Isla del Sol: destino imperdível no Lago Titicaca | Em Algum Lugar do Mundo

ISLA DEL SOL NA BOLÍVIA: DESTINO IMPERDÍVEL NO LAGO TITICACA

Mostramos tudo sobre a beleza e a história dessa grande ilha do Lago Titicaca

  • Adriana
  • -
  • 3 de setembro de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

A Isla del Sol é uma das principais atrações da Bolívia, sendo parada obrigatória para milhares de turistas que viajam entre Bolívia e Peru, devido a sua proximidade com a fronteira entre os dois países. Nós estivemos por lá e mostramos nesse post como é o passeio para a Isla del Sol no Lago Titicaca.

Antes de começarmos a mostrar por que você deve incluir a Isla del Sol em seu roteiro pela Bolívia, vamos à informação: devido a um conflito entre os habitantes da ilha, a parte norte da Isla del Sol está fechada para turistas. Isso reduziu um pouco o fluxo de visitantes por lá, mas ainda assim a visita vale muito a pena, como você vai conferir agora.

Isla del Sol
Lhama curtindo a grama do lado sul da ilha

Quem viaja para Bolívia deve estar preparado para o ‘soroche’ – o mal de altitude. Sucre fica a quase 3.000m de altitude, então é bom se prevenir e viajar protegido: faça um seguro viagem antes de embarcar. Sugerimos fazer uma busca pela Segurospromo, um site que compara preços e dá uma enorme variedade de opções de seguro. Aproveite para usar nosso código EMALGUMLUGAR5 e ganhar 5% de desconto!

Saiba mais sobre a história da Isla del Sol na Bolívia

Antes de seguir seu passeio pela Isla del Sol na Bolívia, vale entender a importância desse lugar considerado o berço da civilização inca. Reza a lenda que a região do Lago Titicaca sucumbiu à escuridão após uma grande enchente.

Após o acontecimento, o Deus Supremo Inca, chamado Viracocha, criou o Deus do Sol, invocando que o astro voltasse a brilhar por essas terras. Hoje em dia existem dezenas de ruínas espalhadas pela Isla del Sol, que eram espaços sagrados ligados a esse evento.

Uma outra parte da lenda diz que o Deus Supremo Inca enviou a esse lugar seu filho Monca Capa e sua filha Mama Ocllo, para ensinar aos humanos como construir casas e caçar alimento. Eles são considerados os fundadores do Império Inca e da capital Cusco (no Peru), sendo esse o motivo da Isla del Sol ser considerada o começo da civilização inca.

E esse conflito na Isla del Sol?

Desde o começo de 2017, o acesso à parte norte da ilha foi fechado. Até o momento da nossa visita, pouco era falado sobre isso e o que sabemos é que ainda não chegaram a uma resolução para o problema.

Sendo assim, até o momento da nossa visita, apenas uma pequena parte da ilha pode ser visitada. Isso significa que muitas das belas trilhas e das ruínas incas ficarão de fora do seu roteiro. Mas não desanime: uma visita a Isla del Sol continua sendo um dos passeios mais incríveis que você poderá fazer na Bolívia!

Isla del Sol
Vista para o lado norte da ilha

Isla del Sol: faço o passeio bate-volta ou durmo uma noite na ilha?

Isso depende do seu gosto e tempo disponível. Nós fizemos um bate-volta saindo de Copacabana, a cidade boliviana mais próxima da Isla del Sol. Conseguimos conhecer praticamente tudo da ilha (lembrando que conhecemos apenas a parte sul) e consideramos que um dia é tempo suficiente para explorar a Isla del Sol.

Porém, se você quiser passar uma noite por lá, não faltam opções de hostels. As acomodações são simples mas atendem bem para uma noite na ilha. Mas eu acredito que fazia mais sentido passar a noite por lá quando era possível visitar os dois lados da ilha.

Uma dica importantíssima: leve uma mochila pequena ou o mínimo de bagagem possível. A Isla del Sol é cheia de subidas, e uma bagagem pesada vai tornar sua vida por lá muito mais complicada – lembre-se que estamos a quase 4.000m de altitude, e o soroche pode bater pesado aqui (leia nosso post sobre como evitar o mal de altitude).

Resumindo: nossa sugestão é passar dois dias inteiros em Copacabana. No primeiro dia você conhece a pequena cidade de Copacabana e no dia seguinte você faz o tour bate-volta para a Isla del Sol.

Obs.: nós não visitamos a Isla de La Luna. Há barcos que fazem Isla del Sol + Isla de La Luna no mesmo dia, mas não recomendamos essa opção pois você não terá tempo de aproveitar nenhuma das duas direito. Se quiser conhecer a Isla de La Luna, sugerimos acrescentar um dia no roteiro.

Quer mais dicas de viagem? Curta nossa página no Facebook!

em algum lugar do mundo no facebook

O que fazer na Isla del Sol na Bolívia (parte sul da ilha)

Saindo de Copacabana, haverá duas opções de horário para saída dos barcos: às 8h30 e às 13h30. Pegue o primeiro barco pela manhã para ter tempo suficiente de curtir a Isla del Sol.

O tempo de travessia é de 1h30 e o valor do barco varia entre 25 e 30B ida e volta. Para o retorno, haverá três horários: 11h, 15h e 16h. Na hora de comprar o ticket (no píer de Copacabana ou em qualquer agência na Av. 6 de Agosto), você já pode fechar ida e volta. Peça para decidir o horário de retorno na volta, ou seja, fique com o bilhete de retorno em aberto.

Isla del Sol
Pier em Copacabana é o ponto de saída para os passeio para a Isla del Sol

Você verá que há algumas placas de sinalização nas trilhas pela Isla del Sol. Atente-se para não pegar o caminho errado e ter que gastar energia à toa subindo e descendo mais do que o necessário. Para nos auxiliar usamos o app maps.me (Android e IOS) que tem demarcadas as trilhas da ilha.

Segue aqui um roteiro ideal para conhecer a Isla del Sol em 1 dia:

Isla del Sol: chegada no píer – Vila Yumani

Após 1h30 de barco, chegamos no píer da Isla del Sol. Aqui temos que pagar outros 10B de taxa de entrada já no desembarque.

Isla del Sol
Pier na chegada da Isla del Sol

O primeiro trecho do seu passeio pela Isla del Sol será uma caminhada até a Vila Yumani. O caminho inicia com degraus e depois segue por uma trilha inclinada. Seu fôlego já vai ser posto à prova logo na chegada: suba bem lentamente e faça pausas pelo caminho para tentar respirar um pouco de oxigênio desse ar rarefeito!

Isla del Sol
Até o menininho nascido e criado ali para pra curtir o visual no caminho

Ao chegar na vila você vai se deparar com restaurantes e hostels pelo caminho, além das cholitas, alguns burrinhos e llamas simpáticas. Aproveite para já ir apreciando a vista do lago Titicaca durante a subida. Levamos cerca de meia hora para subir até a Vila Yumani.

Isla del Sol
Vila Yumani

Vila Yumani – Cerro Palla Khasa

Nós preferimos começar o tour pela Isla del Sol já indo para o ponto mais alto da ilha, o Cerro Palla Khasa. Após passar pela Vila Yumani, siga subindo por mais um bom trecho até chegar a esse mirante, que oferece uma vista incrível do Lago Titicaca.

Lá em cima no mirante Cerro Palla Khasa há uma ruína que serviu como um bom ponto de descanso. Da vila até o Cerro Palla Khasa levamos uns 35 minutos, mas o tempo pode variar de acordo com seu fôlego e ritmo (o nosso foi bem lento).

Cerro Palla Khasa – Vila Yumani – Cerro Queñuani

Saindo do Cerro Palla Khasa, é necessário retornar à Vila Yumani para seguirmos em uma trilha até o próximo ponto: o Cerro Queñuani. Pelo caminho você vai passar por uma pequena floresta: na verdade esse é o único ponto arborizado da ilha.

Ao sair da floresta já conseguimos enxergar as ruínas do Cerro Queñuani. Chegando ao topo do cerro temos uma visão bem ampla da ilha, muito linda por sinal. Daqui também conseguimos a Isla de la Luna e a pequena ilha Chelleca, bem à frente.

Isla del Sol
A pequena Isla de la Luna

O Lago Titicaca e sua imensidão poderiam nos deixar entretidos ali por um bom tempo, mas vale também observar as ruínas de um mausoléu, onde os habitantes costumam ir fazer suas cerimônias.

Isla del Sol
Linda vista do alto do Cerro

Cerro Queñuani – Vila Yumani – Piko Kaina

Retornando do Cerro Queñua, é preciso passar novamente pela Vila Yumani para chegarmos no próximo ponto, o Piko Kaina. Esse é o único templo inca que pode ser visto na parte sul da ilha.

Aproveite para relaxar nesse trecho, já que o caminho é praticamente todo de descida. A paisagem é maravilhosa e já vale a caminhada, além da importância de visitar a ruína inca.

Isla del Sol
Piko Kaina, templo Inca na parte sul da Isla del Sol
Isla del Sol
Portas alinhadas na entrada do templo

Piko Kaina – Volta para o píer da Isla del Sol

A essa altura já estávamos cansados de andar e a volta para o píer vinha bem a calhar. O caminho envolve um trecho de subida, mas nesse caso não é necessário retornar até a Vila Yumani novamente. Ao chegar no Refúgio Ecológico Kalluchim (uma hospedagem/ restaurante), pegamos uma trilha à direita que cortava caminho e seguia direto para o píer.

Isla del Sol
Pier visto de cima na trilha de volta

Hora de voltarmos e seguirmos por mais 1h30 até chegarmos de volta em Copacabana. Vale dizer que o barco não é dos mais confortáveis, mas pelo menos ele é fechado e nos protegeu do frio que estava fazendo.

Obs.: levamos nosso lanchinho e não experimentamos nenhum restaurante da ilha, mas vimos que há opções para quem quiser fazer uma pausa para o almoço. A maioria dos estabelecimentos ficam na Vila Yumani.

Isla del Sol
Mapa com a nossa sugestão de caminho

Onde se hospedar em Copacabana

Como dissemos, não ficamos hospedados na Isla del Sol. Nosso passeio foi um bate-volta de Copacabana, onde há mais opções de acomodação do que na ilha. Dentre nossas sugestões, estão o Hotel La Cupula (que tem um visual maravilhoso) e o Hostal Las Olas (com uma arquitetura incrível). Ambos bem localizados, confortáveis e com ótimo serviço.

Agora que você já sabe o que fazer na Isla del Sol na Bolívia, não deixe de incluir essa beleza natural e histórica no seu roteiro!

Você também poderá gostar de:

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Bolívia: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

E tem forma melhor de terminar o dia?Um por do sol mais lindo que o outro na Costa Rica ❤️☀️ Se por aqui tem vida noturna, a gente desconhece. Estamos despencando da cama cedo todos os dias pra aproveitar cada raio de sol, cada grão de areia, cada gota de chuva (sim, continua chovendo todo dia! Mas passa rápido) e cada segundo pura vida que estamos tendo nesse país incrível!
E eu (Dri) que não curto acordar muito cedo, tenho levantado com sorrisão na cara todo dia. Delícia de lugar!!

Costa Rica é daqueles destinos que faz você se sentir uma grãozinho no universo – e essa sensação é gigante de boa!!!
⠀
As raízes dessas árvores parecem medir uns 2 metros, e parece que elas formam um labirinto no solo. É difícil descrever, mas é muito fácil se conectar com a natureza nesse lugar. Que paz! 🍃 🙏

Ahh Costa Rica! Essa é uma formação natural que parece a cauda de uma baleia –  e o local de chama Parque Nacional Marino Ballena.
Tudo bem, já sabemos que o nome do parque veio desse formato. Mas quem explica a “coincidência” desse local ser o melhor ponto do país para  para o avistamento de baleias? 🤔#emalgumlugardomundo #costarica #visitcostarica #baleiajubarte

Pura Vida!Mal desembarcamos na Costa Rica e já começamos a ouvir a expressão por todos os cantos. Embora não tenha uma tradução exata, essa é uma forma de cumprimentar, de dizer olá, tchau – ou qualquer coisa que tenha uma intenção positiva – dá pra usar de diversas formas!A nossa conclusão é que “Pura Vida” é essa coisa boa que você sente ao chegar por aqui e que te faz ficar sorrindo o tempo todo. É como encostar o carro em uma praia deserta, assistir o por do sol e dormir por ali mesmo, ao som dos macacos, com o barulho das ondas. Bem do jeitinho que a gente fez nesse dia!#emalgumlugardomundo #costarica #puravida #visitcostarica #destinosimperdiveis

O Parque Nacional Corcovado é um dos lugares menos explorados da Costa Rica – e até agora um de nossos destinos preferidos no país!A natureza aqui ainda é selvagem e é possível avistar araras, tucanos, macacos, bichos preguiça, quatis, antas… a lista é extensa!
E como se não bastasse a diversidade animal, tem essa praia de areia escura bem intocada. A constante névoa na praia dá um ar de paraíso perdido nesse lugar.Essa viagem pra Costa Rica tá tendo um cenário mais lindo que o outro! Estamos amando!!! #emalgumlugardomundo #costarica #corcovadonationalpark #visitcostarica

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!