Os encantos de Inle Lake: destino imperdível no Myanmar

TUDO SOBRE INLE LAKE, NO MYANMAR: INFORMAÇÕES E DICAS DE VIAGEM

Conheça todas as belezas desse lago e veja por que ele deve estar no seu roteiro de viagem pelo país

  • Adriana
  • -
  • 23 de agosto de 2019
  • 25 Comentários

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

Inle Lake, assim como o resto do Myanmar, ainda não foi tão explorado pela indústria do turismo quanto o resto do Sudeste Asiático. Por conta disso, é um dos lugares mais intocados e autênticos da região.

Uma coisa é certa: todos que vão até lá voltam transformados ou, no mínimo, inspirados pelo seu povo amável com sua vida que segue simples. Mas a riqueza de sua cultura e a beleza única desse lago fazem com que Inle Lake seja um destino único no Myanmar.

Nós ficamos simplesmente encantados com tudo que vimos ao nosso redor em Inle Lake. Prepare-se para observar cenários únicos e para relaxar nesse destino onde o tempo parece passar em outro ritmo. Confira todas nossas informações e dicas de Inle Lake no Myanmar – e boa viagem!

Saiba mais: COMO TIRAR O VISTO PARA O MYANMAR: PASSO A PASSO

Inle Lake
Passeio de barco em Inle Lake

Saiba mais sobre Inle Lake

Situado no Estado de Shan, leste do Myanmar, entre uma cadeia de belas montanhas verdes, Inle Lake é casa de mais de setenta mil pessoas. O povo local de Inle Lake, chamado Intha, tem origem tibeto-birmanesa, e segue os tradicionais preceitos budistas. Todos vivem uma vida simples – mas muito autossuficiente – que gira ao redor do lago. Afinal, tudo está lá: suas plantações, casas, escolas mercados e templos.

Apesar de ser um povo simples, isso não quer dizer que não sejam extremamente inovadores e criativos. Pelo contrário: as limitações climáticas e geográficas serviram justamente para desenvolver as habilidades únicas do povo Intha, como sua pesca peculiar.

Inle Lake
Povo Intha

Por conta das plantações flutuantes, os pescadores tiveram que criar um estilo único de pesca, que se tornou uma atração por si só. Há também a tecelagem, que utiliza matérias-primas como a flor de lótus.

Por conta disso, uma das atrações mais interessantes de Inle Lake é simplesmente observar a vida acontecendo, visitar as pequenas cooperativas que produzem diversos tipos de artesanato e admirar as habilidades das mulheres tecendo belas vestes.

Inle Lake é definitivamente um lugar para dar valor ao simples e às origens. Prepare-se para uma viagem inesquecível!

O que fazer em Inle Lake

Para conhecer as principais atrações de Inle Lake, as opções de transporte são basicamente duas: bike ou barco.

Inle Lake
Passeio pelos canais do Inle Lake

Quanto aos passeios de barco, a dica de ouro é combinar seu itinerário antes de começar o tour. O roteiro clássico inclui visitas a vários vilarejos flutuantes e a diversas fábricas e lojas locais.

Caso não faça questão de visitar lojas e fábricas, avise logo de cara ao seu barqueiro, senão ele irá seguir esse roteiro pré-definido. Lembrando que isso vale para tours privados, onde você define o que quer ver. Em tours coletivos, não há muito espaço para personalização.

Os tours costumam começar bem cedo e terminar por volta das 17h, com parada para o almoço e pôr-do-sol. Os preços variam, mas giram em torno de K6.000 para barcos coletivos de dez pessoas e K20.000 para barcos mais privativos, com até cinco pessoas

Veja também: O QUE FAZER EM YANGON: DICAS PARA VISITAR A MAIOR CIDADE DO MYANMAR

Principais atrações em Inle Lake

Vila Ywama

O mais famoso mercado flutuante fica localizado na Vila de Ywama, a maior de Inle Lake. O local exato pode mudar durante o dia por conta do sol, mas fica sempre próximo da Phaung Daw Oo pagoda.

Inle Lake
Comerciantes retornando após o fim do mercado

Originalmente, era um mercado feito e frequentado por locais mas, com o aumento do turismo, houve uma grande diversificação do que é vendido por lá – é um bom lugar para encontrar souvenires, por exemplo. Vale chegar bem cedo, se possível por volta das 7h, para evitar o trânsito de barcos e as multidões de visitantes.

Os pescadores de Inle lake

Sem dúvidas, uma das cenas mais belas que você vai poder testemunhar em Inle Lake será protagonizada pelos “pescadores bailarinos” de Inle Lake, apelido carinhoso dado aos pescadores do local, donos de um estilo único de pesca.

Inle Lake
Pescador e Inle Lake se preparando para a pesca

A tradição passa de pai para filho a cada geração e teve início justamente por conta da peculiaridade da cidade, situada em um lago. As plantações flutuantes tornaram difícil para os pescadores ver o movimento dos peixes, então a solução foi começar a pescar de pé, utilizando as pernas como instrumento para movimentar as redes. O resultado é praticamente um balé da pesca, incrivelmente emocionante.

Inle Lake
O exato momento da pesca
Inle Lake
Pescadores buscam por peixes

Com a chegada de turistas, era de se esperar que a rotina dos pescadores também fosse afetada. A maioria deles está ali “fazendo o show” à espera de visitantes, que param para observar e acabam contribuindo com algum dinheiro. Muitos pescadores que dependem da atividade se renderam ao modelo “normal” de pesca, sendo poucos os que mantêm a “pesca bailarina” como forma principal de sustento.

Ainda assim, é um espetáculo lindo e imperdível para quem visita Inle Lake.

Jardins Flutuantes

Uma das principais fontes de renda do povo Intha é a venda de produtos agrícolas. Mas por conta da sua geografia, as plantações têm uma peculiaridade: são todas flutuantes, graças à aquicultura.

Inle Lake
Jardins Flutuantes de Inle Lake
inle Lake
Plantação de tomates

Além de tomates e vegetais, você vai poder ver diversas flores ao longo dos seus jardins, todos demarcados por longos espetos de bambu, que indicam o início e fim do pedaço de “terra” de cada proprietário.

Fábrica de charutos

No Myanmar são produzidos charutos de um tipo diferente, chamados Cheroot, que significa literalmente “enrolar”. E não é para menos: cada funcionário costuma enrolar cerca de 500 charutos por dia. É trabalho pesado.

Inle Lake
Fábrica de charutos em Inle Lake

Se tiver interesse, turistas podem comprar um pacote de dez charutos por K 1.000 durante a visita – o cheiro delicioso na fábrica fica por conta dos ingredientes principais usados na sua fabricação: banana desidratada, mel e açúcar mascavo.

Fábrica de Seda e Lótus

A flor de lótus é uma das espécies que mais se adequou ao clima e às condições de Inle Lake. Tanto que virou matéria-prima têxtil: diz a história que tudo começou há muitos anos, quando uma mulher decidiu fazer um robe especial para um mestre budista e acabou descobrindo que a fibra da flor podia ser usada para criar peças únicas.

Inle Lake
Fábrica de seda da flor de lótus

Hoje, acredita-se que usar uma peça de roupa com essa matéria-prima ajuda a expulsar coisas ruins da sua vida.

A tecelagem já é uma prática centenária na região, normalmente responsabilidade das mulheres, que precisavam produzir vestimentas para suas famílias. Além da fibra de lótus, o algodão e a seda são as fibras naturais mais usadas, já que são boas tanto para o verão quanto para o inverno no Myanmar. A visita à fábrica vai te deixar boquiaberto com a agilidade e a perfeição do trabalho dessas mulheres.

Inle Lake
Tecelã extraindo o fio da seda

Maing Thauk

Uma vila curiosa, que fica metade dentro do lago e metade em terra firme, ambas as partes conectadas por uma ponte de madeira. Ou seja, você pode acessá-la tanto por carro/bike quanto por barco. No alto da vila, você alcança o monastério Tawya Kyaung, que tem uma bela vista do lago.

Vila Indein (Inn Thein)

Localizada ao Oeste de Ywama, seu nome significa “shallow lake” ou “lago raso, seco”. A explicação é simples: durante o verão, o nível da água fica bem baixo e o rio esvaziado, o que impossibilita que se chegue de barco até Inle Lake.

Inle Lake
Inle Lake e suas casas sobre o lago

Nessa vila também acontece um dos mercados de rua mais tradicionais de Inle Lake, cinco dias por semana. E por lá você pode visitar algumas das pagodas mais antigas do Myanmar, como Nyaung Oak e Shwe Inn Thein Paya – com suas centenas de estupas em diferentes estados de conservação. É de encher os olhos!

inle lake
Ruínas em Inn Thein

Phaung Daw U Pagoda

São grandes as chances de você estar cansado de conhecer pagodas, principalmente se tiver visitado países como a Tailândia antes de chegar ao Myanmar. Se tiver que escolher apenas uma pagoda para conhecer em Inle Lake, vá nessa.

Inle Lake
Phaung Daw U Pagoda

Ela é a mais famosa da região, e também conhecida como casa dos cinco budas de ouro. Ali do lado você encontra uma feirinha local, com muitas opções de artesanato e outros souvenires.

É lá que todos os anos acontece o Phaung Daw U Pagoda Festival, celebração que dura 18 dias (a data exata muda todo ano por conta do calendário lunar, mas normalmente é entre setembro e outubro), no qual os Budas dourados são colocados em um barco e fazem uma procissão em torno do Inle Lake.

Inle Lake
Monges em um bate papo

Vinícola Red Mountain Estate

Uma das maiores surpresas da região de Inle Lake é descobrir que ali pertinho, a cerca de 20 minutos de Nyaung Shwe, existe uma vinícola. Depois de tantos templos e passeios de barco, é uma experiência perfeita degustar diferentes tipos de vinhos e aproveitar a belíssima vista do lago e das montanhas logo abaixo. A dica é se programar para ver o pôr-do-sol de lá.

Você tem a opção de pedir a degustação de quatro vinhos diferentes por K5.000 (USD 3,70) ou comprar uma garrafa inteira, ótima opção se você estiver acompanhado. Os preços são variados, dependendo da origem dos rótulos, mas existem garrafas a partir de K10.000. Para chegar lá, você pode simplesmente ir pedalando ou pedir um taxi.

Gostou do post? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de várias dicas de viagem!

em algum lugar do mundo no facebook

Onde ficar em Inle Lake

Na hora de escolher sua acomodação em Inle Lake, você tem basicamente duas opções: ficar hospedada na cidade ou pelo lago mesmo. Se possível, o ideal é tentar fazer uma combinação dos dois durante sua visita, para aproveitar o melhor que cada opção tem a oferecer.

Hospedando-se em m Nyaung Shwe

Um dos hotéis mais completos é o Sanctum Inle Resort, com diárias a partir de R$300. Com um design impecável, terraço e uma piscina com bar e vista para o lago, é a melhor opção para quem quer bastante conforto e praticidade. Ainda disponibilizam bikes (sem custo extra) e serviço de barcos para passeios.

Ainda na linha conforto, o Hotel Amazing Nyaung Shwe tem uma ótima localização, perto de todos os bares, restaurantes e comércio de Nyaung Shwe. Eles ainda tem um spa para hóspedes. São apenas dezesseis quartos, o que garante privacidade e um atendimento mais personalizado. Diárias a partir de R$ 120.

Para mochileiros e viajantes com orçamento mais enxuto, não é preciso se preocupar: existem sim opções em conta na cidade. Uma delas é o Manaw Thukha Hotel, com diárias a partir de R$30. O café da manhã, apesar de simples, é uma bela mão na roda, assim como as bikes disponíveis sem custos. Apesar de fazer mais o estilo albergue, os quartos são bem amplos e arejados e o jardim externo é uma delícia.

Hospedando-se no lago

Para opções de hotéis situados no lago, vale a pena checar o ViewPoint Lodge & Fine Cuisines. A partir de R$200, em apenas 15 minutos de barco você chega à parte principal do lago. O hotel tem dois ótimos restaurantes, o The Shan, de comida típica birmanesa, e o The Lounge, de comida francesa e ocidental, além de um café-da-manhã (incluso) bem farto.

Ainda na parte do lago, na vila Ywama, o Shwe Inn Tha Floating Resort oferece quartos a partir de R$ 300 a diária, e tem spa e piscina e opções de restaurantes para os hóspedes. Fica a apenas 15 minutos do principal mercado flutuante e pertinho da maioria das atrações – fica bem mais fácil chegar antes das multidões de turistas.

Confira: CONHEÇA OS TEMPLOS DE BAGAN, NO MYANMAR

Como chegar e circular por Inle Lake

Como chegar

Saindo do Brasil, a melhor maneira de chegar no Myanmar é via Bangkok. De lá, você tem a opção de pegar um voo da Air Asia que te deixa em Yangon ou Mandalayy em apenas uma hora.

Uma vez no Myanmar, suas principais cidades – Yangon, Mandalay e Bagan – têm voos até Heho, o aeroporto mais próximo de Inle Lake. Os custos variam entre USD 80 e USD 150 o trecho, dependendo da cidade. Procure por voos nas companhias Mann Yadanarpon Airlines, Myanmar National Airlines, Golden Myanmar Airlines e Yangon Airways e Air KBZ, que fazem o trajeto.

Do aeroporto, a melhor opção é pedir um taxi para percorrer os 50km até Nyaung Shwe, cidade mais próxima do lago. A corrida vai te custar cerca de K25.000 ou USD 20 e leva 45 minutos – a estrada costuma ter condições ruins e é cheia de curvas. No caminho, você vai precisar pagar uma taxa extra de acesso de USD 20 – guarde o ticket que receber, pois ele pode ser pedido posteriormente.

Caso você prefira fazer o trajeto de Yangon até Inle Lake de ônibus, os valores costumam ficar entre USD13 e USD 27, dependendo do tipo de ônibus que você escolher – quanto mais conforto, mais caro. O caminho todo costuma durar umas 11 horas e a vantagem é que o ônibus já te deixa em Nyaung Shwe. Da cidade para o seu hotel, você dificilmente gasta mais do que K2.000 em um taxi.

Como circular dentro de Inle Lake

Uma das melhores formas de se locomover por Inle Lake é de bike, caso você se hospede em Nyaungshwe. Normalmente, hotéis (e até alguns albergues) já disponibilizam bikes sem custos, mas caso você precise alugar uma, a diária costuma ser bem baratinha, cerca de USD 1,50 por dia.

Agora, se você se hospedar no lago, ou se precisar atravessar da parte leste para a parte oeste, vai precisar de um barco, que funcionam praticamente como os taxis de Inle Lake. Normalmente, os pescadores cobram USD 2,00 por cada trecho e você pode levar sua bike dentro do barco.

Veja também: TUDO SOBRE MANDALAY, NO MYANMAR: INFORMAÇÕES E DICAS DE VIAGEM

Qual a melhor época para visitar Inle Lake?

A melhor época para uma visita ao Inle Lake é fora da temporada de monções, quando as chuvas são constantes, ou seja, de dezembro e abril. Os meses mais quentes são fevereiro e março, quando a temperatura fica entre 30ºC e 40ºC.

Então vale planejar sua viagem entre novembro e janeiro. Para dezembro e janeiro, alta temporada, vale reservar uma grana extra. De uma forma geral, evitando os meses de maio a novembro, você vai ter uma ótima experiência.

Vai conhecer Inle Lake? Não se esqueça do seguro viagem!

Para garantir uma viagem tranquila por Inle Lake e outros destinos no Myanmar, é importante fechar um seguro viagem. A estrutura hospitalar no país não é das melhores, e tendo um seguro você estará mais protegido em caso de emergência.

Nossa recomendação é sempre comparar os valores de seguro viagem pela Segurospromo., e escolher aquele que atende suas necessidades. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto.

Inle Lake
Fotografando as ruínas de Inle Lake

E você, ficou com vontade de conhecer Inle Lake? Conta pra gente!

Você também poderá gostar desses posts:

E se vai viajar pelo sudeste asiático, confira algumas dicas:

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Myanmar: explore

25 comentários em “TUDO SOBRE INLE LAKE, NO MYANMAR: INFORMAÇÕES E DICAS DE VIAGEM”

  1. Gente, que lugar incrível! Eu não conheço, não tinha lido ainda sobre, mas me encantei, principalmente com a tecelagem com flor de lótus e a plantação flutuante, que coisas incríveis. Adorei, vou querer um dia ir.

  2. rui batista disse:

    O Lago Inle foi das melhores experiências que tive na Birmânia/Myanmar, a par de Bagan. Muito bom recordar esses dias mágicos num país com gente maravilhosa…

  3. Carla Mota disse:

    Boas dicas. Este lago deve ser magnífico. Quero muito ia ao Myanmar mas ainda não deu.

  4. Katarina disse:

    Que post completo, Adriana! E com fotos maravilhosas. Quero muito conhecer Myanmar, ainda mais agora 🙂

  5. que experiência maravilhosa, a vista, os locais são todos de encher os olhos, sonho em conhecer o Myanmar, não sei quando, mas é um destino perfeito na lista de qualquer viajante!

  6. Adriana, parabéns por essas fotos! Estão lindas demais. O Inle Lake é certamente o tipo de lugar que eu gosto, com uma vida cultural rica, belezas naturais e construções. Lindo!

  7. Aninha Lima disse:

    Que dia que é interessante e realmente encantadora!
    Eu adoraria conhecer a fábrica de seda e me encantei com casas em cima do Lago…
    Também achei que os hotéis são muito bonitos para o preço das diárias. viajar barato é outra história…

  8. Viviane Carneiro disse:

    Nossa, Inle Lake é realmente um lugar encantador! Amei as lindas fotos. Cultura diferentes, paisagens lindas e muitas atrações maravilhosas. Já quero conhecer.

  9. Luli disse:

    Que lugar lindo, to apaixonada! Super diferente, com muita história, cultura e conforto. Amei as dicas!!!

  10. Adriana, tuas fotos estão lindas e teu post muito completo! Myanmar tem sido uma boa surpresa para mim, assim como todo o sudeste asiático!
    Me diga uma coisa… Vc acha viável fazer esta viagem com uma criança de 3 anos?

  11. Essas viagens por esses países distantes são um espetáculo! Adorei as fotos, que lugar sensacional. Diferente de tudo, né?

  12. Que lugar fantástico, e o melhor é que não são destinos turísticos então são excelentes para se aproveitar a cultura local, e que cultura. Fantástco relato.

  13. Amei tudo, especialmente os jardins flutuantes. Adoro visitar lugares poucos explorados. E esse hotel parece ser demais, hein?

  14. essas fotos ficaram demais, incrível como algo tão comum para eles vira tão diferente para nós! queria muito ter ido ao myanmar quando estava na ásia, mas o roteiro tava muito apertado! quero ir na próxima!

  15. Que interessante ler sobre um destino que é fora da rota turística mais explorada. E as fotos dos pescadores ficaram maravilhosas!

  16. Poxa… que lugar legal! tenho muita vontade de conhecer a Ásia e vou tentar colocar Inle Lake no meu roteiro! Valeu a dica!
    🙂

  17. Thais disse:

    Ola.

    Que lugar diferente. Uma cultura totalmente diferente da nossa. Bem interessante de conhecer.
    Valeu por compartilhar.
    abraços
    Thais

  18. Marta Chan disse:

    Que bom olhar para estas fotos, vêm recordações tão bonitas à memória. Também fiquei fã de Inle Lake e tal como tu fiz o passeio de barco e gostei imenso de passar pelas oficinas e até mesmo de aprender os diferentes oficios, de conhecer todas aquelas pessoas tão bonitas.
    Alugamos uma bike no ultimo dia mas estava tanto calor que passamos um bocado mal hehe mas foi uma forma fantástica de ver a zona de outra perspectiva

  19. Ana Flores disse:

    Que lindo! Suas fotos são fantásticas, e capturaram momentos maravilhosos (como o bate papo dos monges). Gostei muito do seu relato, mas fiquei curiosa para saber dos vinhos! São bons?

  20. Tenho lido bastante sobre Myanmar e cada dia tenho mais interesse pelo destino. As fotografias são sempre lindas e sempre retratam muito da cultura local. Gostei. Parabéns!

  21. Tenho andado a ver algumas coisas da Indonésia, onde irei em maio, e espreitei também Myanmar. Queria fazer uma passagem por lá, mas penso que o melhor será ficar para outra altura. Vejo que tem muita coisa para ver e fazer…

  22. Keul Fortes disse:

    E esses jardins flutuantes?! Que demais gente! Bem interessante. Suas fotos estão de parabéns! É sempe bom conhecer novos destinos!

  23. Inle Lake é mesmo apaixonante, achei o roteiro tão interessante como diferente, as dicas de vocês estão perfeitas e amei as fotos, lindíssimas.

  24. rui batista disse:

    Poucos lugares na Ásia têm a beleza e magia do Lago Inle. Um país soberbo e uma região sublime… por TUDO! Foi muito bom voltar, desta vez através do vosso fantástico olhar… Deu muitassssssssssssss saudades…

  25. Que delicia de post! Super detalhado. =)
    Obrigada por compartilhar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

Ahh Costa Rica! Essa é uma formação natural que parece a cauda de uma baleia –  e o local de chama Parque Nacional Marino Ballena.
Tudo bem, já sabemos que o nome do parque veio desse formato. Mas quem explica a “coincidência” desse local ser o melhor ponto do país para  para o avistamento de baleias? 🤔#emalgumlugardomundo #costarica #visitcostarica #baleiajubarte

Pura Vida!Mal desembarcamos na Costa Rica e já começamos a ouvir a expressão por todos os cantos. Embora não tenha uma tradução exata, essa é uma forma de cumprimentar, de dizer olá, tchau – ou qualquer coisa que tenha uma intenção positiva – dá pra usar de diversas formas!A nossa conclusão é que “Pura Vida” é essa coisa boa que você sente ao chegar por aqui e que te faz ficar sorrindo o tempo todo. É como encostar o carro em uma praia deserta, assistir o por do sol e dormir por ali mesmo, ao som dos macacos, com o barulho das ondas. Bem do jeitinho que a gente fez nesse dia!#emalgumlugardomundo #costarica #puravida #visitcostarica #destinosimperdiveis

O Parque Nacional Corcovado é um dos lugares menos explorados da Costa Rica – e até agora um de nossos destinos preferidos no país!A natureza aqui ainda é selvagem e é possível avistar araras, tucanos, macacos, bichos preguiça, quatis, antas… a lista é extensa!
E como se não bastasse a diversidade animal, tem essa praia de areia escura bem intocada. A constante névoa na praia dá um ar de paraíso perdido nesse lugar.Essa viagem pra Costa Rica tá tendo um cenário mais lindo que o outro! Estamos amando!!! #emalgumlugardomundo #costarica #corcovadonationalpark #visitcostarica

Ainda encantados com o lado do Caribe da Costa Rica!
Sem dúvidas, Punta Uva foi uma das praias mais bonitas das bandas de lá – pelo menos foi a nossa preferida!Agora estamos no lado do Pacífico. Estamos mostrando tudo no stories e já já vamos postar as fotos daqui!

A felicidade de quem estacionou o quarto do hotel e vai dormir em frente a praia no Caribe costa riquenho! Valeu @nomad_america !#emalgumlugardomundo #costarica #puntauva #destinosimperdiveis #visitcostarica

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!