O que fazer em Sucre, Bolívia: dicas e atrações da cidade branca | Em Algum Lugar do Mundo

CONHEÇA SUCRE, A “CIDADE BRANCA” DA BOLÍVIA

Descubra Sucre explorando as ruas e o centro histórico dessa cidade cheia de vida

  • Adriana
  • -
  • 3 de agosto de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Sucre foi uma das cidades que mais gostamos da Bolívia. Um lugar com bastante vida, um centro histórico lindinho e repleto de atrações, um ótimo destino para observar o dia a dia dos bolivianos… Eu te garanto que não falta o que fazer em Sucre. E uma visita à cidade já faz valer sua viagem para Bolívia.

Basta observar suas casas e construções coloniais para entender por que Sucre é conhecida como “cidade branca” – e ainda é Patrimônio da UNESCO. Outro título que Sucre leva é o de “cidade de 4 nomes”, uma vez que no passado já se chamou Charcas, La Plata e Chuquisaca.

O que fazer em Sucre
Sucre: a cidade branca da Bolívia

E para sua visita a Sucre ficar ainda mais interessante, é bom saber um pouco mais da sua história: para começar, Sucre foi a primeira cidade do país. Ela também é a capital constitucional da Bolívia, apesar do centro político (legislativo e executivo) estar em La Paz. Aliás, Sucre foi palco da Proclamação da Independência da Bolívia – mais um fato que mostra a riqueza histórica desse destino.

Tem muita coisa legal pra mostrar e falar de Sucre, mas o melhor mesmo é você descobrir por conta própria, explorando as ruas dessa cidade encantadora. Então confere aqui tudo o que fazer em Sucre e comece a planejar sua viagem. Você não vai se arrepender de colocar esse destino no seu roteiro pela Bolívia!

Quem viaja para Bolívia deve estar preparado para o ‘soroche’ – o mal de altitude. Sucre fica a quase 3.000m de altitude, então é bom se prevenir e viajar protegido: faça um seguro viagem antes de embarcar. Sugerimos fazer uma busca pela Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções de seguro. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto!

O que fazer em Sucre

A maioria das atrações estão concentradas no centro histórico e dá para conhecer praticamente tudo a pé. É bom se ligar que por aqui rola a siesta, então alguns comércios, museus e igrejas estarão fechados durante o horário de almoço. Fique atento a isso, pois nós acabamos dando de cara na porta de um museu.

Principais atrações de Sucre

Plaza 25 de Mayo

Essa é a praça principal da cidade e um bom ponto de partida para começar seu passeio pelo centro. Várias atrações de Sucre estão ali pelas redondezas, como museus e igrejas. Está sempre movimentada e tem bastante opções de restaurantes e cafés nos arredores.

Mas por que a praça tem esse nome? Foi nessa data, no ano de 1809, que aconteceu ali o primeiro movimento popular de independência da Bolívia, conhecido como Primeiro Grito Libertário da América.

O que fazer em Sucre
Plaza 25 de Mayo

Catedral Metropolitana de Sucre

A Catedral fica bem na Plaza 25 de Mayo, se destacando pela sua torre em estilo barroco. Ali funciona também o Museo de La Catedral, onde fica capela da Virgem de Guadalupe. O ingresso do museu dá direito à subida na torre, que oferece uma vista bem bonita da cidade. Entrada: 30B

O que fazer em Sucre - Catedral
A Catedral de Sucre se destacando com sua torre

Parque Bolivar

Passamos pelo Parque Bolivar meio sem querer, procurando uma vaga pro nosso carro. O que encontramos foi uma praça bem grande e arborizada, bem movimentada e cheia de crianças brincando. Se puder, tente passar por lá à noite para conferir a Fuente del Bicentenário, um chafariz bonito com luzes e águas dançantes.

o que fazer em sucre - Parque Simon Bolivar
Vista aérea do chafariz onde é realizado o espetáculo das águas dançantes.

Cemitério

A gente sempre estranha o fato de que um lugar desses pode ser atração turística. Mas sim, esse cemitério pode estar no seu roteiro sobre o que fazer em Sucre. O cemitério tem cara de parque e, se você for em um domingo, vai ver que os bolivianos costumam visitar os falecidos.

Espere ver muitos mausoléus de gente rica e de vítimas de guerras. Os das crianças ficam com brinquedos. Nós não tivemos tempo para essa visita mas, para quem quiser ir até lá, o cemitério fica na Avenida Raul de Cordoba.

La Recoleta

La Recoleta fica em uma parte alta da cidade, o que garante um bom visual de Sucre. Ali também encontramos uma feirinha de artesanato, um museu e o Mosteiro de San Francisco, de 1601. Tente ir no fim da tarde para pegar o pôr do sol. Mas vá sem pressa, pois para chegar até lá é preciso subir uma ladeira – que nem é tão íngreme assim, mas a altitude pode pesar no fôlego!

Templo Nuestra Señora de La Merced

Apesar da igreja estar em condições um pouco precárias (está em processo de restauração), seu altar foi o mais bonito que vimos em Sucre. Uma visita aqui é realmente imperdível se você considerar a vista que se tem do terraço. Dá para entender direitinho o porquê de Sucre ser chamada de “cidade branca”. Aberto das 10h às 12h e das 15h às 18h. Entrada: 10B

O que fazer em Sucre
O altar no interior da igreja
O que fazer em Sucre
A vista incrível que temos do terraço da igreja

Convento de San Felipe Neri

Mais uma construção branquinha no centro de Sucre, que já serviu como mosteiro. O Convento San Felipe Neri segue um estilo neoclássico, e no seu interior podemos ver quadros dos séculos XVIII e XIX. Não deixe de subir até o terraço para conferir uma vista bem bonita do centro de Sucre. Aberta após às 15h. Entrada: 10B

Mercado Central

Um típico mercado central com tudo de bom (e ruim): frutas bem coloridas, vegetais fresquinhos, carnes expostas sem proteção, tumulto de gente pela manhã… nós adoramos mercados, então somos suspeitos pra dar essa indicação. Uma boa pedida é fazer uma pausa pra tomar um suco feito na hora e comer uma tradicional salteña.

O que fazer em Sucre
Eu perdida nos cheiros e nas cores do Mercado Central

Casa de La Libertad

Se você tiver que escolher apenas um museu/ atividade cultural dentre tudo o que fazer em Sucre, sugiro a Casa de La Libertad. Esse é o endereço da Proclamação da República da Bolívia, onde Simón Bolívar escreveu a primeira Constituição.

Você vai conferir a história de independência da Bolívia, ver quadros de antigos presidentes, observar antigas bandeiras da Bolívia. Há visitas guiadas pela Casa (em espanhol e inglês), e nossa guia nos deu uma mini aula de história sobre o país, muito legal! Aberto das 9h às 12h30 e das 14h30 às 18h30 (domingo de 9h às 12h, fechado segundas). Entrada: 15B

Parque Cretácico

De tudo que tínhamos lido sobre o que fazer em Sucre, visitar um Parque de Dinossauros nos parecia o menos interessante. E não é que a gente se enganou? Nós adoramos esse passeio, afinal não é todo dia nem em todo lugar que podemos ver pegadas reais de dinossauros!

Na entrada do parque nós encontramos uma linha do tempo mostrando a formação do planeta e o surgimento dos primeiros seres vivos. Lá dentro, podemos ver diferentes espécies de dinossauros em tamanho real.

Mas a parte mais legal é a parede Cal Orck’o, onde se encontram mais de 5 mil pegadas de dinossauros que se estendem por trilhas de até 20 metros. Tudo isso tem milhões de anos, mas foi descoberto há pouco tempo em escavações feitas pela empresa de cimento que funciona no local. Muito doido né?

Uma dica: programe-se para chegar pouco antes das 13h. Esse é o melhor horário para ver as pegadas, por causa da luz do sol batendo direto no paredão. O Parque Cretácico fica a 5km do centro de Sucre.

Para chegar lá, você pode pegar o “Sauromóvil” que parte da Plaza 25 de Mayo (esquina com a Catedral) todos os dias às 9h30, 12h e 14h30. Ou ainda pegar os ônibus “4” ou “Y” que partem da esquina da rua Arenales Junín ou do Terminal de Ônibus. A entrada custa 30B.

Feira de Tarabuco

Se você estiver por aqui em um domingo, visitar a Feira de Tarabuco é uma ótima pedida do que fazer em Sucre. A feira funciona como um ponto de venda para vários produtores da região, que vendem muitas coisas entre frutas, verduras e cereais.

A feira entrou no circuito do turismo de Sucre por ser um ótimo lugar para observar a vida local, já que é muito frequentada por moradores da região: muitos indígenas com suas vestimentas típicas, falando sua língua quéchua, e cholitas para todos os lados vendendo folhas de coca.

A vila de Tarabuco fica a 60km do centro de Sucre. Dá para ir de ônibus (tipo excursão) saindo pela manhã aos domingos. Pergunte no seu hotel ou feche com alguma agência o passeio. Também dá para ir por conta própria, só pegar a van que sai da Calle Germán Mendoza (quase esquina com Av das Américas).

Infelizmente não pudemos ir à feira, pois estávamos lá em dias de semana. Se você for, manda uma foto pra gente!

Museo da Etnografia y Folklore

O museu da Etnografia e Folclore conta com exibições permanentes e temporárias. Dentre as exposições permanentes, pudemos conferir muitas vestimentas típicas das bolivianas, com chapéus, joias e acessórios cheios de vida. Um vídeo passava na sala, contextualizando a exposição e mostrando a evolução do vestuário ao longo do tempo.

Achei interessante, mas não diria que é imperdível. De qualquer forma, o museu é relativamente pequeno e fica bem no centro, então vale reservar uma horinha para a visita. Aberto de segunda a sexta de 9h às 12h30 e de 15h às 19h. Sábados de 9h às 16h30. Domingo de 9h às 12h30. A entrada é gratuita.

Museu de Arte Indigena

Esse museu é o melhor lugar para aprender sobre as tradições indígenas de alguns povos da América Latina, como os Jalq’a e Tarabuco. É uma viagem pela história indígena através de seus artesanatos e têxteis, cheios de cores e desenhos.

No museu você também encontra seções de músicas e danças típicas, além de importantes achados arqueológicos da região de Chuquisaca. E se quiser, pode comprar algums peças feitas ali mesmo, por artesãs que trabalham no local.

Infelizmente encontramos o museu fechado, então se ligue no horário de funcionamento para não dar de cara na porta como a gente: de segunda a sexta das 9h às 12 e das 14h30 às 18h30. Sábados das 9h às 12h e das 14h às 18h. A entrada custa 22B.

Quer mais dicas de viagem? Curta nossa página no Facebook!

em algum lugar do mundo no facebook

Onde ficar em Sucre

Para quem tem pouco tempo na cidade, o ideal é ficar pelos arredores do centro histórico, podendo assim fazer tudo a pé. A região da Plaza 25 de Mayo é bem procurada (e geralmente mais cara) e conta com muitos hostels e hotéis, além de ter um comércio sempre movimentado. Ao se afastar do centro, você também encontra boas opções com preços mais em conta geralmente.

Uma boa opção é o Hostal CasArte Takubamba, que fica a 5 minutos do centro. Ele tem uma cozinha de uso comum e o café da manhã está incluído na diária. Simples e bem confortável. Por R$110 a diária.

Para algo mais estiloso, veja o Mi Pueblo Samary Hotel Boutique, que fica localizado em um casarão em estilo colonial a apenas 3 quarteirões da Plaza 25 de Mayo. O café da manhã é sensacional e as comodidades são lindas. Diárias a partir de R$240.

Em Sucre nós também nos hospedamos pelo Airbnb, em uma casa que ficava a 1km do centro. Vale conferir pois há várias opções de quartos e casas legaizinhas. Se você é novo no Airbnb, cadastre-se agora e aproveite R$130 de desconto na sua primeira reserva!

Quando ir para Sucre

Acompanhando o relevo, o clima da Bolívia muda muito de uma região para a outra. Sucre fica na região central do país e, aqui, o clima é mais ameno, com temperaturas variando entre 17 e 27 graus, com noites bastante frias o ano inteiro. O período mais chuvoso é entre novembro e março, mas é nesse período que os dias ficam mais ensolarados.

Ou seja, pode vir em qualquer época! É bom se ligar que o comércio, em geral, funciona de 8h30 às 18h30, sendo que alguns fecham para o almoço.

Como chegar em Sucre e como circular pela cidade

Como chegar em Sucre

Avião

Sucre conta com um aeroporto internacional chamado Juana Azurduy de Padilla (SER), a 10km do centro. Ele recebe voos das principais cidades como La Paz, Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba. Alguns países também oferecem voos para Sucre, mas do Brasil não há voos diretos. As principais cias aéreas que voam para Sucre são Boliviana de Aviación (BoA)Transporte Aéreo Militar (TAM) e Amaszonas.

Ônibus

Para quem sai de Santa Cruz de la Sierra, há ônibus noturnos que fazem essa viagem em 16 horas na média, e o trajeto não é dos mais confortáveis: muitas curvas, subidas e descidas. Uma das empresas que faz esse percurso é a Trans Oruro você deve comprar a passagem em um posto autorizado. O valor é de aproximadamente 70B.

Se você parte de Potosí com destino a Sucre, deverá pegar um ônibus (por volta de 20B) na estação central de Potosí. A viagem dura entre 3 e 4 horas e as melhores cias são Trans Emperador e El Dorado. Você também irá pagar mais 2B pelo “uso de terminal”, ali na estação mesmo.

Chegando na estação em Sucre, você pode pegar um taxi (cerca de 10B) ou um micro-ônibus (1,50 a 3B) para te levar até o centro.

Carro

Nós percorremos toda a Bolívia de carro, chegando a Sucre partindo de Samaipata. Depois de Sucre, nós seguimos viagem para Potosí.

Como se locomover por Sucre

É possível rodar por todo o centro histórico a pé. Se você se hospedar por ali, não vai precisar de transporte para visitar os principais pontos turísticos de Sucre.

Há muitos micro-ônibus circulando pela cidade, e o valor da passagem é de 3B. Taxis também são baratos e podem ser uma boa opção, combine o preço antes.

O que fazer em Sucre
Caminhando pelas ruas brancas de Sucre

Agora que você já sabe o que fazer em Sucre, vai deixar a cidade de fora do seu roteiro pela Bolívia?

Você também poderá gostar de:

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Bolívia: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

🇨🇷 Dois ícones da Costa Rica: surf e por do sol ☀️ 🏄‍♀️ Como o país é estreito e comprido , quase todas as praias do lado do Pacífico têm espetáculo do pôr do sol garantido (isso quando as chuvas tropicais não atrapalham). Fora a água naquela temperatura gostosa e um tanto de ondas tranquilas, ótimo pra quem quer aprender a surfar. A gente até se animou fazendo umas aulinhas, mas precisava de mais uma temporada por lá pra se manter na prancha por mais tempo. Alguém aqui pensando em voltar? 😬😛

Saindo da rota: todo destino tem aqueles cantinhos escondidos, que não estão em nenhum guia de viagem ou que você nunca ouviu falar antes, por mais que tenha pesquisado tudo sobre o lugar. ⠀
“E se a gente virar aqui, onde que vai dar?”
⠀
Eu não sei vocês, mas pra gente uma das melhores partes da viagem é poder andar pelo desconhecido. É esticar a caminhada ou virar à esquerda no atalho, e chegar ali só pra ver o que que tem.
⠀
É verdade que você pode chegar numa rua sem saída (e obviamente não é em todo destino que dá pra fazer isso). Mas é numa dessas que você descobre um lugar especial, que já faz valer a viagem todinha – que até vale cortar atração do roteiro só pra aproveitar mais aquela descoberta. ⠀
O desconhecido definitivamente faz nossos olhos brilharem! E para você, qual o grande momento em uma viagem?⠀ ⠀
____________________________
⠀

🇨🇷 Na Costa Rica você passa o dia inteiro babando pelo azul, pra chegar no fim de tarde e ficar embasbacado com esse rosa. 😍😱 É um pôr do sol mais lindo que o outro por aqui! ☀️

🇨🇷 A viagem pela Costa Rica ainda nem acabou e a gente já está com saudades – principalmente de quando estávamos com um 4×4.
⠀
Ele não só nos permitia dormir em qualquer lugar (uma delícia de casinha ambulante da @nomad_america ⛺️), como fazia da nossa road trip uma experiência bem mais confortável.
⠀
No começo achamos que não era tão necessário assim um carro desses pra rodar  pelo país… até trocarmos ele por um mini kart e começar a sentir cada buraquinho da estrada! 🚗 ⠀
O que importa é que, seja no carrão ou no carrinho, estamos curtindo demais o país! 😎 ⠀
👉 E ficam as dicas: viajar de carro é SIM a melhor forma de explorar a Costa Rica. E um carro alto não é necessariamente obrigatório dependendo do destino, mas definitivamente vale pagar um pouco a mais pelo conforto – assim você não perde a paciência pelos buracos do caminho 😊 🕳

🇨🇷 Do que mais gostamos na Costa Rica?
⠀
Estamos há um tempão aqui tentando responder essa pergunta, sem sucesso obviamente. 🤷‍♀️
⠀
Mas se tem uma coisa que ganhou nosso coração aqui são as praias: a grande maioria das que visitamos estavam praticamente desertas.🏝
⠀
Não paramos pra contar quantas visitamos, mas certamente passaram de 50. Todas – eu disse TODAS – têm aquele ar de natureza intocada. Nada de bagunça, nada de comércio lotando a areia, nada de prédios em volta… Nada de nada, somente mar quentinho + areia cheia de siris, hermitões – e alguns cachorros simpáticos. 🐚🦀🐶
⠀
🏊‍♀️ E enquanto vamos ali dar um mergulho, fica o conselho aqui de colocar Costa Rica nos seus planos de viagem, tá? Juro que vc não vai se arrepender 😊👍

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!