diversidade de cenários – montanhas, neve, lagunas de sal – que a gente mal sabia como planejar um roteiro.

Deserto do Atacama Chile - Foto de um Mirante na estrada de Calama a San Pedro de Atacama com vista pro Valle de La Luna
Esse mirante fica no meio da estrada de Calama a San Pedro com vista pro Valle de La Luna

Mas depois de passarmos uma semana no meio do deserto mais alto e seco do mundo, reunimos nesse post tudo o que fazer no Atacama, com todas as informações que você precisa para fazer uma viagem inesquecível.

Aproveite nossas dicas e vem com a gente!

Onde fica o Deserto do Atacama

O mais alto deserto do mundo fica na região norte do Chile, fazendo fronteira com a Bolívia e o Peru. O Deserto do Atacama ocupa uma área total de 105.000km2 e sua altitude pode variar dos 2.300m (em San Pedro de Atacama) até os 4.300m (Geysers del Tatio), ou ainda passar dos 6.000 no topo de alguns vulcões.

Onde ficar em San Pedro do Atacama?

Durante nossa viagem para o Atacama, nós nos hospedamos em dois lugares diferentes: Hostal Sonchek e Posada Atacameña. Vale explicar que a base para explorar o Deserto do Atacama é a pequena cidade de San Pedro do Atacama, uma cidadezinha bem pequena, mas com bastante opções de hotéis e albergues.

A principal rua de San Pedro é a Calle Caracoles, onde você vai passar por parte do seu tempo. Qualquer hospedagem próxima dessa rua – e da Calle Toconao, outra rua central – será uma boa escolha, já que é aqui que se concentram a maior parte dos restaurantes, mercadinhos e agências.

Deserto do Atacama Chile - Foto da Calle Caracoles no centro de San Pedro de Atacama aqui estão localizados hostels, restaurantes, mercados e agências
A Calle Caracolles é uma referência para hospedagem, restaurantes e agências

Seguem algumas recomendações de hotéis em San Pedro:

Hostal Sonchek | Bem no centrinho, esse hostel oferece opções de cama tanto em dormitório quanto em quartos privados. Porém, todos os banheiros são compartilhados. Há uma cozinha para uso comum dos hóspedes. A partir de R$71 no quarto compartilhado ou R$170 no quarto duplo.

Deserto do Atacama Chile-Foto do quarto de casal com banheiro compartilhado do Hostel Soncheck
Foto Divulgação

Posada Atacameña | A 5 minutinhos do centro, essa pousada dispõe de quartos coletivos e privados. Há a opção de banheiro privado ou compartilhado, dependendo do tipo de quarto. Há uma cozinha para uso coletivo e há um pátio bem simpático para relaxar no fim de tarde. O quarto duplo sai a R$290 a diária.

Deserto do Atacama Chile-Foto do Quarto Triplo com banheiro privativo na Pousada Atacamena
Foto Divulgacão

Hostal Corvatsch | a poucos passos da Calle Caracoles, ele é uma versão mais arrumadinha do que um albergue, onde você consegue reservar um quarto individual, com cama de solteiro, por R$121 ou um quarto com cama de casal a R$200. Com estilo rústico, todo renovado, é um achado no meio do deserto. A melhor parte é o terraço ao ar livre, de onde você pode curtir o céu do Atacama de graça.

Incahuasi Travelodge | mas afastado, esse hotel fica a 20 minutos a pé do centro da Caracoles e tem preços ótimos com um nível a mais de conforto. A diária do quarto para duas pessoas sai a R$ 171. Uma das coisas mais legais é a decoração do hotel, em homenagem a cultura andina.

Hostal Ayni | a pouco mais de dez minutos do centrinho a pé. A diária para duas pessoas em quatro privativo sai a R$ 178. Tudo é bem limpinho e a área externa do hotel é uma delícia, com várias redes e uma vista incrível para as montanhas do Atacama.

Como chegar no Deserto do Atacama

Saindo do Brasil

O aeroporto mais próximo de San Pedro do Atacama fica na cidade de Calama, a cerca de 100km de distância. Para quem vem do Brasil (Latam e Gol fazem o trajeto), normalmente há uma escala no aeroporto de Santiago para troca de avião.

Como ir de Calama para San Pedro do Atacama

Do aeroporto de Calama até o centro de San Pedro do Atacama são aproximadamente 1h30 de viagem. Para fazer esse trajeto, existem basicamente três opções: alugar um carro, agendar um transfer ou pegar um taxi.

Carro| Alugar um carro é uma boa opção se você estiver viajando com mais pessoas ou se quiser fazer alguns passeios no Atacama por conta própria. A dica aqui é reservar seu carro com antecedência pela internet, principalmente em alta temporada. Para isso, recomendamos o site da Rentcars, que sempre mostra os melhores preços pra gente.

Transfer | Uma das principais empresas que presta o serviço é a Licancabur. Ela também realiza reservas online. O preço é de 12.000 por trecho ou 22.000 se você comprar ida e volta juntas. Outra empresa que realiza o serviço é a Transfer Pampa.

Taxi + ônibus | A opção mais barata se você estiver viajando sozinho e com pouca coisa, mas que não vale a pena se você estiver em um grupo grande ou podendo pagar um pouco a mais pelo conforto. Nesse método, você pega o taxi até o terminal de ônibus de Calama – cerca de 7.000 pesos – e depois um ônibus para San Pedro do Atacama – mais 4.000 pesos.

Como ir de Santiago para o Atacama

Se você já estiver em Santiago, a melhor opção é realizar um voo doméstico até o Aeroporto de Calama. A Sky Airlines, uma low cost chilena, realiza o trajeto diariamente. Dá para comprar ida e volta por USD 150 ou até menos.

Para os mais aventureiros, também é possível chegar até o Deserto do Atacama de ônibus. São cerca de 24h de estrada, mas as paisagens pelo caminho são incríveis. As passagens devem ser compradas com a empresa Turbus e vão desde 23.000 até 52.000 dependendo do tipo de ônibus (leite, semi leito ou premium).

Como ir da Argentina para o Atacama

Para quem está no norte da Argentina, nas cidades de Jujuy e Salta, chegar no Atacama também é bem fácil. Inclusive, a viagem de ônibus entre os dois destinos é um atrativo por si só. A maior parte das saídas ocorre na parte da manhã, já que a estrada tem muitas curvas e a viagem é longa – pouco mais de oito horas. Quem faz o trajeto é a Pullman Bus e cada trecho sai por volta de 40.000 pesos.

Como ir do Salar de Uyuni (Bolívia) para o Atacama

Muitas pessoas deixam para explorar o Deserto do Atacama depois de conhecerem o Salar de Uyuni, na Bolívia. Se esse for seu caso, faça o tour sentido San Pedro normalmente – leva três noites no total – e quando chegar ao final, ao invés de voltar para a Bolívia, permaneça em San Pedro, é só avisar sua agência.

Se você vai para o Atacama, é bom se preparar para o ‘soroche’ – o mal de altitude – que pode ser causado pela diminuição de oxigênio acima dos 3.000 metros. Portanto, faça um seguro viagem antes de embarcar. Recomendamos pesquisar seu seguro pela Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto!

O que fazer no Deserto do Atacama: dicas de viagem

  • O Atacama tem muitas atrações especiais e é quase impossível ver tudo em uma viagem só. Uma dica válida é que, na maioria dos casos, não vale a pena reservar os seus passeios no Atacama com antecedência. Pessoalmente, você vai poder negociar valores bem melhores.
  • Outra dica importante é a questão da aclimatização. O Deserto do Atacama fica a 2.408 metros de altitude e, em certos passeios essa altitude pode aumentar mais de 4.000m. Por isso, é bom estar atento a sintomas como enjoos, dores de cabeça e dificuldade de respiração. Antes de embarcar, informe-se sobre o soroche, o temido mal de altitude.
  • Por causa da altitude, o mais indicado no Deserto do Atacama é fazer os passeios por ordem crescente de altitude, assim você vai se acostumando aos poucos e fazendo a tal da aclimatação. Você pode começar com o Valle de La Luna e deixar o Geysers del Tatio para o último dia, por exemplo.
  • Fazer um seguro viagem para visitar o Atacama é imprescindível. Nós já passamos mal durante nossa trip pela América do Sul (por causa da altitude) e precisamos de médico. Portanto, não se arrisque.  Sugerimos fazer uma busca pela Segurospromo, o melhor site comparador de preços. Aproveite e use nosso código EMALGUMLUGAR5 pra garantir 5% de desconto.
  • Se você tiver poucos dias no Atacama, tente escolher passeios que possam ser combinados e feitos no mesmo dia para otimizar seu tempo.

O que fazer no Deserto do Atacama: principais atrações

Valle de La Luna e Valle de La Muerte

Ao planejar o que fazer no Atacama, esse passeio deve estar no topo da sua lista. O cenário do Valle de La Luna e do Valle de La Muerte parece mesmo de outro mundo, combinando dunas de areia, cânions e formações de sal.

O Valle de La Luna fica a cerca de 17km do centro de San Pedro. Normalmente, os tours combinam a visita ao Valle de La Luna com o Valle de La Muerte, que fica próximo. Como ficam relativamente próximos do centro de San Pedro, é possível alugar uma bike e fazer o tour por conta própria.

Deserto do Atacama Chile - Foto do Caio no alto do Valle de La Luna com suas formações rochosas
Aquela sensação incrível de poder estar nesse lugar incrível, Valle de La Luna
Deserto do Atacama Chile - Foto das cores Por do Sol do alto do Valle de La Muerte
As incríveis cores do Pôr do Sol no Valle de la Muerte

As agências não seguem exatamente o mesmo roteiro, podendo variar a ordem de visita aos principais pontos. Dentre as maiores atrações, estão a Duna Maior, o Anfiteatro, o Cânion das Cuervas de Sal e a Pedra del Coyote, também chamada Mirador de Kari.

Altitude | 2.250m

Duração | meio dia, preferencialmente à tarde para curtir o pôr do sol.

Preço | Entre 20.000 e 55.000 pesos. A entrada para o Valle de La Luna custa 3.000 pesos e deve ser paga na hora.

Para saber mais, veja nosso post sobre o passeio para o Valle de La Luna e Valle de La Muerte.

Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche

Esses três passeios costumam ser feitos juntos. Normalmente, começamos o passeio pela Laguna Cejar (que fica a 18km de San Pedro).

O banho não é permitido na Laguna Cejar – ela é apenas para contemplação. Aquelas fotos legais boiando são tiradas na Laguna Piedra, bemm ali do lado.

Portanto, sugiro que deixe o momento contemplação para depois: ao chegar, vá direto para a Laguna Piedra, pois entrar nas suas águas geladas fica bem mais fácil com o sol forte.

O grande atrativo dessa lagoa é que ela tem uma grande quantidade de sal em suas águas, fazendo com que seja impossível afundar – tem mais sal do que no Mar Morto. Difícil é tirar o sal que fica impregnado no seu corpo!

Deserto do Atacama Chile - Foto do Caio na Laguna Piedra boiando de lendo o guia que é entregue a todos os visitantes.
Curtindo uma leitura nas águas geladas da Laguna Piedra
Deserto do Atacama Chile - Foto da Laguna Cejar das águas transparentes tirada de um dos mirantes
As águas transparentes da Laguna Cejar

Já os Ojos Del Salar são praticamente dois milagres no meio do deserto: duas lagoas redondas, uma do lado da outra – por isso são conhecidas como os “olhos” do salar – com águas perfeitas para limpar o corpo do sal remanescente da Laguna Cejar. A água aqui também é muito gelada!

Deserto do Atacama Chile - Foto aérea das duas lagunas que parecem olhos no Ojos del Salar
Foto aérea dos Ojos Del Salar

O dia termina com um passeio pela Laguna Tebinquiche, que foi formada pelo degelo da Cordilheira dos Andes. Para chegar até lá, você necessariamente precisa estar com um guia autorizado. Deixe ela por último no seu roteiro e aproveite o incrível pôr-do-sol junto à paisagem deslumbrante que mistura vulcão, neve, lagoa de sal e dunas de areia de uma vez só.

Deserto do Atacama Chile - Foto da Laguna Tebenquiche com o vulcão Lincancabur ao fundo
Uma das imagens mais bonitas da região do Deserto do Atacama

Altitude | 2.300m

Duração | meio dia, preferencialmente à tarde para curtir o pôr do sol na Laguna Tebinquiche.

Preço | Entre 20.000 e 65.000 pesos. A entrada para a Laguna Cejar custa 15.000 pesos. Para a Laguna Tebinquiche, o valor é de 5.000 pesos. Ambas devem ser pagas na hora.

Confira o post que escrevemos sobre o tour para Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche.

Salar de Atacama + Lagunas Altiplânicas + Piedras Rojas (4.200m)

Mais uma opção que combina diferentes destinos em um único tour. Algumas agências dão opção de visitar apenas as Lagunas Altiplânicas, fazendo o passeio em meio período. Nós escolhemos fazer o completo, chegando até Piedras Rojas.

A ordem das atrações também pode variar, de acordo com a agência. Porém, os pontos as serem visitados são:

A Laguna Chaxa, no Salar de Atacama, é onde você vai poder observar uma grande quantidade de flamingos (a área faz parte da Reserva Nacional Los Flamencos). Aqui você já começa a perceber os cenários lindos que te esperam pela frente.

Deserto do Atacama Chile - Foto de cinco flamingos se alimentando na Laguna Chaxa com o vulcão Lincancabur ao fundo
Os flamingos são muito comuns nas lagunas salgadas do Deserto do Atacama e na Chaxa não poderia ser diferente

Nós fizemos uma curta parada no Vilarejo Toconao, que fica a uns 38km do centro de San Pedro de Atacama. O vilarejo ainda mantém a arquitetura colonial e tem muitas lojinhas de artesanato local, ótimas para quem quer levar uma lembrança original para casa.

Deserto do Atacama Chile - Foto da torra da igreja localizada na pequena praça na cidade de Toconao
Torre da pequena igreja localizada na praça de Toconao

Depois seguimos para apreciar as belas lagunas Miscanti e Miñiques. O visual aqui é maravilhoso, ficamos um bom tempo andando em volta da Laguna. É aqui também que muitos tours fazem uma parada pro almoço – nada mal com esse cenário!

Deserto do Atacama Chile - Caminho demarcado com pedras até a margem da Laguna Miscanti
Caminho para a margem da Laguna Miscanti
Deserto do Atacama Chile - O mirante para a Laguna Miniques é mais distante da margem
Mirador da Laguna Miñiques

Seguimos para a próxima atração: o local conhecido como Piedras Rojas (o nome oficial é Salar de Águas Calientes ou Salar de Talar). Por conta do ferro oxidado, as pedras da área ficaram com uma bela cor avermelhada – por isso o nome -, que faz um belo contraste com o branco do salar e com o azul claro das lagoas.

Antigamente era possível caminhar sobre as pedras e chegar bem pertinho da água mas, devido a três acontecimentos, a caminhada sobre as “Pedras Rojas” foi proibida. Ficou curioso(a)? Vamos contar o que nos contaram:

1- Pessoas estavam jogando papel higiênico usado, latas de refrigerante e garrafas de água em qualquer lugar o que estava poluindo o local.

2- Um chileno foi pego fazendo um grafite (arte urbana) em uma pedra.

3- E em terceiro lugar, um brasileiro praticou kitesurf no lago que é considerado sagrado por lá, gravou tudo e postou no Youtube.

Por isso, a visita atualmente só pode ser feita de um mirante bem longe!

Deserto do Atacama Chile - Foto da vista do alto do mirante de Pedras Rojas com o seu lago ao lado
Vista do Mirante de Pedras Rojas

A apenas 9km do mirador de Pedras Rojas fica a Laguna Tuyajto. Não são todas as agências que vão até lá, mas não custa pedir né?

Deserto do Atacama Chile - Foto da Laguna Tuyajto, mais uma laguna no Deserto do Atacama
As águas brancas da Laguna Tuyajto

Altitude | 4.200m

Duração | meio dia (somente Lagunas Altiplânicas) ou dia inteiro (passeio completo)

Preço | De 50.000 a 95.000 pesos. Entrada de 3.000 pesos pago na hora.

Para saber ais, confira nosso post sobre o passeio para Salar de Atacama, Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas.

Lagunas Escondidas de Baltinache + Ônibus abandonado do Atacama

Mais um daqueles lugares pra deixar a gente bem confuso – afinal, como pode ter tanta lagoa em um deserto? Pois as Lagunas Escondidas de Baltinache é mais um daqueles lugares impressionantes – e imperdíveis – do Deserto do Atacama

São no total 7 lagoas, formadas artificialmente devido à extração de lítio no local. Todas elas têm uma enorme concentração de sal, com variados tons de azul e diferentes profundidades.

Há um caminho entre as lagunas, que podemos percorrer e apreciar a beleza de todas elas. Mas o banho está permitido em apenas duas: na primeira e na última. E por causa da alta concentração de sal, você vai boiar mesmo sem querer!

Deserto do Atacama Chile - Foto de uma das Lagunas Escondidas de Baltinache em um tom de azul muito claro
E esse tom de azul?
Deserto do Atacama Chile - Foto do Caio boiando na primeira Laguna que tem uma cor verde bem escura
Experimentando a sensação de boiar sem nenhum esforço, viemos aqui antes da Laguna Cejar
Deserto do Atacama Chile - Imagem do camino demarcado para caminhar e conhecer as lagunas
Trilha demarcada para percorrer e conhecer todas as Lagunas

E para o passeio ficar completo, ainda tem uma atração bem inusitada no caminho para as Lagunas: o icônico ônibus abandonado do Deserto do Atacama.

Existem algumas teorias (inconclusivas) sobre como o tal ônibus foi parar ali, mas uma coisa é certa: o cenário do ônibus no meio de todo aquele deserto é sensacional!

Deserto do Atacama Chile - imagem do ônibus abandonado no meio do deserto do Atacama com Caio e Adriana em pé em cima
Um dos lugares que mais queríamos conhecer no Deserto do Atacama, principalmente pela falta de informação de como chegar até ele sem ser contratando um tour

Não são todas as agências que incluem uma parada no ônibus abandonado, portanto verifique antes de fechar, caso tenha interesse em conhecê-lo (vale a pena!)

Altitude | 2.400m

Duração | meio dia ou dia inteiro, dependendo da agência.

Preço | Entre 20.000 e 90.000 pesos. A entrada custa 5.000 pesos, que deve ser pago na hora.

Confira mais informações no post sobre Lagunas Escondidas de Baltinache. Nós também fomos até o ônibus por conta própria e contamos tudo nesse post sobre o ônibus abandonado do Atacama.

Geyser del Tatio

Dentre as opções sobre o que fazer no Atacama, esse é o passeio que requer mais força de vontade dos turistas: normalmente as agências saem antes das 5h da cidade para chegar até s Geyser del Tatio. Por um bom motivo, já que o amanhecer é o horário mais bonito para fazer esse passeio.

Deserto do Atacama Chile - Foto Caio e Adriana em meio a fumaça liberada pelo vapor dágua no clima frio da manhã no Geyser Del Tatio
O lugar mais frio que enfrentamos no Deserto do Atacama, pegamos -11graus

Além disso, as temperaturas dos gêiseres podem beirar os geladíssimos -20Cº no inverno. Mas não se desanime, pois o frio e a falta de sono logo são compensados pelo espetáculo dos geysers: ver formações geográficas tão raras como essas foi sem dúvidas um momento inesquecível pra gente!

No caminho da volta, normalmente há paradas no Mirante do Rio La Putana e no Povoado Machuca, onde você pode comer uma boa empanada ou provar até espetinhos de lhama se tiver coragem.

Deserto do Atacama Chile - Duas moradoras de Povoado Machuca arrumam a mesa para expor e vender artesanato
Moradoras de Machuca usando as tradicionais cores nas suas roupas

Altitude | 4.320m

Duração | meio dia, começando normalmente antes das 5h da manhã

Preço | De 25.000 a 80.000 pesos. Entrada de 10.000 pesos pago na hora.

Para saber mais, veja nosso post sobre o passeio para o Geyser del Tatio.

Salar de Tara

O Salar de Tara fica bem distante de San Pedro do Atacama, cerca de 140km ou 2h30 de distância – quase na fronteira com a Bolívia. Por isso, as agências costumam partir bem cedinho para não perder tempo.  

Infelizmente não pudemos fazer esse passeio quando fomos, pois o passeio estava suspenso temporariamente (para preservação ambiental, costuma fechar em outubro). Caso você consiga ir, saiba que o Salar de Tara é o tipo de passeio onde o caminho é um atrativo tanto quanto o ponto final. Não deixe de apreciar as vistas incríveis do Vulcão Licacanbur, do Vulcão Juriques e dos Monjes Blancos até chegar nas Catedrais e no Salar de Tara.

Deserto do Atacama Chile - Vista da estrada em com o Vulcão Lincancabur ao Fundo
A incrível imagem do Vulcão Lincancabur

Altitude | 4.800m

Duração | dia inteiro

Preço | De 50.000 a 95.000 pesos.

Outros passeios no Atacama

Tour astronômico

Um dos passeios mais procurados no Deserto do Atacama é o Tour astronômico. E não é para menos, já que o céu de lá é um dos mais incríveis do mundo, graças ao baixo nível de poluição e à baixa luminosidade, que permite uma visualização perfeita.

Fotografia da Adriana no tour astronomico em cima do onibus abandonado no Deserto do Atacama com a via Lactea ao fundo
O Deserto do Atacama é um dos melhores locais do mundo para se observar e fotografar as estrelas

Algumas agências que oferecem o tour astronômico são: Space, Araya e Alarkapin, . É essencial reservar com antecedência, principalmente em alta temporada, já que os lugares são limitados – na Space, são 24 pessoas por tour por exemplo. Os horários de saída para o tour astronômico variam dependendo da estação do ano.

Altitude | 2.400m

Duração | turno da noite (verificar horários), cerca de 2h30 de passeio.

Preço | aproximadamente 20.000 pesos.

Termas de Puritama e Vale de Guatin

Uma ótima opção relax para quem procura o que fazer no Deserto do Atacama: curtir a natureza e as águas quentinhas das Termas de Puritama. Sem dúvidas uma das melhores formas de encerrar uma viagem (normalmente cansativa) pelo Atacama.

Deserto do Atacama Chile - Adriana relaxando em uma das piscinas da Termas de Puritama
Momento relax em uma das piscinas das Termas de Puritama

São no total 8 piscinas, construídas ao longo de um rio, usando suas águas naturalmente quentes: as temperaturas das piscinas podem variar dos 28º aos 35ºC. As Termas de Puritama são de propriedade privada.

Há também a opção de combinar a visita às Termas de Puritama com uma trilha pelo Vale de Guatin. São 3km de trilha, normalmente percorridas em 2h30 de passeio, em que o ponto final será nas Termas.

Altitude | 3.500m

Duração | meio período ou dia inteiro

Preço | De 17.000 a 65.000 pesos. O valor da entrada é de 15.000 pesos (seg a sex de manhã, sábados e domingos qualquer horário) ou 9.000 pesos (seg a sex a partir das 14h)

Saiba mais no post sobre as Termas de Puritama.

Pukara de Quitor

Se você tiver tempo sobrando, um passeio bem legal para ser feito nos arredores de San Pedro é visitar o sítio arqueológico de Pukara de Quitor. A construção é uma fortaleza do século XII, situada no topo de um morro, obra de povos pré-colombianos.

Esse tour é normalmente feito à pé ou de bicicleta, já que o local fica bem perto do centro de San Pedro de Atacama (cerca de 3,5km). Chegando lá, há duas trilhas que levam às ruínas: são cerca de 2h de caminhada pelo caminho mais longo ou 40 minutos pelo caminho mais curto, mas as duas levam ao mesmo destino final.

Não esqueça de levar bastante água, pois o sol costuma ser bem forte e não há lugares para comprar nada durante a trilha.

Altitude | 2.500m

Duração | entre 2 e 3 horas.

Preço | A entrada custa 3.000 pesos.

A Angela do blog Apure Guria fez esse tour de bike e deu um relato aqui.

Vale do Arco-Íris

Uma boa opção para quem quer fugir dos roteiros mais tradicionais é incluir o Vale do Arco-íris na sua programação. O Vale do Arco-íris foi uma grande surpresa para nós, pois não estava planejado e adoramos!

Deserto do Atacama Chile - As coloridas montanhas do Vale do Arco Iris. As cores vermelho, azul, roxo e verde surgem devido a oxidação de minerais do solo
As cores vermelho, azul, roxo e verde surgem devido a oxidação de minerais do solo

Ele fica na Cordilheira Domeyko e tem esse nome pois é formado por minerais de cores diversas, que dão esse efeito de “arco-íris”.  O resultado final é um lugar com um visual bem diferente, algumas vezes comparado com a Rainbow Mountain no Peru (mas nós achamos diferente). De bônus, por não ser tão turístico, está sempre sem movimento de turistas.

Esse passeio também pode ser combinado com uma visita aos Petroglifos de Hierbas Buenas, que ficam no caminho para o Vale do Arco-Íris. Trata-se de petroglifos feitos em diferentes épocas, sendo os mais antigos há mais de 11 mil anos.

Deserto do Atacama Chile - Hierbas Buenas Atacama Desenhos de um macaco talhado na pedra pelos povos originários da região.
Desenhos de um macaco talhado na pedra pelos povos originários da região. Fica a dúvida se não há registros de macacos na região como eles conheciam sua forma?

Altitude | 3.200m

Duração | meio período (manhã ou tarde).

Preço | De 25.000 a 80.000 pesos. A entrada custa 3.000 pesos e é válida para os dois lugares.

Confira o post que escrevemos sobre o Vale do Arco-Íris.

O centrinho de San Pedro de Atacama

Não deixe separar uma manhã ou uma tarde pós-passeio para dar uma voltinha pelo centro de San Pedro de Atacama. A Calle Caracoles guarda muitas lojas interessantes e artesanatos para serem exploradas, junto com a Calle Toconao.

Deserto do Atacama Chile - Calle Caracoles é a rua mais movimentada de San Pedro de Atacama, com construções baixa, chão de terra pessoas circulam buscando restaurante, agências de passeios e hotéis
Na rua mais movimentada de San Pedro de Atacama, viajantes circulam buscando restaurante, agências de passeios e hotéis

Já a Igreja de San Pedro, na praça principal, foi construída em 1774 pelos jesuítas espanhóis e, apesar de pequena, vale ser conhecida. Outra atração bacana é o Museu Arqueológico R. P. Gustavo Le Paige, que traz diversos artefatos da cultura pré-colombiana – alguns de mais de dez mil anos atrás.

Expedição para Uyuni

Muitas pessoas aproveitam a viagem até o Deserto do Atacama para dar uma esticadinha e fazer a expedição para o Uyuni, ou vice-versa. Isso porque os dois locais estão relativamente próximos geograficamente.

O tour leva quatro dias inteiro e três noites, pois há diversas paradas no meio do caminho. Diversas agências realizam a expedição e o preço médio gira em torno de USD 180 ou 70.000 pesos.

Deserto do Atacama Chile - Foto do Caio em pé em cima na nossa pickup branca no Salar do Uyuni
Uma das nossas maiores aventuras foi ter cruzado de carro até o Salar do Uyuni

Nós escrevemos um guia completo sobre o Salar de Uyuni. E como essa é uma viagem que pode não ser tão “simples”, contamos aqui o que você precisa saber antes de ir para o Uyuni.

Onde comer no Atacama

Apesar de ser uma cidade bem pequena, San Pedro tem várias opções de restaurantes bem legais, desde lugares mais arrumadinhos e românticos até restaurantes bem simples. A maior parte deles fica na Caracoles, principal rua da cidade, e nas suas ruas paralelas, por isso se hospedar por lá é uma boa ideia. De uma forma geral, os restaurantes não são baratos se comparados com outros destinos do Chile.

O La Estaka é um dos mais restaurantes mais tradicionais e antigos de San Pedro. É um pouco mais caro que as outras opções da Caracoles, mas a comida é sensacional e o ambiente muito aconchegante. É uma ótima opção para celebrar uma noite especial ou seu último dia em San Pedro. Além da comida deliciosa, não esqueça de experimentar a Torta Três Leches, sobremesa típica do Chile.

Já o Baltinache é uma opção bacana para quem quer provar pratos tipicamente chilenos – a chefe é descendente de povos locais. Você paga um preço fixo, que inclui entrada, prato principal e sobremesa. Para quem prefere algo mais informal ou está com um grupo grande, pode ser uma boa ideia ir na Pizzeria El Charrua. A massa das pizzas é daquelas bem finas, tendo tamanho individual ou família.

Quantos dias ficar no Atacama

Como você pode perceber, há muito o que fazer no Atacama – e é quase impossível ver tudo em uma viagem só. No entanto, o ideal é reservar pelo menos cinco dias inteiros – ou seja, sem contar os dias que você irá chegar ou sair da cidade – para poder realizar os principais passeios no Atacama com calma e aproveitar a cidade.

Se quiser fazer a Expedição para o Salar de Uyuni, na Bolívia, acrescente mais quatro dias inteiros.

Deserto do Atacama: melhor época

Provavelmente uma das principais perguntas de quem planeja visitar o Deserto do Atacama é a melhor época para esse tipo de viagem. A primeira coisa que você precisa saber sobre o Atacama é que o clima por lá varia bastante ao longo do ano e que a alta temporada acontece em dois momentos, no verão e no inverno – os meses de férias aqui no hemisfério sul.

No verão, acontece um fenômeno no Deserto do Atacama chamado Inverno Altiplânico, que faz com que chova bastante nessa época. Com isso, muito dos passeios não podem ser realizados e muita gente fica frustrada – isso sem falar no calor bem forte da época e na cidade, que fica cheia. É claro que isso não quer dizer que vá chover o tempo inteiro, mas a probabilidade é grande. Por isso, se puder, evite os meses de janeiro a março.

Já no inverno, as temperaturas caem bastante, podendo chegar até a graus negativos (apesar de não ser tão comum assim). Durante o dia, as médias normalmente ficam abaixo de 10 Cº. Outro ponto a considerar é que durante essa época ocorrem tempestades de neve, e alguns passeios como o do Salar de Tara e Piedras Rojas ficam fechados por alguns dias, e é sempre difícil prever quando voltam a funcionar.

O outono e a primavera acabam sendo as melhores opções em termos de clima para visitar o Deserto do Atacama, especialmente os meses de abril, maio, outubro e novembro (nesses dois últimos, você ainda pode dar sorte e ver o deserto florido). Outro fator positivo é que você vai pegar a cidade bem mais vazia, já que é baixa temporada.

O que levar para o Deserto do Atacama

Roupas e acessórios

Muitas pessoas acham que só porque é verão não precisam levar roupas quentinhas para o Atacama. Na verdade, independente da época do ano em que você visite o Deserto do Atacama, leve sempre roupas térmicas e acessórios (gorros e luvas principalmente), além de uma jaqueta corta-vento.

As temperaturas mudam bruscamente, principalmente à noite, e as poucas lojas na cidade que vendem roupas apropriadas não tem muita variedade – sem falar que os preços acabam sendo bem altos.

Não esqueça também de sempre levar óculos escuros para os passeios – mais do que proteger do sol forte, os óculos protegem seus olhos do vento e das tempestades de areia, que são constantes.

Uma garrafa de água de pelo menos 1 litro também não deve sair da sua mochila, assim como colírio, boné, protetor solar e um hidratante bem potente para a pele, afinal estamos falando do deserto mais seco do mundo.

Outra boa ideia é separar uma roupa de banho que você não ligue de estragar para o passeio da Laguna Cejar. Infelizmente, o sal presente na água pode acabar destruindo o tecido. 

Dinheiro

Outra questão importante a ser levada em consideração é como levar seu dinheiro. O ideal é levar a maior parte em espécie, já que muitos estabelecimentos em San Pedro ainda não aceitam cartões. Também vale sempre confirmar com seu hotel, caso não tenha pago antecipadamente, qual método de pagamento eles aceitam. Se for apenas em espécie, não esqueça de já deixar esse valor separado.

Para quem está vindo de Santiago – mesmo que seja só uma paradinha rápida no aeroporto – já aproveite para trocar seus reais por pesos e garantir a melhor cotação possível. Se você for direto para o Atacama, tudo bem. Existem várias casas de câmbio por lá, mas a cotação costuma ser um pouco maior (vale a pena levar dólares, caso tenha alguns sobrando).

Curtiu nossas dicas sobre o que fazer no deserto do Atacama? Conta pra gente!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Chile: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

Costa Rica é daqueles destinos que faz você se sentir uma grãozinho no universo – e essa sensação é gigante de boa!!!
⠀
As raízes dessas árvores parecem medir uns 2 metros, e parece que elas formam um labirinto no solo. É difícil descrever, mas é muito fácil se conectar com a natureza nesse lugar. Que paz! 🍃 🙏

Ahh Costa Rica! Essa é uma formação natural que parece a cauda de uma baleia –  e o local de chama Parque Nacional Marino Ballena.
Tudo bem, já sabemos que o nome do parque veio desse formato. Mas quem explica a “coincidência” desse local ser o melhor ponto do país para  para o avistamento de baleias? 🤔#emalgumlugardomundo #costarica #visitcostarica #baleiajubarte

Pura Vida!Mal desembarcamos na Costa Rica e já começamos a ouvir a expressão por todos os cantos. Embora não tenha uma tradução exata, essa é uma forma de cumprimentar, de dizer olá, tchau – ou qualquer coisa que tenha uma intenção positiva – dá pra usar de diversas formas!A nossa conclusão é que “Pura Vida” é essa coisa boa que você sente ao chegar por aqui e que te faz ficar sorrindo o tempo todo. É como encostar o carro em uma praia deserta, assistir o por do sol e dormir por ali mesmo, ao som dos macacos, com o barulho das ondas. Bem do jeitinho que a gente fez nesse dia!#emalgumlugardomundo #costarica #puravida #visitcostarica #destinosimperdiveis

O Parque Nacional Corcovado é um dos lugares menos explorados da Costa Rica – e até agora um de nossos destinos preferidos no país!A natureza aqui ainda é selvagem e é possível avistar araras, tucanos, macacos, bichos preguiça, quatis, antas… a lista é extensa!
E como se não bastasse a diversidade animal, tem essa praia de areia escura bem intocada. A constante névoa na praia dá um ar de paraíso perdido nesse lugar.Essa viagem pra Costa Rica tá tendo um cenário mais lindo que o outro! Estamos amando!!! #emalgumlugardomundo #costarica #corcovadonationalpark #visitcostarica

Ainda encantados com o lado do Caribe da Costa Rica!
Sem dúvidas, Punta Uva foi uma das praias mais bonitas das bandas de lá – pelo menos foi a nossa preferida!Agora estamos no lado do Pacífico. Estamos mostrando tudo no stories e já já vamos postar as fotos daqui!

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!