Norte da Argentina: roteiro, atrações imperdíveis e dicas de viagem | Em Algum Lugar do Mundo

NORTE DA ARGENTINA – ROTEIRO, ATRAÇÕES E DICAS DE VIAGEM

Os melhores passeios, dicas importantes e roteiro de até 10 dias com as principais atrações das províncias de Salta e Jujuy.

  • Adriana
  • -
  • 17 de julho de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

O norte da Argentina não é a primeira região que vem à mente quando pensamos no país. Mas é nas províncias de Salta e Jujuy que você vai apreciar paisagens que jamais achou que encontraria em terras hermanas: formações rochosas espetaculares, com direito a um bom vinho, climas desérticos e um gostinho da cultura andina que resiste ao tempo.

Próxima ao Altiplano Andino (onde fica o Salar de Uyuni) o norte da Argentina faz fronteira com Bolívia e Chile. E o cenário por aqui é completamente diferente do restante do país. Nós ficamos surpresos e encantados com o cenário e a cultura locais – e tenho certeza que você vai adorar conhecer essa região.

Norte da Argentina - Ruas de Humahuaca
As ruas das pequenas cidades do norte da Argentina

Há muito o que fazer no norte da Argentina, mas é possível visitar tudo de uma vez só – desde que você separe um tempo para isso. Por isso, fizemos esse post com as dicas mais importantes para você planejar sua viagem.

Confira agora as atrações imperdíveis de Salta e Jujuy, além de dicas valiosas de viagem. E no final do post, uma ótima sugestão de roteiro de 10 dias pelo norte da Argentina, incluindo os melhores passeios da região.

Norte argentino: saiba mais

História da região

Na época da colônia, era por essa região que passava a prata extraída do Cerro Rico de Potosí, a maior mina da Bolívia, em direção a Buenos Aires – e dali para a Espanha.

Mas isso não apagou a influência da cultura indígena andina, que sobreviveu aos séculos de colonização hispânica. Parte da população ali ainda adora a Pachamama e mantém vivas suas línguas e tradições.

Turismo no norte da Argentina

Além da cultura local, quem viajar pela região vai se encantar com a beleza agreste da paisagem, com direito a montanhas coloridas, salares e cidadezinhas simples com casas de adobe.

Outro ponto imperdível é aproveitar a culinária tradicional, que tem grande influência das populações indígenas. Destaque para o Tamale, uma espécie de pamonha recheada de carne. Prove também o Locro, uma sopa de abóbora com carne, milho e ossos de porco, prato típico dos Andes centrais.

E se você cansar de ver cactos, montanhas e deserto, pode tirar uns dias nas grandes cidades da região, Salta e San Salvador de Jujuy: nelas é possível conhecer o lado mais urbano do noroeste da Argentina com seus museus, grandes praças arborizadas e catedrais.

Há realmente bastante coisa para visitar neste canto do país. Portanto, aproveite esse post em que reunimos todas dicas do que fazer no norte da Argentina. Todos os pontos mencionados estão no mapa:

Norte Argentino: lugares para visitar

Criar um itinerário perfeito para visitar o norte da Argentina não é tarefa fácil. Há muitos lugares lindos para visitar tanto em Salta como em Jujuy.

Para facilitar, fizemos uma lista com tudo o que fazer no norte da Argentina. Aproveite as dicas sobre cada um desses lugares:

  1. Salta
  2. Cafayate: vinícolas, Quebrada de Las Conchas, Garganta del Diablo, Anfiteatro
  3. Cachi: Parque Nacional Los Cardones
  4. Tren a las Nubes
  5. Jujuy
  6. Quebrada de Humahuaca: Cerro de las 7 Colores (em Purmamarca), Serranía de Hornocal (em Humahuaca), Pucara de Tilcara (em Tilcara)
  7. Salinas Grandes

Província de Salta

A província de Salta é relativamente grande e tem uma parte mais árida, na Cordilheira dos Andes, e uma zona de floresta tropical.

A maioria dos pontos mais interessantes fica na região mais alta e seca, por isso lembre-se de tirar ao menos um dia ou noite para que seu corpo se acostume – você não vai querer sofrer com soroche, o mal da altitude.

Confira o nosso guia completo de Salta para saber tudo sobre a província.

1. Cidade de Salta

A capital da província é também a maior cidade do norte da Argentina. Ela conta com uma ótima infra-estrutura e é muitas vezes usada pelos turistas como base para os passeios. Aliás, a cidade de Salta é um ótimo começo para o seu roteiro.

A cidade em si não é super badalada, mas tem um centro histórico cheio de museus, igrejas e prédios históricos. Não perca o Museu de Arqueologia de Alta Montaña (MAAM), onde estão as múmias de Llullaillaco (os corpos de três crianças Inca excepcionalmente preservadas), uma das descobertas arqueológicas mais importantes dos últimos tempos.

Outros pontos de interesse na cidade de Salta são a Plaza 9 de Julio, o Cabildo e o Cerro San Bernardo.

Norte da Argentina - Centro de Salta
Centro de Salta

Muita gente acha que não há muito o que fazer na capital e sai direto para os passeios nos arredores, mas tire uns dias para conhecer “Salta, la Linda”, como a chamam os argentinos.

2. Cafayate

A 200 km ao sul de Salta, Cafayate tem a rota de vinho mais alta do mundo e é bastante conhecida pela uva Torrontés, que adora o clima seco da região. Há diversas vinícolas que você pode visitar em Cafayate. (E se você é amante de vinhos, pode combinar uma viagem para Cafayate com Mendoza).

Além disso, nos arredores dessa charmosa cidadezinha há formações rochosas surreais. Visite a Quebrada de las Conchas para ver um cânion milenar, com suas paredes ocre e avermelhadas. Outros destaques aqui são La Garganta del Diablo e o Anfiteatro.

Norte da Argentina - Cafayate
As charmosas ruas de Cafayate

Nós nos hospedamos em Cafayate no Hotel Los Toneles – e recomendo que você fique uma ou duas noites para aproveitar o que esse lugar tem a oferecer.

Mas caso não seja possível, você poderá fazer um tour guiado para Cafayate, visitando vinícolas e as formações rochosas em um dia.

Aproveite para conferir nosso post com tudo o que há para fazer em Cafayate.

3. Cachi

A 157 km de Salta, o povoado de Cachi nasceu de uma fazenda fundada em 1673, tornando-se independente somente em 1950. Por isso, ainda conserva as características de casas coloniais, geralmente com tijolos à vista e alinhadas em ruas estreitas.

A cidade em si fica a 2.280m de altitude e tem somente 8 mil habitantes. Se você não alugar um carro para explorar a região, o ideal é contratar um passeio para Cachi com agência saindo da cidade de Salta.

Há diversas paradas na viagem de 4h entre Salta e Cachi: formações geológicas únicas, como o Parque Nacional Los Cardones e vilarejos indígenas, que são mostrados e explicados em detalhes.

Norte da Argentina - Cachi
Foto: Rod Waddington de Kergunyah, Australia / CC BY-SA 2.0

Chegando em Cachi, aproveite para visitar a Feira de Artesanatos na Praça Central, o Parque Temático Cultural “Todo Lo Nuestro”, o Museu Arqueológico Pío Pablo Díaz e a Iglesia San José De Cachi.

4. Tren a Las Nubes

O Tren a las Nubes (“Trem para as nuvens”) realiza um passeio bem peculiar pela região de La Puna, um altiplano quase desértico.

Inaugurado em 1948, foi usado principalmente para o transporte de minérios, porém perdeu esta finalidade e virou atração turística. Hoje ele é o terceiro trem mais alto do mundo.

Norte da Argentina - Trem de Las Nubes
Trem de Las Nubes. Foto: Casa Rosada (Argentina Presidency of the Nation) / CC BY-SA 2.0

O trem sobe a encosta dos Andes e percorre 44 km, onde você verá contrastes impressionantes na paisagem. O passeio começa em San Antonio de los Cobres, a 160km de Salta (3 horas de carro), e o trem sai sempre ao meio-dia. O trem é super chique e o passeio inclui também alimentação.

Você pode ir por conta própria até San Antonio e pegar o trem de lá mesmo. Ou ainda, fechar um tour guiado com agência, que inclui outros destinos interessantes no passeio.

Província de Jujuy

A província de Jujuy fica ao norte de Salta e guarda uns dos cenários mais lindos do noroeste da Argentina.

Para saber tudo sobre a região, confira nosso guia especial de Jujuy. Os principais destinos dessa província são:

5. Cidade de Jujuy

Menor e menos badalada que Salta, a cidade de Jujuy é a parada ideal para quem segue viagem para o norte. Fique uns dias na capital para conhecer o recanto mais indígena da Argentina e para fazer os passeios nos arredores.

Se você pretende conhecer lugares como a Quebrada de Humahuaca, talvez seja interessante usar Jujuy como base. Muitos visitantes também seguem daqui para a Bolívia cruzando por Villazón, ou para oeste, com destino a San Pedro de Atacama no Chile.

Passando por Jujuy, aproveite para conhecer a Plaza Belgrano, a Casa de gobierno, o Museo Arqueológico Provincial de Jujuy e o Paseo de los Artesanos.

Norte da Argentina - San Salvador de Jujuy
Catedral de San Salvador de Jujuy. Foto: Marcelo Ois Lagarde / CC BY-SA 3.0

6. Quebrada de Humahuaca

A Quebrada de Humahuaca é um vale cortado pelo Rio Grande, um sub-afluente do Rio Paraguai, estando ao norte da capital de Jujuy. Nomeada Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade pela UNESCO em julho de 2003, a região virou a queridinha de muitos turistas por suas montanhas coloridas e sítios arqueológicos do Império Inca.

Para saber mais sobre esse destino lindo, confira nosso post com dicas da Quebrada de Humahuaca.

Mas adiantando: é possível visitar a Quebrada de Humahuaca a partir de um passeio guiado bate-volta de Salta. Porém você não conseguirá ver tudo e terá que fazer o passeio correndo, pois a distância é considerável.

O melhor mesmo é alugar um carro e hospedar-se em um dos três vilarejos ao longo da quebrada e fazer tudo com mais calma. Os três vilarejos são Purmamarca, Humahuaca e Tilcara. Veja mais sobre eles:

Purmamarca | Famoso pelo Cerro de las Siete Colores , o pequeno vilarejo de Purmamarca tem um ritmo tranquilo. Há uma feira de artesanato diária na praça central e uma grande variedade de cafés e lojas ao seu redor. Saiba mais sobre Purmamarca.

Norte da Argentina - Purmamarca
Cerro de Los Sete Colores

Humahuaca | Apesar de dar o nome a toda região, Humahuaca é apenas um dos povoados da Quebrada de Humahuaca. Suas ruas empoeiradas não parecem lá muito atraentes, mas há alguns museus, monumentos e igrejas para visitar. Seu ponto mais interessante, no entanto, é a Serranía de Hornocal, uma cadeia de montanhas a 25 km leste da cidade.

Norte da Argentina - Humahuaca
Cerro de 14 Colores

Tilcara | Um pouco maior do que os outros dois vilarejos, Tilcara oferece uma melhor estrutura, com mais opções de hospedagem e passeios. Apesar disso, a cidadezinha mantém as características locais. A principal atração aqui é o Pucará de Tilcara, uma fortaleza construída pelos Incas que hoje é um sítio arqueológico. Ali do lado fica o Jardim Botânico de Altura, com diversas espécies de plantas nativas da região.

Norte da Argentina - Ruínas de Pucará de Tilcara
Pucará de Tilcara

7. Salinas Grandes

Salinas Grandes é um salar de mais de 12 hectares dividido entre as províncias de Salta e Jujuy, na Ruta 52, a estrada que liga a Argentina ao Chile em direção a San Pedro de Atacama.

O salar tem um branco intenso que lembra o seu irmão maior, o Salar de Uyuni na Bolívia. Sem dúvidas um passeio imperdível pela região norte da Argentina!

Norte da Argentina - Salinas Grande de Salta
O deserto de sal Argentino

Os tours guiados para Salinas Grandes normalmente incluem Purmamarca no roteiro, passando pela linda estrada Cuesta del Lipán (onde paramos em um mirante para apreciar o visual).

Confira o post que escrevemos sobre o passeio para Salinas Grandes.

Como viajar pelo norte da Argentina

Como circular entre os destinos do norte da Argentina

Na nossa opinião, a melhor forma de explorar a região norte da Argentina é por conta própria, alugando um carro e montando seu próprio roteiro. Nós sempre recomendamos alugar carro pela Rentcars, um site que faz um bom comparativo de preços e mostra sempre os melhores resultados.

Se alugar carro não é uma opção, você pode sempre ir de avião até Salta e montar seu roteiro a partir daí. Para visitar os pontos mais interessantes dos arredores, você terá que pegar ônibus, táxis ou contratar tours privados.

Os ônibus são de relativa qualidade mas, dependendo do destino, você terá que esperar um bocado e ficar refém de escassos horários de partida. Alguns ônibus ainda vão te deixar no destino de madrugada, em cidades pequenas que vão estar vazias nas altas horas da noite. Por isso se planeje bem.

Veja como chegar nas duas capitais do norte da Argentina:

Como chegar em Salta

Avião

O Aeroporto de Salta fica a 12km do centro. Há voos frequentes saindo de Buenos Aires com destino à cidade, que duram cerca de 2h.

Saindo de São Paulo (GRU), as cias Aerolíneas Argentinas e LATAM fazem o trajeto SP – Salta com escala em Buenos Aires. A viagem entre SP e Buenos Aires dura em média 2h45. Costumamos fazer pesquisa de preços e comprar passagens pelos sites Skyscanner e Momondo.

Para sair do aeroporto, a oferta de táxis é ampla, mas não há muitas opções de transporte público. O coletivo 8A passa na frente do aeroporto e vai até o centro, mas não passa na Plaza 9 de Julio.

Ônibus

De ônibus, as companhias Flechabus, Balut, Chevallier e La Veloz del Norte são algumas que saem de Buenos Aires e das principais capitais argentinas com destino a Salta. Dentro da Argentina, as passagens custam entre R$ 100,00 e R$ 400,00, a depender da companhia e do tipo de ônibus.

Quem viaja até a fronteira com a Bolívia ou Chile pode ter que trocar de companhia na fronteira e pegar outro ônibus em cidades como Villazón (Bolívia) ou Paso de Jama (Chile). Algumas empresas chegam até o Peru, fazendo consórcio com companhias locais.

Trem

Por fim, há a opção de transporte executivo é o trem. O sistema ferroviário argentino não cobre todo o país, mas há uma linha ligando Buenos Aires a Tucumán, ao sul de Salta. No caso, é preciso ir de trem até Tucumán e pegar um ônibus entre as duas cidades, uma distância de 300km (4h de viagem).

Carro

De carro partindo de Buenos Aires, a viagem pela Ruta Nacional 34 percorre cerca de 1.500 km em 18 horas, sem contar paradas e pernoites. A recomendação é parar no meio do caminho, montando um roteiro que passe por cidades como Rosário. Ou ainda, pegando a Ruta Nacional 9 para passar por San Miguel de Tucumán.

Como chegar em Jujuy

Jujuy é a “última” província ao norte da Argentina, fazendo fronteira com a Bolívia e com o norte do Chile. Aliás, é nessa região que as estradas conectam Purmamarca a San Pedro de Atacama.

Jujuy é menor e menos badalada que Salta, mas vale uma visita, especialmente por quem passa por ali em direção à Quebrada de Humahuaca.

Avião

Saindo do Brasil, você pode pegar um voo para Jujuy fazendo escala em Buenos Aires. As companhias Aerolíneas Argentinas e GOL fazem a rota. O aeroporto de Jujuy fica a aproximadamente 30 km da capital.

Outro aeroporto próximo a Jujuy é o de Salta (SLA), então vale conferir pois as passagens para Salta costumam ser mais baratas. A distância de Salta a Jujuy é de 124 km.

Quem vem de Buenos Aires para Jujuy pode pegar um voo de 2h30 no total.

Ônibus

Também dá para encarar o trajeto de ônibus, em uma viagem com mais de 20 horas de duração. As empresas Flechabus, Balut e La Veloz del Norte fazem o trajeto.

Quem quiser combinar essa viagem com o Deserto do Atacama, pode pegar um ônibus do Atacama até Salta, passando por Purmamarca e Jujuy. As empresas que fornecem essa rota são Andesmar e Geminis.

Norte da Argentina: quantos dias de viagem

Em uma semana dá para conferir as atrações mais importantes do norte da Argentina, mas o seu roteiro ficará bem apertado. Tente tirar ao menos 10 dias para ver tudo com calma, dividindo pernoites entre Salta, Cafayate, Jujuy e Tilcara.

Dessa forma seu corpo já terá se acostumado com a altitude e o clima, e você poderá relaxar. Afinal, qual a graça de correr de um vilarejo a outro visitando pontos turísticos sem tempo suficiente para curti-los?

Ah, é preciso considerar que muitos dos pontos interessantes de Salta e Jujuy estão bem distantes um do outro. Portanto, considere o tempo de viagem entre uma cidade e outra. Ou ainda, se você irá fazer passeios bate-volta, tours com agência ou se deslocar por conta própria.

Por isso, defina bem o seu roteiro e planeje o que fazer no norte da Argentina com calma.

Quando ir para o norte da Argentina

A época ideal para ir ao norte da Argentina é entre o fim de fevereiro e metade de maio, quando a temperatura fica amena e há pouca previsão de chuva, garantindo o tempo perfeito para passeios pelas montanhas.

Outro período interessante para visitar a cidade é entre fim de agosto e outubro, os meses mais secos do ano, mas não tão frios quanto junho e julho.

Se você não puder ir nessas épocas, prefira o inverno (entre junho e agosto). Apesar de ser a época mais fria – há inclusive possibilidade de neve – é uma época seca, o que é melhor do que os períodos chuvosos porque em alguns locais de trilha e passeios ecológicos, rios podem subir repentinamente quando chove. Além disso, no inverno as paisagens ficam ainda mais lindas!

Média de temperatura de 12 meses. Fonte: WorldWeatherOnline.com

Primeira vez em terras hermanas? Confira nosso Guia Prático da Argentina: aqui você encontra todas as informações que precisa para planejar sua viagem ao país

Mais dicas de viagem para o norte da Argentina

O que levar para o norte da Argentina

Roupas e acessórios

Mesmo no verão, as temperaturas caem à noite, por isso leve casacos quentes e jaquetas corta-vento. Coloque também na mala algumas calças largas e confortáveis, pois as excursões muitas vezes incluem boas caminhadas.

Para os passeios, sapatos de trilha são ideais, mas botas com sola de borracha ou um tênis firme e confortável resolvem.

A região é seca e árida, com sol forte durante o dia. Leve protetor solar, óculos escuros, hidratante, protetor labial e uma garrafa de água grande.

Dinheiro

Algumas cidades têm caixas eletrônicos, mas a maioria não tem. Muitos estabelecimentos também não aceitam cartão, então leve dinheiro vivo e preferencialmente já convertido em pesos argentinos. As taxas de conversão nesses vilarejos são bem ruins e você pode perder até 50% do seu dinheiro.

Contrate um seguro para viajar pelo norte da Argentina

Quem viaja para essa região deve estar preparado para enfrentar as altas altitudes, que podem causar um tremendo mal estar para quem não está acostumado. Não deixe de se informar sobre como prevenir o soroche (como é chamado o mal de altitude) antes de embarcar nessa viagem.

Por esse e outros motivos, é extremamente importante fazer um seguro viagem. Nós sofremos com o tal soroche em nossa viagem pela América do Sul e tivemos que buscar atendimento médico.

Portanto, faça uma busca no Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções de seguro. É só escolher o que atende suas necessidades.

E pra facilitar, é só usar nosso código EMALGUMLUGAR5 que você ganha 5% de desconto!

Seguros Promo

Roteiro para o norte da Argentina: Jujuy e Salta em 10 dias

Para facilitar sua vida, montamos um roteiro com os pontos imperdíveis do norte da Argentina:

Dia 1 | Salta

Você chegará em Salta e vai precisar de um tempo para se aclimatar. Dê uma volta na cidade, aproveite para conhecer a Plaza 9 de Julio, o Cabildo, o Cerro San Bernardo e o Museu de Arqueologia de Alta Montaña (MAAM).

Não esqueça também de alugar seu carro ou confirmar os tours que irá fazer nos próximos dias.

Dica de hospedagem em Salta | Hotel Boutique La Candela

Norte da Argentina - Cabildo de Salta
O Cabildo de Salta

Dia 2 | Passeio ao Tren a las Nubes

A viagem de Salta a San Antonio de los Cobres dura 3 horas e o passeio no Tren a las Nubes dura o dia inteiro. Por isso, separe um dia só para esse passeio, pois você estará de volta em Salta apenas à noite.

Norte da Argentina - Tren a las nubes
Casa Rosada (Argentina Presidency of the Nation / CC BY-SA 2.0

Dia 3 | De Salta a Cachi

O passeio a Cachi é outro que dura o dia inteiro, portanto reserve o terceiro dia da sua viagem só para conhecer o vilarejo. Algumas das atrações estão no caminho entre Salta e Cachi, como o Parque Nacional Los Cardones.

Chegando em Cachi, você poderá conhecer a Feira de Artesanatos na Praça Central, o Parque Temático Cultural “Todo Lo Nuestro”, o Museu Arqueológico Pío Pablo Díaz e a Iglesia San José De Cachi.

No fim do dia, você voltará para Salta para descansar durante a noite, porque no dia seguinte o melhor é partir para Cafayate.

Dia 4 | De Salta a Cafayate

Os 200km entre Salta e Cafayate são feitos em cerca de três horas, então o ideal é sair cedo para ter o resto do dia para conhecer o centrinho de Cafayate e visitar alguma vinícola. Por sorte, a maioria é bem próxima do centro e dá para ir até de bike.

Dica de hospedagem em Cafayate | Hotel Los Toneles

Dia 5 | Arredores de Cafayate

Tire um dia para conhecer as formações rochosas nos arredores de Cafayate: Quebrada Las Conchas, Quebrada de las Flechas, La Garganta del Diablo e o Anfiteatro. Esse passeio deve durar o dia inteiro.

Norte da Argentina - Quebrada de Las Flechas
Quebrada de las Flechas. Foto: Fercosquin / CC BY-SA 4.0

Dia 6 | De Cafayate a Jujuy

Agora é hora de deixar o sul de Salta e seguir rumo ao norte. A viagem entre Cafayate e Jujuy dura umas 4h30 de carro – espere quase 6h caso vá se deslocar de ônibus.

Ao chegar em Jujuy, tire um tempo para conhecer a cidade, descansar da rotina cheia de passeios dos dias anteriores, e aclimatar-se ainda mais com a altitude. Em pouco tempo você consegue visitar a Plaza Belgrano, a Casa de Gobierno, o Museo Arqueológico Provincial de Jujuy e o Paseo de los Artesanos.

Aproveite também para confirmar seu passeio para as Salinas Grandes no dia seguinte, caso não vá por conta própria.

Dica de hospedagem em Jujuy | Hotel Avenida

Dia 7 | Salinas Grandes

Outro passeio que dura o dia inteiro devido às distâncias. Tome um café da manhã reforçado, leve óculos de sol e protetor solar. E lembre-se de carregar a bateria da câmera, porque você vai tirar muitas fotos!

Caso esteja de carro, daqui você poderá seguir direto para seu próximo destino: Tilcara. Caso tenha ido em um tour, retorne a Jujuy e siga caminho no dia seguinte.

Norte da Argentina - Ojos del Salar
Ojos del Salar. Buracos em meio ao deserto de Sal

Dia 8 | Tilcara

Tilcara será sua base para conhecer a Quebrada de Humahuaca. Aproveite o dia para explorar as atrações de Tilcara, começando pela fortaleza Inca Pucará de Tilcara e, em seguida, o Jardim Botânico de Altura. Depois, poderá circular pela cidade, conhecer o Museu Arqueológico ou visitar a cachoeira Garganta del Diablo.

Dica de hospedagem em Tilcara | Hostal Antigua Tilcara

Norte da Argentina - Tilcara
Centro de Tilcara

Dia 9 | Purmamarca (Cerro de los Siete Colores) e Humahuaca (Serranía de Hornocal)

No penúltimo dia da viagem, faça um bate-e-volta de Tilcara para Purmamarca e Humahuaca, as duas vilas que completam o circuito da Quebrada de Humahuaca.

Hoje é o dia de ver as lindas montanhas coloridas da região. Comece pelo Cerro de los Siete Colores e aproveite para rodar pelo vilarejo de Purmamarca. Na parte da tarde, siga para Humahuaca e visite a Serranía de Hornocal, para mais uma sessão de rochas e cores!

Norte da Argentina - Humahuaca
Lojinha em Humahuaca

Dia 10 | Volta para Salta

Faça o caminho de volta para Salta, terminando sua viagem pelo norte da Argentina. Você pode voar no mesmo dia ou ficar mais uma noite.

E aí, curtiu nossas dicas? Espero que tenha ajudado você a planejar sua viagem pelo norte da Argentina!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Argentina: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!