O que fazer em Salta: dicas para conhecer o norte da Argentina | Em Algum Lugar do Mundo

SALTA: EXPLORANDO O NORTE DA ARGENTINA

Saiba mais sobre as atrações e belezas dessa província argentina

  • Adriana
  • -
  • 30 de maio de 2019
  • Nenhum Comentário

Quer viajar mais por menos?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas já para a sua próxima viagem!

É no norte da Argentina que fica Salta, uma província localizada em um amplo vale entre as montanhas. Ainda pouco conhecida entre os brasileiros, Salta vem se tornando um importante centro turístico, servindo como base para explorar toda a região – incluindo Jujuy, província mais ao norte. Nós estivemos lá e mostramos agora tudo o que fazer em Salta.

Antes de começarmos a mostrar as belezas do lugar, vale dizer que Salta é tanto o nome da província como no nome da cidade (que é a capital da província).

O que fazer em Salta - Centro
Construção na praça principal com vários restaurantes

A verdade é que o turismo na região de Salta se desenvolveu bastante – e há atrações para praticamente todos os gostos. Desde passeios históricos pela cidade, enoturismo em vinícolas, festivais andinos e trilhas em parques nacionais, não falta o que fazer em Salta.

Por isso, vem conferir nossas dicas para aproveitar o máximo da sua viagem!

Saiba mais sobre Salta

Há de tudo um pouco em Salta, a cidade de 500 mil habitantes que mistura a herança indígena com a cultura de imigrantes de todo o mundo.

História

A história de Salta remonta aos tempos pré-colombianos, mas foi durante a colonização que a região se floresceu. Fundada em 1518, por ali passava a rota entre Buenos Aires e Potosí, na Bolívia, por onde circulava a prata extraída do famoso Cerro Rico de Potosí.

Nesse período, Salta se tornou um importante ponto de parada entre os dois destinos. Frutos disso são sua arquitetura colonial suntuosa, parcialmente preservada e famosa até hoje.

Com a separação do Vice-Reino do Peru (hoje Bolívia e Peru) do Vice-Reino do Rio da Prata (hoje Argentina, Uruguai e Paraguai), a cidade perdeu sua importância e entrou em um estado de letargia.

Após sua independência, em 1816, Salta renasceu economicamente no fim no século XIV, com a chegada da ferrovia. Com o trem, vieram ondas de imigrantes espanhóis, italianos e árabes, e a economia ganhou força.

Atualidade

Essa história de grandeza, decadência e renascimento resultou em dois traços culturais marcantes vistos até hoje nos salteños: o orgulho de sua cultura local e a preservação de seu legado arquitetônico.

Hoje, a história é vista e vivida nas principais atrações turísticas, tanto históricas (como museus, igrejas e o Cabildo) quanto manifestações folclóricas (como o desfile dos gauchos).

A chegada do trem também continua viva na memória de turistas e locais com o Tren a las Nubes, uma parte da ferrovia que atravessa a Cordilheira dos Andes, chegando a ser conduzido a 4.200 metros acima do nível do mar.

Hoje em dia, a natureza ao redor da cidade vem sendo explorada para fins turísticos, bem como o crescente cultivo de uvas para a produção de vinhos, marcando novos capítulos na história de Salta.

Onde ficar em Salta na Argentina

Antes de mostramos o que fazer em Salta, vamos falar da melhor região para se hospedar em sua viagem.

Salta é uma cidade relativamente grande, mas a grande maioria das atrações turísticas se concentram no entorno do centro histórico: essa é realmente a melhor área para se hospedar, pois dá para passear à pé pelos pontos mais interessantes da cidade.

O centro tem uma atmosfera amigável e descontraída, com pássaros cantando, flores e plantas penduradas nas janelas, e moradores locais reunidos conversando. É possível encontrar hotéis e hostels em todas as faixas de preço nessa região, por isso uma das nossas dicas de Salta é escolher uma acomodação nessa localização.

Opções de hotéis em Salta

Hotel del Antiguo Convento | o ponto alto deste hotel é a localização: a poucas quadras da praça central e próximo a restaurantes, comércios, agências de turismo e do terminal de ônibus. O antigo convento tem ainda dois pátios internos e uma piscina pequena. As camas são grandes e a estrutura, apesar de antiga, é confortável e bem cuidada. Um café da manhã em estilo argentino está incluso na diária, com preço médio de R$ 200,00.

Hotel La Candela | esse casarão convertido em hotel foi renovado para se tornar uma hospedagem de qualidade 3 estrelas. Camas confortáveis, café da manhã, decoração de bom gosto, atendimento de qualidade. Destaque para a vista das montanhas e para as janelas duplas, que garantem o silêncio noturno e calor nas épocas mais frias. Diárias por R$ 205,00.

Alejandro I | este luxuoso 4 estrelas está aí para oferecer o melhor de Salta aos viajantes mais exigentes. Localização central, vista para as montanhas, spa, estacionamento gratuito, restaurante e um prato de frutas frescas todas as noites em seu quarto. Todos elementos para tornar a estadia inesquecível. O preço médio das diárias varia entre R$ 320,00 e R$ 360,00.

Hostal All Norte |quem viaja no estilo mais econômico, este hostel é considerado o melhor de Salta pelos mochileiros. A apenas 15 minutos da Plaza 9 de Julio, com atendimento atencioso dos donos. Tem o básico para uma boa estadia: banheiros limpos, quantos confortáveis, wi-fi e uma decoração colorida, que remete à cultura local. O preço médio da diária é de R$ 120,00.

O que fazer em Salta: dicas e principais atrações

Salta está cheia de atrações turísticas. Seja para quem quer relaxar em meio à natureza, subir montanhas, aprender sobre a história local ou apenas caminhar pelas ruas tranquilas da cidade – não vai faltar o que fazer em Salta. Confira as principais atrações de Salta e arredores:

Centro Histórico

Plaza 9 de Julio

A praça central de Salta é o centro nervoso do turismo e das festividades locais, sendo o ponto de encontro dos tours pela cidade, rodeada de atrações importante e cheia de vida em qualquer hora do dia.

O que fazer em Salta - Plaza 9 de Julho
Praça principal da cidade

Entre tanto o que fazer em Salta, é imperdível dar uma volta entre árvores e monumentos que marcam a história da cidade. Os arredores também estão cheios de lojas que vendem lembranças, artesanato e outras coisas, assim como cafés e restaurantes que vendem iguarias argentinas como bolos, empanadas e muito mais.

Cabildo

O Cabildo é o edifício colonial mais antigo da cidade e o nome significa algo entre prefeitura e conselho municipal.

As obras da construção se iniciaram em 1780 sob a direção de Antonio de Figueras, mas sua torre só foi erguida vários anos depois. Ao longo dos séculos, foi parcialmente demolido e em 1945 foi restaurado.

O que fazer em Salta - Cabildo
Prédio da prefeitura da cidade

É o cabildo mais completo e melhor conservado da Argentina. Atualmente é sede de dois museus: do Museu Histórico do Norte (andar de baixo) e do Museu Colonial e das Belas Artes (segundo andar).

Cerro San Bernardo

O Morro San Bernardo está localizado a apenas 1 km da Plaza 9 de Julio e, para subí-lo, você pode escolher entre pegar o funicular (teleférico) ou subir os degraus até o topo.

Nós escolhemos tomar o funicular para o topo e descer pelos degraus (leva meia hora).

O que fazer em Salta - Cerro San Bernardo
Adam Jones Adam63 / CC BY-SA 3.0

O Cerro San Bernardo se eleva 200 metros acima do nível da cidade e propicia uma bela vista de Salta e do Valle de Lerma. Lá em cima há ainda um café, um banheiro e um playground.

Igrejas

Catedral de Salta

Localizada ao norte da Plaza de 9 de Julio, esta Catedral é considerada um dos mais belos templos da Argentina.

Sua estrutura atual começou a ser construída em 1858 e foi concluída em 1882, e seu interior possui uma decoração simétrica e suntuosa, com ornamentação em ouro e um magnífico altar, obra do Padre Luis Giorgi.

O que fazer em Salta - Catedral
A Catedral

Você pode ir em uma das visitas guiadas gratuitas, embora elas sejam apenas em espanhol.

Basílica e Convento de São Francisco

A uma quadra da Plaza 9 de Julio está a Igreja de São Francisco, que é o cartão-postal da cidade – portanto, não pode faltar na sua listinha do que fazer em Salta.

O primeiro edifício foi construído em 1625, porém vários incêndios e problemas estruturais levaram à sua destruição. A igreja atual foi construída em 1870 e em 1877 construíram a torre do sino que, com 54 metros de altura, é uma das maiores da América do Sul.

O que fazer em Salta - Igreja
Basílica de São Francisco
O que fazer em Salta - Interior da Igreja
Interior da Igreja

Seu exterior tem uma cor castanha ocre e arquitetura em estilo romântico que são inesquecíveis, por isso há sempre casamentos acontecendo ali.

Dentro da igreja encontram-se os restos do criador da Marinha Argentina, Francisco de Gurruchaga, e um pequeno museu com vários artefatos católicos.

Convento de São Bernardo

Este é um dos edifícios mais antigos de Salta. Embora o acesso ao convento seja proibido, vale à pena visitar este edifício histórico, nem que seja apenas para admirar a porta de madeira.

O que fazer em Salta - Convento
Entrada do Convento San Bernardo

O prédio foi construído entre o final do século XVI e início do século XVII, servindo como uma capela dedicada à São Bernardo. O prédio adjacente foi construído depois e passou a ser usado como hospital, mas em 1846 tornou-se um convento de freiras carmelitas.

Museus

Museu de Arqueologia de Alta Montaña (MAAM)

É um dos grandes atrativos da cidade, onde estão expostos elementos de um Santuário Inca, incluindo as múmias de Llullaillaco, uma das descobertas arqueológicas mais importantes dos últimos tempos.

São os corpos de três crianças Inca excepcionalmente preservadas que morreram há cerca de quinhentos anos, sacrificadas como oferendas aos deuses.

Elas foram encontradas a uma altitude de 6739 metros perto do topo do vulcão Llullaillaco, o sítio arqueológico mais alto do mundo.

O museu abre de segunda a domingo, das 10h às 18h30. Entrada paga.

Museo Pajcha Arte Étnico

O Pajcha é considerado por muitos viajantes o melhor museu de Salta, com uma ampla coleção de itens da América Central e do Sul, como joias tradicionais, tapeçarias e arte indígena.

Recomenda-se fazer uma das visitas guiadas explicando a coleção, que começou a partir de um acervo pessoal construído ao longo de 30 anos. Com certeza imperdível!

O museu abre de segunda a sábado, das 10h às 13h e das 16h às 20h. Entrada paga.

Museu de Belas Artes

Este museu é dedicado à cultura salteña moderna, em especial às artes plásticas. Localizado próximo à avenida principal da cidade, em um edifício que por si só já vale uma visita, está cheio pinturas, esculturas e fotografias de artistas locais, regionais e nacionais.

Há também workshops para crianças e adultos acontecendo com frequência. As exposições em sua maioria são itinerantes, por isso nunca se sabe o que o visitante vai encontrar.

Aberto de 9h às 19h. Entrada gratuita.

Tren a Las Nubes

Uma das atrações turísticas mais importantes de Salta é o Tren de las Nubes (“Trem para as nuvens”), que realiza um passeio bem peculiar pela região de La Puna, um altiplano quase desértico.

Com enormes contrastes em seu trajeto, o trem sobe a encosta dos Andes, localizada na província de Salta. Para uma linha ferroviária, é de construção relativamente recente, tendo sido inaugurada em 1948. Foi usado principalmente para o transporte de minérios em vez de passageiros, porém perdeu esta finalidade e virou atração turística.

O que fazer em Salta - Trem de Las Nubes
Foto: Casa Rosada (Argentina Presidency of the Nation) / CC BY-SA 2.0

Atualmente, o trajeto começa a partir do povoado de San Antonio de los Cobres e os visitantes vão de ônibus de Salta até aí para pegar o trem. Os ônibus começam a pegar os passageiros em seus hotéis em Salta por volta das 06h, retornando por volta das 21h.

Há várias paradas pelo caminho, para refeições e para a compra de lembrancinhas, etc.

O passeio é relativamente caro, saindo entre R$ 300,00 e R$ 500,00 (dependendo da agência), mas as reformas deixaram o trem e todo trajeto extremamente confortável e cheio de luxos!

O que fazer em Salta: passeios nos arredores que valem a pena

Uma das dicas de Salta mais valiosas: não se prenda apenas à cidade. A região no entorno é simplesmente linda – e guarda as paisagens mais surpreendentes do norte da Argentina. Confira algumas delas:

Cafayate

Cafayate, localizada no sudoeste da província de Salta, é uma região conhecida pela produção de vinho, especialmente pela uva torrontés, original da região e mundialmente famosa. Essa é a segunda maior região produtora de vinho da Argentina.

Mas não é só de vinhos que vive a região: um passeio para Cafayate deve incluir paradas em pontos estratégicos, como a Quebrada de las Conchas, parando para ver suas formações geológicas únicas ao longo do caminho.

O que fazer em Salta - Vinículas
Vinícolas de Cafayate

Uma viagem entre Salta e Cafayate leva três horas em direção sul. Os tours de Salta a Cafayate levam o dia inteiro, durando normalmente 12 horas.

Para saber mais, veja nosso post sobre as atrações de Cafayate.

Cachi

Este é um povoado a 157 km de Salta que ainda conserva as características de casas coloniais, geralmente com tijolos à vista e alinhadas em ruas estreitas.

A cidade em si fica a 2.280m de altitude e tem aproximadamente 8 mil habitantes, portanto é um povoado colonial com população indígena e alguns pontos interessantes.

O que fazer em Salta - Cachi
Foto: Rod Waddington / [CC BY-SA 2.0

Se você não alugar um carro para explorar a região, o ideal é contratar um passeio para Cachi com agência. Há diversas paradas na viagem de 4h entre Salta e o povoado: formações geológicas únicas, como o Parque Nacional Los Cardones, e vilarejos indígenas são mostrados e explicados com detalhes.

Salinas Grandes

Salinas Grandes é o nome de um salar argentino localizado na fronteira entre Jujuy e Salta, no altiplano do país. A 180 km de Salta, as Salinas se estendem por uma área de 212 km² e ficam a uma altitude média de 3.450 metros acima do nível do mar.

O que fazer em Salta - Salinas Grande
O maior deserto de sal da Argentina

Os passeio de Salta às Salinas Grandes inclui geralmente o uma parada em Purmamarca e custam em média 1.500 pesos. Você também pode fechar seu tour para Salinas Grandes com uma agência.

Confira nosso post com detalhes sobre Salinas Grandes.

Purmamarca

Esse povoado a 190 km de Salta é o lar do Cerro de los Siete Colores, uma montanha da Cordilheira dos Andes que é formada por blocos coloridos que brilham sob a luz do sol da manhã.

É uma das vistas mais impressionantes do norte da Argentina e rende fotos espetaculares!

O que fazer em Salta - Purmamarca
Cerro de Los Sete Cores

Em Purmamarca há também a forte presença da cultura andina, tanto nos traços como na vestimenta típica da população local. O povoado é a primeira parada na rota da Quebrada de Humahuaca.

Quebrada de Humahuaca

Essa rota é um vale cortado pelo Rio Grande, entre duas fileiras de montanhas da Cordilheira dos Andes, formando um caminho natural em direção ao altiplano andino e a Bolívia.

As principais atrações aqui são as formações rochosas que circundam tudo e inundam a paisagem com as cores avermelhadas, ocre, marrom e laranja.

Um tour de Salta para Quebrada de Humahuaca inclui, além de Purmamarca, os povoados de Humahuaca, Tilcara e Maimará.

O que fazer em Salta - Humahuaca
Cerro de 14 Colores

A partir de Salta, os tours visitam somente a primeira, sendo necessário fazer de Purmamarca uma base para conhecer os outros destinos com tempo e tranquilidade.

Onde comer em Salta

O melhor restaurante para experimentar a culinária local é definitivamente o Dona Salta. Muito próximo à praça principal e com ótimo custo-benefício, não deixe de fazer uma refeição aqui, seja almoço ou janta.

Para um jantar mais refinado, visite o Jose Balcarce, um restaurante de fusão que torna a comida argentina moderna sem perder o sabor, e serve um steak como prato principal.

Não deixe de provar a especialidade local, as empanadas argentinas. O Cafe Tobias Empanadas é um dos melhores restaurantes para prová-las, sejam fritas ou assadas. Eles também servem tamales, humitas e outras delícias da região.

Quantos dias ficar em Salta

Muitas pessoas acreditam que dois dias são o suficiente para conhecer Salta. Isso é verdade se o seu objetivo for apenas passar pela cidade e visitar os pontos turísticos mais famosos.

Mas como mostramos, há muito o que fazer em Salta. Por isso, dedique mais tempo a escolher os tours principais e planeje no mínimo 4 dias para conhecer bem a cidade e a província ao redor, incluindo natureza, cultura, vinícolas, povoados e formações geológicas para fazer um roteiro completo.

Uma boa pedida é dividir sua viagem para o norte da Argentina em duas etapas, hospedando-se tanto na região de Salta como também na de Jujuy.

Quando ir para Salta na Argentina

A melhor época para ir a Salta é entre fim de fevereiro e metade de maio, quando a temperatura fica amena e há pouca previsão de chuva, garantindo o tempo perfeito para passeios pelas montanhas.

Outro período interessante para visitar a cidade é entre fim de agosto e outubro, os meses mais secos do ano, mas não tão frios quanto junho e julho.

Há alguma possibilidade de neve no inverno e, mesmo nos meses mais quentes, a temperatura tende a cair à noite, por isso lembre-se de levar casacos na mala.

A temperatura média mais alta em Salta é de 28° C, em janeiro, e a mais baixa é de 19° C, em junho.

O que fazer em Salta - Tempo
Temperatura Média desde jan/2017

Como chegar e circular em Salta

Veja os meios de transporte disponíveis para chegar a Salta e como se locomover dentro da cidade.

Como chegar em Salta:

Avião

Salta é a capital da província e a maior cidade do norte da Argentina, por isso há voos frequentes saindo de Buenos Aires com destino à cidade.

Saindo de São Paulo (GRU), as companhias Aerolíneas Argentinas e LATAM fazem o trajeto com escala em Buenos Aires, e o preço médio das passagens (ida e volta) é de R$ 1800,00. Costumamos fazer pesquisa de preços e comprar passagens pelos sites Skyscanner e Momondo.

A viagem entre SP e Buenos Aires dura em média 2h45, enquanto o trecho BA – Salta dura apenas 2h. O Aeroporto de Salta fica a 12km do centro. A oferta de táxis é ampla, mas não há muitas opções de transporte público. O coletivo 8A passa na frente do aeroporto e vai até o centro, mas não passa na Plaza 9 de Julio.

Ônibus

De ônibus, as companhias Flechabus, Balut, Chevallier e La Veloz del Norte são algumas que saem de Buenos Aires e das principais capitais argentinas com destino a Salta. Dentro da Argentina, as passagens custam entre R$ 100,00 e R$ 400,00, a depender da companhia e do tipo de ônibus.

Quem viaja até a fronteira com a Bolívia ou Chile pode ter que trocar de companhia na fronteira e pegar outro ônibus em cidades como Villazón (Bolívia) ou Paso de Jama (Chile). Algumas empresas chegam até o Peru, fazendo consórcio com companhias locais.

Trem

Por fim, a última opção de transporte executivo é o trem. O sistema ferroviário argentino não cobre todo o país, mas há uma linha ligando Buenos Aires a Tucumán, ao sul de Salta. No caso, é preciso ir de trem até Tucumán e pegar um ônibus entre as duas cidades, uma distância de 300km (4h de viagem).

Carro

De carro partindo de Buenos Aires, a viagem pela Ruta Nacional 34 percorre cerca de 1500 km em 18 horas, sem contar paradas e pernoites. A recomendação é parar no meio do caminho, montando um roteiro que passe por cidades como Rosário ou pegando a Ruta Nacional 9 para passar por San Miguel de Tucumán.

Como circular:

Para os visitantes de Salta, há muitas opções para se locomover pela cidade e arredores, que incluem carro, táxi e ônibus. Como a cidade de Salta é pequena, a maioria dos pontos turísticos são acessíveis a pé, o que elimina a necessidade de transporte público.

Para quem quer viajar pelos arredores de Salta (vale muito a pena!), o carro é a melhor forma de se locomover pela cidade e pela província, pois alugar um automóvel permite ter a liberdade de explorar tudo a seu tempo.

O que fazer em Salta - Cuesta de Lipán
Cuesta de Lipán, uma linda estrada na Salta

Para isso, nós sempre recomendamos alugar carro pela Rentcars, um site que faz um bom comparativo de preços e mostra sempre os melhores resultados.

Há também alguns táxis que servem a região urbana, mas fora do aeroporto eles são escassos, então se precisar de um, certifique-se de chamar com antecedência para organizar uma corrida. A maioria dos hotéis telefonam para a empresas de táxi para seus clientes sem problemas.

Há poucos ônibus locais na cidade, mas eles existem, a exemplo do que já mencionamos acima, o coletivo 8A que liga o aeroporto com o centro e a rodoviária.

Importante: não esqueça o seguro viagem

Sempre reforçamos que é essencial fazer um seguro viagem para qualquer viagem internacional – e para Argentina não seria diferente. Além de nunca sabermos quando um problema pode surgir, a região norte da Argentina tem uma particularidade: a alta altitude.

Em alguns passeios de Salta você irá atingir altitude acima dos 3.500 metros. Isso significa que e seu corpo poderá sentir os efeitos do soroche, o temido mal de altitude. Portanto, é bom se informar antes de viajar.

Além disso, nós recomendamos fechar seu seguro com a Segurospromo, um site que funciona como um buscador e mostra as melhores opções. Use nosso código EMALGUMLUGAR5 e garanta 5% de desconto!

Seguros Promo

Curtiu nossas dicas sobre o que fazer em Salta? Conta pra gente!

Esse post pode conter link de afiliados. Isso significa que, ao fazer uma reserva a partir desses links, você ajuda a manter nosso blog e não paga nada a mais por isso. Nós agradecemos seu apoio!

Nós nos esforçamos para manter o blog atualizado, mas alguns detalhes podem sofrer alterações a qualquer momento. Sempre confirme datas, preços e informações.


Quer saber como viajar mais por menos?

Receba agora so seu e-mail nosso guia gratuito: são 40 dicas imperdíveis para colocar em prática já na sua próxima viagem!

Argentina: explore

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos no Instagram

X

JÁ BAIXOU NOSSO E-BOOK GRATUITO?

Inscreva-se agora e receba no seu e-mail nosso e-book: são 40 dicas de como viajar mais e melhor por menos!