Purmamarca e o Cerro de Los 7 Colores - Argentina

PURMAMARCA E O CERRO DE LOS SIETE COLORES

Saiba mais sobre a história e as cores desse simpático destino argentino

  • Adriana
  • -
  • 13 de junho de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Purmamarca é um povoado com cerca de 2 mil habitantes no noroeste da Argentina, famoso pelo Cerro de los Siete Colores, um morro com blocos coloridos que mais parece a obra de um pintor surrealista.

A cidadezinha de Purmamarca também costuma ser a primeira parada na rota da Quebrada de Humahuaca, um vale que serve como caminho natural para o Altiplano andino.

O Cerro de los Siete Colores é realmente a grande atração de Purmamarca, mas vale tirar um tempinho para conhecer melhor Purmamarca: ao caminhar pelas suas ruas, tivemos a sensação de estar no Peru ou na Bolívia.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - Primeira barraca
A nossa primeira impressão da cidade

Isso porque a população local é em sua maioria indígena, carregando os mesmos traços dos povos andinos, como a pele morena, os olhos negros pequenos e o rosto arredondado. Além, claro, das roupas collas, como o chapéu coco e as várias saias rodadas usadas pelas mulheres.

Nós estivemos lá durante nossa viagem pela região, e mostramos agora tudo sobre Purmamarca e o Cerro de Los Siete Colores nesse post.

Onde fica Purmamarca

Purmamarca está no centro da província de Jujuy, no noroeste da Argentina, estado que faz fronteira com a Bolívia ao norte e com o Chile a oeste.

A capital San Salvador de Jujuy está a apenas 66 km de distância de Purmamarca. No entanto, a maior cidade do entorno é Salta, capital da província de mesmo nome, a 188 km dali.

Saiba mais sobre Purmamarca

Purmamarca é um daqueles povoados andinos que vivem do turismo e da agricultura de subsistência, como Uyuni ou San Pedro de Atacama, apesar de tudo estar em menor escala.

A rota da Quebrada de Humahuaca, onde se encontra Purmamarca, foi descoberta há pouco pelos turistas, mais precisamente a partir de 2003, quando a região foi nomeada Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Desde então, todos os dias chegam diversos turistas para conhecer o Cerro de los Siete Colores. A maioria apenas passa pela cidade, pois vêm em tours de dia inteiro que começam e terminam em Salta ou Jujuy, e não pernoitam em Purmamarca.

Apesar disso, quem deseja dormir por aqui e passar mais tempo no povoado têm diversas opções de estadia, pois a cidade oferece uma estrutura turística razoável.

A ruas empoeiradas de Purmamarca são o exemplo clássico da beleza agreste dos desertos andinos. A cidade parece ter parado no tempo, com suas casinhas de adobe e população com roupas típicas.

No entanto, durante as festividades religiosas (tanto católicas quanto indígenas, em honra à Pachamama) e no Carnaval, a vida se renova e a alegria exuberante aparece nas fantasias e danças típicas locais.

Onde ficar em Purmamarca

Por ser bem pequena, Purmamarca pode ser percorrida inteiramente à pé, e é uma das bases favoritas dos turistas que querem conhecer a Quebrada de Humahuaca. Há hospedagens um pouco mais distantes, mas nada que uma caminhada de 10 minutos não resolva.

Uma boa opção de hospedagem é a Hosteria La Pushka, simples, acolhedor e bem localizada, com preço justo e serviços satisfatórios. O café da manhã tem direito a bolinhos e pães caseiros.

Já o Posta de Purmamarca, com café da manhã caseiro e uma bela vista das montanhas. A localização também é perfeita por ser bem central, próxima à praça da cidade.

Tem também o Hostal Paseo De Los Colorados, com vários bangalôs com quartos coletivos e privados. O hostel está cercado de montanhas e tem um ótimo custo-benefício.

Como chegar em Purmamarca

Purmamarca pode ser percorrida à pé: em meia hora você consegue cruzar a cidade inteira. Para chegar lá também é fácil e há diversas opções de meios de transporte.

Avião

O aeroporto mais próximo fica a 33 km da cidade de Jujuy. De Jujuy a Purmamarca são 65 km. Neste aeroporto chegam voos de Buenos Aires diariamente, com duração de 2 horas e meia entre uma cidade e outra.

Carro

Por ser uma região ampla e com distâncias consideráveis entre uma parada e outra, o melhor meio de transporte para explorar tanto Purmamarca como toda a Quebrada de Humahuaca é o carro.

Dessa forma, é possível parar sem pressa e apreciar as belezas naturais. Carros podem ser alugados em Buenos Aires, Jujuy ou Salta. Para alugar um carro durante sua viagem, sugiro pesquisar as opções no Rentcars, um site que faz um bom comparativo de preços e mostra sempre os melhores resultados.

Vindo de Buenos Aires | Quem está na capital argentina e quer seguir de carro para a Purmamarca, precisa dirigir por 1550 km pela Ruta Nacional 34, totalizando 18 horas de viagem.

Vindo de Salta |Já quem vem de Salta, a capital da província ao sul de Jujuy, deve pegar a Ruta Nacional por cerca de 190 km até Purmamarca, a cidade mais ao sul na rota da Quebrada de Humahuaca. A viagem dura em média 2 horas e meia.

Vindo de Jujuy | Jujuy é a cidade média mais próxima à Quebrada de Humahuaca, estando a apenas uma hora de distância de Purmamarca pela Ruta Nacional 9.

Tours

Em Salta e Jujuy há companhias de turismo que oferecem passeios de dia inteiro passando pelos principais povoados da Quebrada (incluindo Purmamarca, Tilcara e Humahuaca).

Apesar de Salta oferecer muito mais opções de passeios, a recomendação é partir de Jujuy, a cidade mais próxima da Quebrada de Humahuaca. A distância a ser percorrida de ônibus é menor e o passeio fica menos cansativo.

Ônibus

Há também ônibus de linha para quem deseja fazer a viagem de forma independente. A companhia Balut é a que percorre o trajeto entre Salta e La Quiaca, na fronteira com a Bolívia, passando por Jujuy e cortando a Quebrada de Humahuaca de sul a norte.

Há vários horários de ônibus saindo diariamente de Jujuy com destino a Purmamarca (viagem com 1h30 de duração). Saindo de Salta, a viagem demora duas horas a mais do que de Jujuy.

O que fazer em Purmamarca

Muita gente passa apenas um dia em Purmamarca achando que tudo o que há para fazer é tirar fotos do Cerro de los Siete Colores e nada mais. Não se engane: a cidade é rica em cultura, gastronomia e pontos históricos. Além, claro, de ser cercada pela Cordilheira dos Andes – uma atração e tanto.

1. Cerro de los Siete Colores

O principal motivo dos turistas visitarem Purmamarca é esta: o Cerro de los Siete Colores. Essa montanha foi formada ao longo de 75 milhões de anos por sedimentos fluviais, marítimos e de lagoas que existiram ao longo destes anos todos.

Cada cor representa um período geológico da vida da cordilheira. O que torna o Cerro tão importante é o contraste das cores, tão demarcadas e diferentes entre si.

O melhor horário para visitá-lo é de depois do nascer do sol até às 10 da manhã, quando o sol bate diretamente ali e as cores ficam bem vivas, rendendo as melhores fotos.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - o Cerro
Cerro de los SIete Colores

Aliás, para obter a melhor vista da cidade é preciso subir em um morro em área particular em frente ao Cerro de los Siete Colores. Para entrar, é necessário pagar uma taxa em torno de 10 pesos.

2. Paseo de Los Colorados

Além do Cerro de los 7 Colores, outra atração tradicional de Purmamarca é fazer o Paseo de los Colorados, um caminho de três a quatro quilômetros percorrido entre as montanhas.

Você começa já no centro da cidade e vai passando pelas montanhas coloridas que cercam a cidade. O passeio é gratuito e pode ser feito a qualquer momento, desde que haja luz do dia.

O mais impressionante é a diferentes nos tons de cada montanha, algumas marrons avermelhadas, alaranjadas, brancas, verdes… cada pico tem a sua coloração viva! As fotos ficam lindas, mas nenhuma consegue capturar a beleza dessa maravilha andina.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - Passo
O Paseo pode ser percorrido de carro, a pé ou de bicicleta

Quem tem problemas de locomoção pode fazer o caminho de carro, apesar da recomendação ser fazer tudo a pé.

No entanto, alguns cuidados são necessários para não atrapalhar os outros visitantes e nem se colocar em perigo: parte do caminho é feita à beira de desfiladeiros, por isso muito cuidado ao dirigir. Além disso, vá devagar para não sair levantando poeira na cara das pessoas!

3. Cidade de Purmamarca

A cidade em si é apenas uma meia dúzia de ruas com uma praça principal, a Plaza 9 de Julio. Ali funciona uma feira de artesanatos permanente, onde as mulheres e homens indígenas vendem lembranças para turistas.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - Feira de Artesanato na Praça
Não poderia faltar uma feira de artesanatos

Há os típicos souvenirs produzidos no Peru que são vendidos em todo o Altiplano andino, como casacos de lã e chapéus. Mas há também produtos locais feitos com materiais da região, representando a cultura e o trabalho local. Vale à pena dar uma volta nessa feirinha.

Ao centro da praça central está a Iglesia de Santa Rosa de Lima, uma típica igreja católica feita em estilo colonial espanhol – arquitetura europeia com materiais andinos. O santuário em branco caiado é cercado por um muro baixo e a entrada é um arco feito do mesmo material. O interior é bem simples, mas curioso, pois os objetos de madeira são feitos na verdade dos “esqueletos” de cactos da região.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - Igreja
A igrejinha da cidade

Próximo à igreja está o Algarrobo Histórico, uma árvore com 500 anos de história que viu o nascimento de Purmamarca, todas as guerras que por ali passaram e se manteve de pé. Visite também o edifício centenário do Cabildo, o capitólio ou prefeitura local, onde funciona um museu com exposições permanentes e temporárias. A entrada é gratuita.

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores - Cabildo
O Cabildo

Quem tem mais tempo e deseja fazer um tour, há opções como passeios privados por partes menos conhecidas. No entanto, o mais interessante são workshops da Pueblos Originales, que são cursos conduzidos por moradores locais, como cerâmica, passeios gastronômicos até uma cerimônia ancestral andina. Vale a pena por ser uma experiência autêntica.

Quanto tempo ficar em Purmamarca

Um dia é suficiente para visitar o Cerro de los Siete Colores e ver tudo ao redor, especialmente se você estiver apenas passando por Purmamarca na rota da Quebrada de Humahuaca.

No entanto, considere ficar mais tempo se quiser aproveitar tudo com tranquilidade e visitar os pontos turísticos menos conhecidos da cidade.

Quando ir a Purmamarca

As altas temporadas são durante o verão e inverno (janeiro e junho, respectivamente).

No verão há chuvas, mas não muitas, pois o clima em geral é desértico. Já no inverno as temperaturas podem cair bastante, especialmente à noite, chegando perto dos graus negativos. No entanto, você terá garantia de céu azul todos os dias!

Fevereiro é um mês popular entre os argentinos que visitam a região para o Carnaval. Outra época boa para visitar durante a baixa temporada é agosto, quando os locais realizam rituais andinos para agradecer a Pachamama ou a Mãe Terra.

Não se esqueça do seguro viagem

Sempre reforçamos que é essencial fazer um seguro viagem para qualquer viagem internacional – e para Argentina não seria diferente. Além de nunca sabermos quando um problema pode surgir, a região norte da Argentina tem uma particularidade: a alta altitude.

Em alguns passeios na região você irá atingir altitude acima dos 3.500 metros. Isso significa que e seu corpo poderá sentir os efeitos do soroche, o temido mal de altitude. Portanto, é bom se informar antes de viajar.

Além disso, nós recomendamos fechar seu seguro com a Segurospromo, um site que funciona como um buscador e mostra as melhores opções. Use nosso código EMALGUMLUGAR5 e garanta 5% de desconto!

Seguros Promo

E aí, vai conhecer Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores? Conta pra gente!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Argentina: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

Ainda sobre Arraial do Cabo… Vamos publicar nas próximas semanas vários posts sobre a cidade: trilhas, melhores praias, passeio de barco, além do post com sugestão de hospedagem que já tem lá no blog. Por aqui, continuamos aproveitando um pouco desse paraíso entre um post e outro! Escreva nos comentários o que você gostaria de saber sobre esse destino!
#emalgumlugardomundo #arraialdocabo #destinosimperdiveis #mtur

Olhar pro horizonte e planejar o que vem pela frente: é nessa fase que estamos! Trabalhando muito para produzir conteúdos e estruturar o blog – sem deixar de pensar no próximo destino. 😁Arraial do Cabo tem sido a nossa base esse ano e as belezas daqui tem nos ajudado a relaxar nos momentos de stress. Não é tão difícil com um mar desses, né?
E vc, o que faz quando precisa desestressar e planejar a próxima viagem?#emalgumlugardomundo #arraialdocabo #destinosimperdiveis

Porque um dia de semana qualquer em Arraial do Cabo com o pessoal da @lagostrilhas sempre rende foto boa!#emalgumlugardomundo #arraialdocabo #destinosimperdiveis #topdestinos #turismobrasil

Essa foto tá pra sair do forno tem tempo, mas a correria do dia a dia tem nós mantido meio distantes daqui.
Daí hoje fizemos uma pausa pra refletir sobre a rotina que “rouba” nosso tempo.
É muito bom estarmos tão envolvidos com o blog e com os projetos que tocamos. E sim, viver do nosso blog de viagem dá muito mais trabalho do que muitos imaginam! Mas é muito bom e só temos a agradecer.Afinal, graças a ele conhecemos tantos lugares maravilhosos. Alguns do outro lado do mundo, outros pertinho do nosso – até então – lar oficial.Um dos últimos destinos que conhecemos foi a Cachoeira do Saco Bravo, em Paraty. Pra chegar nela, encaramos uma trilha de 9km saindo de Ponta Negra, uma vila Caiçara próxima a Trindade e Praia do Sono. Bem cansativa, mas não poderia ter melhor recompensa do que esse visual: uma piscina natural, formada por uma cachoeira na beira do mar!
Por mais viagens assim. E por mais momentos de reflexão e felicidade por nossas escolhas de destinos e de vida!
.
.
.
.
.
#emalgumlugardomundo #paraty #costaverde #destinosimperdiveis #destinosbrasileiros #mtur #qualviagem #embarquenaviagem #errejota #turismobrasil #proximaviagem #achadosdasemana #gostariadeiroficial

😃 Uma praia dessas é mais felicidade que um parque de diversões sem fila!!! É não é que é essa a sensação mesmo? Parando aqui pra pensar e agradecer pelo quanto a gente é sortudo na vida por ter momentos maravilhosos em lugares paradisíacos assim – e vazios na baixa temporada 🙏❤️ A belezura de Trindade nos diazinhos de sossego que passamos na @pousada_cabeca_do_indio e fomos diversas vezes à Praia do Cachadaço. 🏝
Conta pra gente: qual seu destino preferido pra curtir um momento relax?#emalgumlugardomundo #trindade #paraty #mtur #destinosbrasileiros #missaovt #revistaqualviagem #embarquenaviagem #praiasbrasileiras #achadosdasemana #errejota #proximaviagem #viajarfazbem

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!